“Daqui Até Nós”: Serginho Freitas convida a uma jornada plurimusical no primeiro álbum solo

0
93

Crédito: Andre Novaes (Obra Prisma)

O cantor e compositor Serginho Freitas passou os últimos dois anos construindo a sonoridade plural de seu primeiro disco solo. Agora, ele apresenta “Daqui Até Nós” com uma coleção de oito canções onde reflete sua experiência diversa por outros projetos musicais, ao mesmo tempo que traz uma personalidade forte para canções reflexivas sobre amores e desamores, amadurecimento e a passagem do tempo. Embalado por influências que vão do folk ao pop rock, passeando por elementos eletrônicos e da música brasileira, o álbum teve produção de Márcio Pombo e já está disponível nas principais plataformas de streaming de música.

Ouça “Daqui Até Nós”: http://smarturl.it/DaquiAteNosAlbum

Confira o faixa-a-faixa abaixo

O trabalho convida a uma jornada musical e de autoconhecimento. Após integrar bandas como Ponto de Ebulição e Missing Elephant, Freitas se lançou em carreira solo com o EP “Lembretes” em 2018. Agora, ele mira o futuro sem deixar para trás os aprendizados que colecionou ao longo do caminho.

“O título sugere a distância que existe entre nós e nós mesmos em busca de se conhecer melhor, ou seja, a distância entre falar e fazer, pensar e agir, compor uma canção e vivenciá-la. ‘Daqui Até Nós’ foi um desafio envolvendo experiências musicais novas no intuito de ser ‘um álbum feliz’. A capa tenta trazer a ideia de calma, reflexão e paciência enquanto a pressa do dia-a-dia move as pessoas e torna a vida corrida”, reflete o artista.

Natural de Teresópolis, na região serrana do Rio, Serginho Freitas começou a se aventurar com música aos 11 anos, seguindo os passos do pai com o instrumento que mais o acompanha até hoje: o violão. Com o fim das bandas que integrou e com as quais gravou um EP cada, ele voltou para si mesmo e para o violão, deixando o rock e o indie de lado em prol do folk e da MPB e buscando retratar mais abertamente os sentimentos.

Singles como “Desassossego” e “Tudo Que Eu Sei Lá” – esta última, repaginada do EP de estreia com um potente arranjo de cordas – entregaram um pouco da sonoridade que viria no disco. Enquanto a primeira narra a inquietude de um amor, a segunda versa sobre os percalços da vida, transformando aquilo que não compreendemos em autodescoberta.

Assista ao clipe “Desassossego”: https://youtu.be/wdy__WU3NKQ

Assista ao clipe “Tudo Que Eu Sei Lá”: https://youtu.be/BAja1qVUYiw

Como não poderia deixar de ser, o disco traz também a faixa que inspirou o nome do trabalho: “Quantas Milhas Daqui Até Nós” propõe uma reflexão sobre a vida que passa em meio ao corre-corre do dia-a-dia. “Casaco de Lã” e “Feito Flor” contribuem com o lado romântico do álbum, enquanto “A Questão” escancara as influências folk. As faixas se encerram com o lado pop e eletrônico de “Espere Por Nós” contrastando com o sentimentalismo de “A Menina e A Vida”, uma composição reflexiva sobre o tempo.

Assista ao clipe “Feito Flor”: https://youtu.be/v3qc6VtdvmY

Assista ao clipe “Quantas Milhas Daqui Até Nós”: https://youtu.be/b88qdH62rlA

Serginho Freitas encerra 2019 entregando uma sonoridade plural em canções que encurtam distâncias, propõem questionamentos e abrem caminho para uma jornada lírica de amadurecimento e aprendizado. É só o começo dessa trajetória.

Ouça “Daqui Até Nós”: http://smarturl.it/DaquiAteNosAlbum

Crédito: André Novaes/Obra Prisma

 

Ficha técnica

 

Produção, mixagem e masterização: Márcio Pombo

Violão e voz: Serginho Freitas

Teclados: Márcio Pombo, Gleidson Lidioli, Bernardo Burgueno

Backing vocals: Márcio Pombo, Marcos Brito, Thiago Almeida Dias

Bateria e percussões: Reginaldo de Siqueira Lemos

Guitarras: Marcos Brito, Ronaldo dos Santos Torres Braga Junior

Violões: Marcos Brito

Violinos e viola: Leonardo Pinto

Violoncelo: Marcos Rangel

Contrabaixo: Márcio Henrique Gonçalves de Lima

Acordeon: Leandro Lopes de Souza

Crédito Andre Novaes (Obra Prisma)

Faixa-a-faixa, por Serginho Freitas:

Desassossego: Nasceu para ser a música de trabalho do disco, com seu ritmo folk agregado ao pop rock. Desassossego nos traz um amor inquietante. Um desejo de conquista que deixa a pessoa desassossegada.

Quantas Milhas Daqui Até Nós: A música que deu origem ao disco. Possui um ideia reflexiva de como levamos uma vida sem autoconhecimento e apressada.

Casaco de Lã: Esta música talvez seja a mais pop do disco, a faixa mais simples e que tem o objetivo de conectar o ouvinte com um amor verdadeiro. O conteúdo deixa explícita uma declaração forte e pura do amor.

Feito Flor: Esta canção traz o amor romantizado, narrado de forma doce e agradável. O acordeon se torna um dos principais elementos da música. Foi a primeira escolhida para a gravação do disco e ganhou um videoclipe todo em stop motion, o que a torna ainda mais viva.

A Questão: É um folk mais clássico com violão bem definido em relação ao estilo. Sua letra deixa clara a infelicidade de uma pessoa que percebe não ter mais espaço na vida da outra, trazendo nostalgia.

Tudo Que Eu Sei Lá: Minha primeira canção da nova fase de composições, a que me trouxe a certeza de que eu queria seguir os caminhos da música. Foi o primeiro passo. Com a letra cheia de emoções, traz a ideia do quanto temos pouco conhecimento.

Espere Por Nós: A canção nasceu de influências de músicas eletrônicas estrangeiras. Com elementos eletrônicos, esta se torna uma composição totalmente diferente das demais do álbum, que tem o objetivo de contagiar positivamente quem a ouve.

A Menina e A Vida: A música é uma narrativa de forma lúdica falando da vida como se fosse uma menina. A letra se encaminha por todo tempo como se fosse direcionada a uma menina, quando na verdade apenas fala sobre a vida.

Comments are closed.