Alunos de escola de programação só pagarão curso quando conseguirem remuneração de R$ 3 mil

0
890

A Kenzie Academy forma profissionais qualificados para atuarem no crescente mercado de tecnologia

De acordo com um estudo da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), há uma expectativa de criação de 420 mil novos empregos no segmento de tecnologia no Brasil até 2024. Destas vagas, estima-se que 150 mil não devem ser preenchidas por falta de pessoal qualificado. Para suprir essa necessidade do mercado, a escola norte-americana de tecnologia Kenzie Academy chega ao País em janeiro de 2020 com uma proposta diferente e bastante atrativa: o aluno estuda, forma-se e só paga o curso após conseguir um emprego.

Com sede em Indianápolis, nos Estados Unidos, a Kenzie traz para o Brasil um modelo de pagamento diferenciado para os estudantes. Nessa instituição de ensino, que será inaugurada em Curitiba (PR), o aluno tem a possibilidade de ingressar sem mensalidades no curso, pagando pela sua formação somente após conseguir um rendimento de, no mínimo, R$ 3.000,00. Para isso, a Kenzie se responsabiliza em ajudar o aluno, colocando-o em contato com diversas empresas empregadoras e o apoiando com o ensino de habilidades e conhecimentos importantes para o ingresso no mercado profissional. 

Como parte da expansão no Brasil, a Kenzie está trabalhando com grandes empresas como Ebanx, James Delivery, BCredi, Social Wave, Banco Bari e CPlug, como os primeiros parceiros de contratação. Essas parcerias ajudarão os estudantes da Kenzie Academy Brazil a conseguirem seu primeiro emprego no mercado de tecnologia.

Para o CEO da Kenzie Academy Brasil, Daniel Soifer Kriger, trazer a Kenzie ao País irá contribuir com a economia brasileira e gerar novas oportunidades de desenvolvimento profissional para os interessados. “O crescimento acelerado do mercado de tecnologia brasileiro exige uma mão de obra específica e qualificada, que a educação tradicional não está dando conta de formar. E acredito que o tipo de educação que estamos oferecendo vai aumentar a capacidade competitiva do Brasil em tecnologia e inovação. Além de possibilitar a muitas pessoas o ingresso no mercado de tecnologia”, afirma.

Com duração de um ano (40 horas semanais), o curso oferece mais de 2.000 horas de aulas, a quais são dinâmicas, atualizadas, com metodologia ágil e conteúdo multidisciplinar, focando nas habilidades técnicas e desenvolvendo o pensamento crítico, ensinando o aluno a buscar conhecimento. A metodologia é comprovada nos Estados Unidos, unindo ensinamentos com suporte e mentoria de uma equipe especializada. Além disso, oferece orientação e ajuda na preparação para entrevistas de emprego, montagem do portfólio, entre outros.

A primeira turma no Brasil começa no dia 28 de janeiro, com apenas 15 vagas. “A Kenzie já está mudando as vidas e carreiras de inúmeras pessoas nos EUA, com mais de 500 alunos matriculados. Agora, estamos trazendo o mesmo nível de acesso ao Brasil”, diz Chok Ooi, CEO da Kenzie Academy Americana.

 

Sobre a Kenzie Academy

Fundada em setembro de 2017, a Kenzie Academy é uma instituição de ensino alternativa que prepara seus alunos para a economia do futuro, fornecendo formação em tecnologia para quem quer acelerar a carreira. O curso é de um ano e baseado em projetos – Engenharia de Software. Foi criado por profissionais do setor e projetado para acompanhar o mercado de trabalho atual, proporcionando aos alunos uma experiência alinhada com o setor, que os leva diretamente a construir grandes carreiras em tecnologia. Com a matriz em Indianápolis, nos Estados Unidos, e estudantes remotos em mais de 40 estados, a Kenzie está resolvendo esse problema, treinando talentos inexplorados na América Central e nos EUA, conectando as empresas a candidatos equipados com as habilidades necessárias. Com preço acessível e opções de financiamento, a Kenzie Academy está diminuindo a lacuna de oportunidades para os que foram deixados para trás pela economia atual. No Brasil, Kenzie Academy Brazil foi fundada pelo Daniel Soifer Kriger e Ugo Bordin Roveda. Para mais informações, visite www.kenzie.academy ou www.kenzie.com.br.