Aos 17 anos, jovem haitiano se destaca no Programa ViraVida Paraná

0
442

Fazer o bem em prol da educação, despertando habilidades e competências profissionais aos jovens que buscam a inserção no mercado de trabalho. Esse é o propósito do Programa ViraVida, desenvolvido há quase uma década pelo Sistema Fiep, por meio do Sesi no Paraná, visando a transformação de vidas de adolescentes em situação de vulnerabilidade social. O haitiano Worldfa Cheriza, de 17 anos, participante do ViraVida, é um dos exemplos de superação e transformação. “Cheguei até o Projeto ViraVida por intermédio de uma assistente social do Cras (Centro de Referência de Assistência Social). Após ser aprovado no processo seletivo, iniciei os estudos. Foi a partir daí que comecei a me adaptar no país, pois além de adquirir conhecimento, fiz grandes amizades”, relatou.

Em busca de oportunidades, o jovem chegou ao Brasil em 2014, com a mãe e seus dois irmãos. “Algum tempo depois eu a minha irmã acabamos ficando sozinhos no Brasil, pois com dificuldades de arrumar emprego, minha mãe retornou para o Haiti levando o meu irmão mais novo. Foi um momento foi muito difícil, pois comecei a ter mais responsabilidades, precisei me adaptar com a cultura e aprender um novo idioma”.  Foi em 2017 que Worldfa iniciou os estudos no Programa ViraVida e acabou se destacando ao longo do processo de aprendizagem.

Karin Bruckheimer, coordenadora de ações estratégicas do Sistema Fiep e do Programa ViraVida, acompanhou toda a trajetória do adolescente no projeto. “Sua educação, dedicação e responsabilidade sempre nos chamou muita atenção. Além da sua entrega total ao processo de aprendizagem, no decorrer do projeto, Worldfa acabou ajudando muitos jovens a superar conflitos familiares, ao trazer experiências de vida de seu país. É muito bom poder vivenciar essas histórias de transformação e poder contribuir de alguma forma para o crescimento desses jovens, propiciando um espaço para que eles possam descobrir a sua competência, colocá-la em prática e sonhar com a sua profissão”, disse a coordenadora.

Recentemente, após concluir o curso, o adolescente foi um dos talentos aprovados no processo seletivo na empresa CNH-New Holland. “O projeto me deu muitas oportunidades. Adquiri conhecimento profissional e pessoal e agora, pela primeira vez, consegui entrar para o mercado de trabalho”. Com projetos para o futuro, Worldfa já prestou vestibular e o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). “Pretendo cursar ciências contábeis. Esse é mais um passo para a realização dos meus sonhos”, concluiu o jovem.

Formatura do ViraVida

No dia 19 de dezembro, Worldfa e os demais alunos do programa ViraVida da turma 2017-2019 de Curitiba, participarão da formatura de encerramento do projeto. O evento acontecerá às 19 horas, no Auditório Caio Amaral, no Campus da Indústria, em Curitiba.

Projeto ViraVida

Criado em 2010, o Projeto ViraVida passou por um processo de reformulação e atualmente atende 140 adolescentes (entre 15 a 21 anos) em situação vulnerabilidade social, nas cidades de Curitiba e região, Foz do Iguaçu e Santa Terezinha de Itaipu. O processo de triagem para seleção dos jovens acontece durante um encontro com as autoridades da rede de proteção a crianças e adolescentes. Os selecionados passam por um momento de pré-aprendizagem durante seis meses, que inclui educação básica, atendimento psicossocial, acompanhamento pedagógico, formação profissionalizante, noções de autogestão, empreendedorismo, além de encaminhamento para o mercado de trabalho. “Neste período o adolescente recebe uniforme, vale transporte, alimentação, como se fosse um contraturno, ou seja, um trabalho educacional com viés social”, explica Karin Bruckheimer.

Um dos destaques do projeto é a efetividade dos alunos no desenvolvimento socioeducativo. Segundo informações apuradas pelo programa, mais de 90% dos jovens que fizeram parte do projeto obtiveram um avanço significativo na escolaridade após a sua participação. Depois do período de pré-aprendizagem de acordo com o seu perfil profissional, os jovens são encaminhados para o mercado de trabalho. O projeto conta com empresas parceiras que realizam processos seletivos para a inclusão dos adolescentes nas grandes empresas.

SOBRE O SISTEMA FIEP

O Sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). As instituições trabalham integradas em prol do desenvolvimento industrial. Com linhas de atuação complementares, realizam a interlocução com instâncias do poder público, estimulam o fomento de negócios nacionais e internacionais, a competitividade, a inovação, a tecnologia e a adoção de práticas sustentáveis, e oferecem serviços voltados à segurança e saúde dos trabalhadores, à educação básica de crianças, jovens e adultos, à formação e aperfeiçoamento profissional, à formação de nível superior, além de capacitação executiva. Sistema Fiep: nosso i é de indústria.

Comments are closed.