Farmacêutico: muito mais que um “entregador de medicamentos”

Ir à Farmácia é um hábito comum do brasileiro, seja para comprar medicamentos, dermocosméticos ou qualquer tipo de cuidado relacionado à saúde. Em todos esses estabelecimentos, sempre está presente um profissional pronto para atuar de forma ética e comprometida para assegurar a qualidade dos produtos e serviços oferecidos, além de reestabelecer e manter a saúde do seu paciente e prevenir doenças e agravos. Porém, muitas vezes o farmacêutico é visto apenas como um “entregador de caixinhas”, fato que precisa ser disseminado do imaginário popular.

Por conta disso, o Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná (CRF-PR) elaborou a campanha “Farmacêutico Muito Mais”, em comemoração ao Dia Nacional do Farmacêutico, celebrado em 20 de janeiro. Chegou a hora de mostrar o quanto é essencial a presença e orientação do farmacêutico para o bem-estar da população. “Somos profissionais prontos para ajudar o paciente. Prestamos serviços que auxiliam diretamente no acompanhamento da saúde, com prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças e de outras condições, bem como a promoção, manutenção e recuperação da saúde. Além disso, instruímos sobre o uso correto e adequado dos medicamentos, que podem parecer inofensivos, mas são uma das maiores causas de intoxicação nos últimos anos”, destacou a Presidente do CRF-PR, Dra. Mirian Ramos Fiorentin. Em 2017, o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX) divulgou que os medicamentos são os maiores responsáveis em casos registrados de intoxicação humana por agente tóxico no Brasil, pontuando 20.637 casos.

A população brasileira precisa ter a consciência que o farmacêutico é peça-chave no tratamento das patologias. Ele é mais um profissional que soma na equipe multiprofissional da saúde, que busca as melhores condições e tratamentos ao cidadão em todas as esferas da terapêutica necessária. São diversas as possibilidades de atuação da profissão farmacêutica. Mas, certamente, todas são unidas pelo objetivo de melhorar a qualidade de vida da população. Veja exemplos de áreas de atuação em que os farmacêuticos são muito mais para a saúde:

Farmácia Comunitária (Dispensação)

De acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a função do farmacêutico na Farmácia materializa-se, entre outras, em oferecer informação aos doentes sobre a utilização correta de produtos farmacêuticos e contribuição para o seu uso racional, o acompanhamento e avaliação de acordo com protocolos terapêuticos (perfil farmacoterápico), o aconselhamento sobre o uso de produtos farmacêuticos não prescritos (autotratamento farmacológico), de produtos médico-farmacêuticos e produtos para a saúde, e a participação em programas de educação em saúde.

Farmácia com Manipulação

Ser farmacêutico magistral exige conhecimentos aprofundados de farmacotécnica, gestão farmacêutica, prescrição farmacêutica e legislação sanitária. Seu papel é extenso, mas engloba assegurar a aquisição e armazenamento de materiais, avaliar a prescrição quanto à concentração, compatibilidade físico-química dos componentes, doses e via de administração e garantir o controle das informações que garantem a segurança do medicamento, como fabricação e rastreabilidade de produtos. Em resumo, o profissional nessa área transforma substâncias químicas em medicamentos ou cosméticos, visando atender os pacientes de forma exclusiva e personalizada.

Farmácia Hospitalar

Nos ambientes hospitalares a presença do farmacêutico também é fundamental. Nesse local de trabalho, os profissionais são responsáveis por todo o ciclo do medicamento, desde sua seleção para o tratamento, armazenamento, controle, dispensação ao paciente e acompanhamento do estado clínico. Ainda realiza a orientação aos pacientes internos e ambulatoriais em busca da cooperação na efetividade do tratamento e redução dos custos, em uma esfera pública, relacionados diretamente ao orçamento destinado ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Indústria Farmacêutica

O medicamento retirado nas Farmácias passa por extensa e burocrática produção antes de sua comercialização. O farmacêutico em uma Indústria é responsável pela produção, garantia e controle da qualidade, administração de processos e assuntos regulatórios, como desenvolvimento, pesquisa, farmacoeconomia, transporte e distribuição. Sem a presença do profissional nesse segmento, a eficácia dos fármacos não poderia ser certificada.

Análises Clínicas

O farmacêutico com título em Análises Clínicas é o profissional capaz de executar com perícia as pesquisas, análises bioquímicas, imunológicas, morfológicas e de biologia celular e molecular de constituintes do organismo humano, tais como sangue, secreções, exsudatos, esfoliados, órgãos, tecidos e de material puncionado, bem como a identificação de agentes patogênicos solicitados pela clínica médica para elucidar diagnósticos, controlar a terapêutica farmacológica, confirmar a cura, produzir soros antipeçonhentos e vacinas, além de executar análises toxicológicas reclamadas pela medicina legal. Ao chegar em um laboratório para realizar um exame ou doar sangue saiba que há um farmacêutico trabalhando para dar continuidade no serviço.

Esses são apenas alguns exemplos da influência do farmacêutico no dia a dia de qualquer cidadão. Ainda há especialidades como perícia criminal, homeopatia, saúde pública, biotecnologia, alimentos, estética, cosméticos e até mesmo atuação nas Forças Armadas. Esse é apenas um fragmento de um extenso universo que mostra como esse profissional passa longe de ser um “entregador de caixinhas”. Existe muito estudo, dedicação e esforço que tornam o farmacêutico capacitado para atuar nas suas mais diferentes áreas de atuação. Além de estar nas Farmácias, ele marca presença em situações que podem não existir aos olhos diretos da população, mas que mudam pontualmente o panorama da saúde dos pacientes.

Comments are closed.