Cobertura da HDI tem o melhor custo benefício dentre as principais seguradoras do mercado

A opinião dos clientes e consumidores é levada a cada vez mais em conta no desenvolvimento de serviços e produtos. Com a presença da internet em cada casa ou dispositivo e a ferramenta das redes sociais, as comunidades de consumidores expõem preferências, reclamações e diversas circunstâncias com o intuito de compartilhar experiências com outras pessoas e facilitar o acesso a informação.

No que tem a ver com o setor de seguros, são muitas as organizações, blogs e demais, que costumas fazer pesquisas dos diferentes tipos de seguros oferecidos no mercado, os preços fixados pelas companhias, qual é a extensão de coberturas e quais são as seguradoras mais confiáveis ou com produtos mais adequados para os clientes, etc. É o caso da Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, a maior do Brasil e da América Latina que, entre outras atividades, realiza testes e estudos comparativos de produtos e serviços. Neles se avalia o cumprimento das normas correspondentes e a qualidade do produto. Se procura mostrar para o consumidor a relação qualidade/preço das ofertas do mercado para “facilitar sua escolha e fortalecer o seu poder de compra.”

Isso mesmo aconteceu com o levantamento elaborado pela Proteste sobre o custo/benefício das seguradoras, analisando-as com relação a seguros de carro.  Para a obtenção dos resultados, foram muitos os perfis e critérios avaliados e se contrasta o nível de satisfação dos segurados que têm acionado a cobertura, com o valor cobrado pelas diferentes companhias. No levantamento, comparando coberturas e proteções de 12 seguradoras, a associação escolheu a HDI como a companhia com o melhor custo benefício.

É preciso destacar que uma importante posição no mercado nem sempre significa a melhor relação custo/benefício do produto ou serviço oferecido. Assim, o SINCOR- Sindicato de Empresários e Profissionais Autónomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo- publicou o Ranking de Seguradoras, o qual pretendia mensurar a presença das seguradoras brasileiras segundo os seus principais negócios, de acordo com a receita de cada companhia.  Nele, por exemplo, a seguradora HDI foi colocada no posto número 6 de importância, ficando por trás de outras como a Tokio Marine, a Sul América, Bradesco, BB Mapfre e da Porto Seguro que foi posicionada no primeiro lugar do ranking.

 

Quais foram os critérios levados em conta para avaliar as seguradoras?

No caso do informe mencionado, se avaliam as companhias segundo serviços como assistência 24 horas, âmbito espacial da cobertura, possibilidade de escolher oficina, exclusão de riscos, franquia, indenização integral dos danos e bônus outorgado a clientes, entre outros.

Allianz, Azul, Grupo BB Mapfre, Bradesco Auto/RE, HDI, Itaú Seguros, Liberty Paulista, Porto Seguros, Sompo, Sul América, Tokio Marine e Zurich foram as companhias seguradoras relevadas, analisando as condições de 330 apólices e comparando também os preços delas. Mesmo que a HDI obteve a melhor pontuação na classificação geral, também se destacaram a Tokio Marine e a Sul América.

Para a obtenção dos resultados, as cotações foram solicitadas elaborando quatro perfis de motoristas (considerando a idade, o fato de ser homem ou mulher e o lugar de residência dele) e considerando quatro modelos de veículos (com diferentes marcas, modelos e anos de fabricação).  Segundo a Proteste, a importância do perfil do condutor se deve a ser ele um dos principais fatores que influenciam na determinação do preço do seguro: quanto mais jovem o motorista, maiores as possibilidades de se envolver num acidente.

No entanto as coberturas examinadas foram: a básica, com cobertura de danos “tradicionais” (causados por colisão, incêndio, roubo ou furto e inundações) e as coberturas adicionais como assistência 24 horas, danos pessoais de passageiros por morte ou invalidez, responsabilidade civil, etc.

Dados obtidos:

No que tem a ver com o âmbito territorial de cobertura, a Tokio Marine e HDI sobressaíram por oferecer assistência e proteção do veículo ainda em países do Mercosul e no Chile. Mesmo assim, todas as companhias receberam boas avaliações no pacote de assistência básica 24 horas em todo o país, com carro reserva, hospedagem e reboque.

Já na exclusão de riscos na proteção, todas as seguradoras foram pontuadas como ruins ou muito ruins. Mesmo que este tema costuma gerar confusão para os clientes, o jeito de ficar tranquilo na hora de um acidente, é fazer uma leitura consciente da apólice antes da contratação e obter a maior quantidade de informação possível nos sites de cada companhia ou ainda tirar dúvidas com os chatbots disponíveis na maioria deles.

Também a franquia aparece como questão problemática para os clientes. Segundo o informe, em geral o valor de franquia é maior a R$1500. Trata-se do valor de dano que o segurado deve suportar em caso de sinistro. Por exemplo: se por caso de uma batida de carro, a reparação dele exige R$5000, sendo a franquia de R$1500, a companhia só cuidará do valor restante do conserto (R$3500). Tem casos em que não é cobrada a franquia, como na indenização integral, quando o dano superar o 75% do valor contratado e quando a causa do acidente for queda de raio, explosão ou incêndio (mesmo se os danos fossem parciais). Se o cliente optar por aumentar o valor da franquia, poderá obter uma tarifa de apólice menor, mas claro devendo fazer frente a maior porcentagem de custo na hora de um acidente.

Uma vez acontecido o sinistro e entregue a documentação necessária, a única seguradora bem avaliada com relação ao prazo de entrega da indenização para o segurado foi a SulAmérica, com um prazo mínimo menor ainda do que o tempo disposto legalmente. Segundo a lei, as seguradoras têm 30 dias para indenizar o cliente, podendo suspender o prazo caso for preciso recavar mais informação.

No final, qual é a seguradora mais conveniente?

mesmo com a informação brindada, não existe uma regra absoluta para determinar qual seria o melhor seguro. A conveniência na escolha de uma cobertura deve ser analisada em concreto dependendo de cada pessoa, do uso que se faça do carro e dos orçamentos disponíveis. Como sempre o conselho é se informar das opções do mercado antes para fazer uma seleção inteligente.

m.p.a.

Comments are closed.