Saiba como tratar as rugas ao redor dos lábios

Dra. Beatriz Lassance explica como prevenir a formação precoce das rugas e comenta sobre os melhores tratamentos.

Alguma vez você já notou linhas de expressão próximas à boca, ao redor dos lábios? Popularmente conhecida como “código de barras”, ou “linhas de fumante”, elas são muitas vezes um dos primeiros sinais do envelhecimento da pele. Essas rugas se formam nos lábios ou na pele acima do lábio superior; quando surgem nos lábios, aparecem como um conjunto de linhas finas verticais, se estendendo de um lado da boca para o outro, fazendo com que, muitas vezes, o batom se acomode nessas linhas, tornando-as mais visíveis. No caso das que ocorrem acima do lábio, as linhas se estendem em direção ao nariz no sentido vertical. “As contrações musculares repetidas, juntamente com o envelhecimento cutâneo, formam essas rugas que, com o tempo, tornam-se aparentes até mesmo quando os lábios estão relaxados”, explica a Dra. Beatriz Lassance, cirurgiã plástica, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Segundo a Dra. Beatriz, o envelhecimento da pele é causado por fatores internos e externos, que levam à diminuição das fibras de colágeno e elastina, favorecendo, assim, o surgimento dessas rugas. “Para minimizar as chances do aparecimento precoce, é necessário ter hábitos saudáveis, evitando o tabagismo e o estresse oxidativo da pele (causados geralmente pela exposição solar e poluição). A ingestão correta de líquidos e alimentos antioxidantes também auxiliam na prevenção”, recomenda a cirurgiã plástica.

Uma vez que as rugas já estão instaladas, é possível tratá-las? A Dra. Beatriz comenta, a seguir, os principais procedimentos:

Skin boosters: Produtos à base de ácido hialuronico que são injetados nas rugas, hidratando a pele profundamente e com isso há maior produção de colágeno. “Melhorando a elasticidade da pele o código de barras fica menos aparente”, afirma a médica.

Toxina Botulínica: Segundo a cirurgiã, pode ser uma solução contra as rugas dessa região quando as demais já foram tentadas, principalmente para pacientes que possuem rugas mais profundas. “A técnica de microdoses de toxina botulínica pode ser utilizada, e tem efeito de paralisar somente fibras mais superficiais da pele. O efeito dura cerca de seis meses, até ir desaparecendo ao longo do tempo, sendo necessária a reaplicação”, diz.

Preenchimentos: “São muito eficazes para tratar as rugas labiais, pois melhoram o aspecto da pele e preenchem os sulcos que se formam com a idade. Existem preenchimentos específicos para esta região, maleáveis e não ficam aparentes ou palpáveis. O resultado é natural e não prejudica a mímica facial”, diz a médica.

Lasers: Lasers ablativos como CO2 produzem microcicatrizes na pele e com isso reorganizam as fibras de colágeno e corrigem as rugas periorais. “Quanto mais profundas as rugas, mais potente deve ser o tratamento para produzir algum efeito, e quanto mais agressivo, pior o pós-tratamento”. Existem ainda outros lasers como Etherea, Harmony que fazem funções semelhantes.

Dermoabrasão: “A técnica pode ser utilizada. É um processo de abrasão da pele utilizando uma espécie de lixa. Com o advento dos aparelhos a laser não tem sido mais tão utilizada e além disso há maior probabilidade de efeitos adversos como hiperpigmentação e irregularidades”, afirma.

Microagulhamento: dispositivos com microagulhas perfuram a pele, reorganizando o colágeno. Pode ser feito em consultório com uso de anestésico tópico e o período de recuperação é de dois a três dias. “Recentemente surgiu o microagulhamento com radiofrequência, aparelho que produz microperfurações na pele e injeta corrente de radiofrequência que aumenta o estímulo de colágeno e tem período de recuperação mais rápido, podem ser necessárias mais sessões para o resultado esperado”, diz a médica.

Peelings Químicos: Podem ser superficiais e são indicados para pacientes que possuem rugas não muito fundas. “O tratamento conta com a aplicação de ácidos que removem as camadas danificadas, fazendo surgir uma camada nova. Têm como vantagem a rápida recuperação e melhoram a qualidade da pele. Rugas mais profundas também podem ser tratadas com peeling químico, mas esse deve ser mais agressivo ou mais sessões são necessárias”, finaliza a Dra. Beatriz Lassance.

FONTE: DRA. BEATRIZ LASSANCE, cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery.

[email protected]

Comments are closed.