A arrecadação do mercado de seguros bateu recorde no Brasil, atingindo R$ 270,1 bilhões

Em termos da CNSeg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) este 2019 tem sido um bom ano. Ainda mais, a arrecadação do mercado de seguros, bateu recorde atingindo a cifra de R$270,1 bilhões, mesmo sem contabilizar planos de saúde suplementar e Seguro DPVAT.

O mercado de seguros e a economia

Como explicou o presidente da CNSeg, Marcio Coriolano, “a gente sabe que o setor de seguros acompanha a economia. Se a economia vai bem, o setor de seguros vai bem. Se a economia vai mal, não se pode esperar um grande crescimento dele”. E os números refletem aquela regra: o maior crescimento do setor foi percebido em 2012, quando “o Brasil estava bombando” segundo Coriolano, com uma taxa de crescimento de 21,7%. Já de 2009 a 2014, o mercado cresceu também mais de dois dígitos, superando o aumento do Produto Interno Bruto.

Com as melhoras desde o ano passado das expectativas econômicas, o mercado de seguros vem experimentando essa importante recuperação. O crescimento do 2019 comparado com 2018, foi ainda maior do esperado pela própria Confederação no percurso do ano. De acordo com uma publicação do Jornal o Estado de Minas de setembro de 2019, por exemplo, as projeções de desempenho ficavam entre 8% e 10,6% aclarando ainda que não ia ser fácil, sem prever uma cifra final maior para o crescimento anual: 12,1%.  Mesmo assim, é importante levar em conta que, descontada a inflação, o aumento real com respeito ao 2018 foi de 8,1%.

É muito direta a relação entre o crescimento econômico e os seguros. É só dar uma olhada à Conjuntura Nº13 publicada pela CNSeg para perceber todos os fatores que influenciam no setor. Um deles, pelo qual se projeta melhorias econômicas no cenário interno, é a polêmica aprovação da reforma da previdência. Com relação à taxa Selic, se analisa que a redução dela até o final de 2019, mudará em 2020, com a recuperação da atividade econômica.

Previsões

Como já se falou, as seguradoras vêm experimentando uma recuperação significativa, mudando o perfil dos contratos, se inclinando pela proteção de sinistros eventuais. Já para este ano 2020, se prevê a possibilidade de que o setor consiga os mesmos números obtidos no ano passado, graças também às boas projeções da economia brasileira em termos gerais: de acordo com o Relatório Focus do Banco Central de fevereiro deste ano, a inflação mostra uma queda com relação aos dados de 2019, em linha com previsões feitas pelos economistas mais importantes, de 3,40% para 3,16%, com diminuição similar do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).  Ao mesmo tempo, a projeção do crescimento da economia brasileira, medida de acordo ao Produto Interno Bruto (PIB), se mantém para este ano em 2,30%.

Já focalizado o análise no seguro mesmo, os principais setores que irão alavancar o mercado serão os seguros de saúde e vida (com previsões de crescimento perto do 7,6% em um cenário pessimista, e 16,5% em cenário otimista), acumulação, patrimoniais, rural (10% pessimista /23% otimista), grandes riscos de engenharia e de transporte, crédito e garantia, marítimo e aeronáutico (9,6% pessimista /20,4% otimista).

Assim, por exemplo, segundo o relatório da CNSeg os referidos crescimentos econômicos, e o conhecido déficit habitacional do país, provocarão no médio prazo uma evolução – se fala até de “explosão”-  do mercado imobiliário no Brasil. Isto apresenta claramente uma relação direta com estimações de avanço na contratação e arrecadação do seguro habitacional.

Porém, na área dos planos de seguro de saúde suplementar, se fala da necessidade de lograr ajustes regulatórios para melhorar os negócios do setor. É o caso da rigidez da regulação dos produtos oferecidos, o que faz preciso flexibilizar para formatar os serviços de acordo com a realidade regional, e adaptando também os preços para lograr maior acessibilidade.

Com relação ao crescimento geral no 2020, a Confederação projeta em termos pessimistas, um aumento de 6,7% podendo mudar com perspectivas mais otimistas até 13,14%, tudo dependendo dos rumos da economia ao longo do ano, principalmente com atenção nos fatores de renda, emprego e produção.

 

Desafios e tendências para o setor das seguradoras

Conforme às análises do Sistema Integrado para Corretores de Seguro (SISC) este ano traz um período de mudanças e inovações para o mercado. Essas serão umas das palavras chave para este período junto com relevância social e investimentos financeiros internacionais.

O desenvolvimento da tecnologia, continuará a mudar a forma de os consumidores interagirem entre si e de como consomem serviços. O foco na inovação contínua exigirá para as seguradoras uma dedicação ainda maior: é o caso da Bradesco Seguros que, percebendo a necessidade, separou a área de inovação da de marketing para cuidar exclusivamente do desenvolvimento de ferramentas que atendam às exigências cada vez mais específicas do consumidor.

Será preciso manter respaldado o fortalecimento das Insurtechs com os avanços da tecnologia. Tratam-se de startups que surgiram para agilizar a implementação das ferramentas demandadas pelos clientes e nas quais o principal foco deverá continuar a ser a agilização da interface com eles. Novidades que já são parte do nosso dia a dia, como a possibilidade de fazer cotação online na hora de seguros se traduzem em facilidades de aquisição e uso. O desafio segundo Fabio Dragone, Diretor da área de Inovação da Bradesco Seguros, é repensar o relacionamento com o consumidor, com o intuito de oferecer soluções mais simples, sem obstaculizar os canais com os quais ele está mais acostumado. Fala: “Temos quatro gerações de clientes aqui, de 20, 40, 60 e 80 anos. Precisamos atender esse cliente no canal que ele quiser. Nenhum será substituído”.

Em conclusão, o 2019 foi um ótimo ano para as seguradoras, e o 2020 visa ser igualmente bom. Fica no consumidor, se manter atualizado para aproveitar as boas condições que, na procura de competitividade, com certeza oferecerão os diversos seguros.

m.p.a.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assine a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

spot_img