Jogadores do sul estão entre os melhores do Brasil no poker online

O paranaense Thiago Crema é um dos melhores do país no poker online

O Brasil é um dos países de maior sucesso no poker online mundial. Para se ter uma ideia, no último World Championship of Online Poker (WCOOP), torneio que é considerado a Copa do Mundo do Poker Online, o Brasil ficou com 23 títulos, terminando em terceiro na classificação geral, ficando atrás de Rússia e Reino Unido.

Além disso, o país é o que conta com o maior número de jogadores entre os 100 melhores do universo digital de acordo com o ranking global do PocketFives, o principal do planeta. São, no total, 23 jogadores, ficando à frente de potências do esporte como Estados Unidos, Rússia, Espanha, Canadá e Reino Unido.

Destes, entre os mais bem colocados, há um claro destaque para a região Sul do país. Isso porque, dos dez melhores brasileiros, seis são sulistas. Ou seja, se o esporte é cada vez mais levado a sério no país, boa parcela da “culpa” está com os jogadores do sul.

Paranaenses

Pedro Vinícius Garagnani, número 2 do Brasil no online

Estado com muita tradição nos torneios presenciais, o Paraná – terra de Alexandre Gomes, primeiro brasileiro a ser campeão do WSOP, e de Yuri Martins, que também já ganhou o bracelete –  é um dos que mais se destaca também no número de jogadores que possuem resultados consistentes nos maiores sites de poker, com três representantes no top 6 brasileiro no ranking da PocketFives, site especializado.

O melhor deles é Pedro Vinícius Garagnani, conhecido como “pvigar”, que é o segundo melhor do país no online, ficando atrás apenas do capixaba Brunn Botteon, e número 10 do mundo. Garagnani já faturou mais de US$ 2,7 milhões no circuito online de poker (uma das maiores premiações de um jogador brasileiro em todos os tempos), incluindo uma premiação US$ 74 mil no Winter Series deste ano, a maior de sua carreira digital.

Outro paranaense na lista é Ramon Kropmanns, 18º melhor do mundo e número quatro do Brasil, que já ganhou mais de US$ 1,4 milhão em torneios como o Powerfest, um dos maiores festivais online de poker do planeta.

Quem também aparece no ranking é um dos nomes mais conhecidos do circuito nacional em torneios ao vivo: Thiago Crema, que na internet é conhecido como KKremate. Número 13 do Brasil no ranking da Global Poker Index, o jogador de Ponta Grossa é o 7º melhor do país no online e 31º em todo o planeta. Já faturou mais de US$ 5,7 milhões no digital, o que, somado à sua premiação US$ 855 mil em torneios ao vivo, faz dele um dos mais premiados jogadores brasileiros na história recente do poker.

Catarinenses

Kelvin Kerber é o melhor catarinense do ranking

Não é apenas o Paraná que revela bons nomes para o circuito online. Os catarinenses também não fazem e feio e contam com outros três jogadores entre os dez melhores do país no poker digital.

A começar por Kelvin Kerber, de Balneário Camboriú, terceiro melhor do Brasil e 17º no ranking mundial. Sua “fortuna” digital já ultrapassa a marca dos US$ 4,6 milhões, sendo a maior premiação individual a bagatela de US$ 232 mil no SCOOP 2016. Só neste mês de março ele já faturou mais de US$ 20 mil.

Descendo um pouco, em 40º lugar geral e 8º do país, está Geraldo César. O jogador de Joinville tem uma premiação total de carreira de dar inveja a muitos jogadores: US$ 5,2 milhões, incluindo uma premiação avulsa de US$ 98 mil.

Em 9º lugar do Brasil e 41 do mundo está Fabiano Kovalski, que já foi líder do ranking brasileiro em 2019. Sua premiação total de carreira é de mais de US$ 4 milhões, com destaque para um prêmio de US$ 310 mil obtido no WCOOP 2018, quando foi um dos grandes vencedores. Ele representa a capital Florianópolis.

Completam a lista de brasileiros no top 10 o capixaba Brunno Botteon, que é o jogador número 1 do Brasil e sexto melhor do planeta atualmente, o paulista Pedro Padilha (5º colocado no Brasil e 26º no mundo) e os mineiros Eduardo Silva (7º colocado no Brasil e 38º no mundo) e Peter Gabriel (10º no Brasil e 42º no mundo).

Entre os motivos que explicam a alta incidência de jogadores brasileiros nos rankings online está a quantidade de praticantes e o alto número de internautas no país, considerado um dos maiores do planeta. O Brasil tem cerca de 8 milhões de jogadores de poker, e a grande maioria possui conta em algum site.

Além disso, as facilidades logísticas fazem com que muitos brasileiros optem pela carreira online, uma vez que os custos de viagens e hospedagens não são muito atraentes para brasileiros, sobretudo em uma época em que o dólar atinge os patamares mais altos de sua história. Portanto, apostar no poker online e ganhar fortunas sem sequer sair de casa é uma ótima alternativa para jogadores que estão pensando em iniciar uma carreira vitoriosa no esporte da mente mais popular do planeta.

m.p.a.

Comments are closed.