Instituto Renault gera renda para projetos sociais por meio da produção de máscaras durante pandemia

Instituto Renault gera renda para projetos sociais por meio da produção de máscaras durante pandemia

Equipamento essencial para a prevenção ao coronavírus, as máscaras também representam uma grande oportunidade de geração de renda para diversas famílias em vulnerabilidade social durante o período de pandemia. Com este pensamento, o Instituto Renault vem desenvolvendo uma série de inciativas buscando capacitar profissionais e instituições para a produção de máscaras descartáveis.

Na última sexta-feira, durante live da influenciadora Maísa, o Instituto realizou a doação para à AACD de 5 mil máscaras descartáveis e 500 protetores faciais, produzios por projetos apoiados pelo Instituto e colaboradores voluntários da Renault, respectivamente. Ao todo, já são cerca de 96 mil máscaras encomendadas diretamente de projetos sociais.

MÁSCARAS PRODUZIDAS PELA ASSOCIAÇÃO BORDA VIVA
A Renault encomendou um segundo lote de 40 mil máscaras da Associação Borda Viva, projeto apoiado pelo Instituto Renault situado próximo ao Complexo Ayrton Senna em São José dos Pinhais (PR). Em abril, o Instituto havia realizado a formação das mulheres da comunidade que trabalham no projeto Casa da Costura para a produção de máscaras descartáveis. Ao todo são sessenta mulheres envolvidas no processo de produção. Além deste pedido, a Renault também solicitou as 5 mil máscaras para entregar à AACD.

Com estes novos pedidos, já são 85 mil máscaras solicitadas à Associação. O primeiro lote de 40 mil unidades, já foi entregue à Renault. O objetivo é continuar gerando renda para as mulheres da comunidade e garantir a segurança para os mais de 7 mil colaboradores da montadora no Brasil.

“Somos parceiros da Associação Borda Viva há anos e temos muito orgulho de contribuir para a geração de renda das mulheres apoiadas por este projeto, especialmente em um momento tão importante como o que estamos enfrentando”, afirma Caique Ferreira VP do Instituto Renault e diretor de Comunicação da Renault do Brasil.

“Agradecemos à Renault por mais essa oportunidade. Essa parceria é essencial para a nossa comunidade”, declara Rose de Fátima, presidente da Associação Borda Viva.

DOAÇÃO DE MÁSCARAS À SEJUF
O Instituto Renault também realizou a entrega de 8 mil máscaras à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Paraná (SEJUF). Os itens foram confeccionados pelo Programa Supera, uma das frentes de inclusão da Unilehu, apoiada desde 2016 pelo Instituto Renault, que por meio da formação na costura e estamparia gera renda para diversas pessoas em situação de vulnerabilidade social.

As máscaras estão sendo distribuídas juntamente com as cestas básicas doadas pelo Governo do Estado do Paraná, por meio da SEJUF, às famílias dos alunos da rede estadual de ensino.

A entrega totaliza o pedido de 11 mil máscaras feito pelo Instituto Renault ao Programa Supera. O primeiro lote, contendo 3 mil máscaras, já havia sido distribuído em abril, entre a Secretaria da Saúde de São José dos Pinhais, a Instituição Pequeno Cotolengo e a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Paraná.

PRODUÇÃO VOLUNTÁRIA DE PROTETORES FACIAIS
Colaboradores da Renault do Brasil produziram, de forma voluntária, cerca de 2 mil protetores faciais (Face shield) destinados à Secretaria de Saúde de São José dos Pinhais, e outros 500 destinados à AACD, com doação anunciada durante a live da influenciadora Maísa.

As máscaras foram produzidas utilizando impressoras 3D do Creative Lab (laboratório de inovação da Renault do Brasil) e impressoras pessoais de colaboradores voluntários. Ao todo, participaram da ação dez colaboradores, de sete áreas diferentes da Renault, e suas famílias.

Elizângela Camargo, responsável pelo Creative Lab Brasil RTA, foi uma das grandes incentivadoras e organizadoras do projeto e contou como foi desenvolver essa ação totalmente voluntária dos colaboradores. “Recebemos o contato da Prefeitura de São José dos Pinhais pedindo ajuda com a confecção de EPIs. Enviei algumas opções já validadas em outros países para que eles escolhessem a opção que melhor atendesse as necessidades. Validei com a nossa direção a intenção de ajudar e imediatamente recebemos o apoio. Retirei 5 impressoras 3D do Creative Lab e as trouxe para casa para poder deixá-las funcionando 24h. Ativei uma rede interna de colaboradores que possuíam impressoras 3D pessoais em suas casas e que estavam com o mesmo sentimento solidário. Com isso, tivemos mais 9 impressoras trabalhando na produção dos EPIs.”

Comments are closed.