Mesmo na crise, indústrias crescem com uso de tecnologias remotas

0
128

Manutenção de equipamentos e consultorias técnicas regulares auxiliam empresas a continuar produção essencial no segmento de papel e celulose

Durante a pandemia do novo coronavírus, muitas ações logísticas e operacionais sofreram consideráveis quedas de produtividade em consequência do isolamento social, circunstância que obrigou as indústrias de produtos essenciais, como a de papel e celulose, a procurar soluções para manter o atendimento ao consumidor.

A Valmet, principal desenvolvedora e fornecedora de tecnologias de processos, equipamentos, automação e serviços para esse segmento, já pioneira em tarefas remotas, também tem adequado seus centros de serviços para não interromper o suporte ao mercado neste momento.

A empresa, por meio de seus três Centros de Serviços na América do Sul, nas cidades de Araucária/PR, Sorocaba/SP e Concepción, no Chile, tem disponibilizado diversas soluções para que os clientes não tenham prejuízos, com possíveis paradas de máquinas ou perdas financeiras e de matéria-prima, devido a possíveis atrasos de entrega de peças e equipamentos.

O diretor de Engenharia de Processos e Equipamentos da Valmet, Waldemiro Werneck, explica que o desenvolvimento tecnológico e os processos gerados na empresa fizeram com que a companhia estivesse preparada para a atual realidade. “Não tivemos grandes alterações em nosso atendimento. Temos feito muitas reuniões técnicas remotas com clientes onde discutimos escopos de reparos de equipamentos para exibir detalhes específicos que muitas vezes mostram a necessidade de troca de componentes. Antes da pandemia, por exemplo, os clientes nos visitavam somente nos casos de alguns contratos que envolviam discussões sobre a troca de componentes com custo mais elevado. Atualmente, temos resolvido muitas situações técnicas de escala menor pelo telefone e principalmente por nossas ferramentas de serviço remoto”, revela.

Werneck também analisa a importância da assertividade de procedimentos durante a pandemia, como as plataformas Valmet Performance Center (VPC) e Valmet Industrial Internet (VII). Além disso, a empresa dispõe de uma área de Engenharia que agrega valor na solução de problemas que interferem na produção relacionados a performance dos equipamentos e continuidade operacional.

“Desde o início da pandemia, tivemos quatro emergências com nossos clientes, nas quais recuperamos componentes e equipamentos para permitir a continuidade operacional. Nossos clientes estão na linha de frente de produtos essenciais, principalmente os fabricantes de papéis especiais, em um momento em que a celulose também é muito consumida.

Outro ponto positivo é que, mesmo que cerca de 85% dos nossos componentes de reposição venham de fora do país, continuamos com o nosso “Key Performance Indicator” (indicador de desempenho, em português) do Centro de Logística muito positivo, referente ao tempo de entrega de mercadorias e serviços, com um percentual de êxito dentro de nossa meta”, revela Werneck.

 

Sobre a Valmet

A Valmet é a principal desenvolvedora e fornecedora global de tecnologias de processo, automação e serviços para as indústrias de celulose, papel e energia. Sua atuação de tecnologia inclui fábricas de celulose, linhas de produção de papel, cartão e papel, além de usinas de energia para produção de bioenergia. Seus serviços e soluções de automação melhoram a confiabilidade, o desempenho dos processos, e aprimoram a utilização de matérias-primas e energia.

As vendas líquidas da Valmet em 2019 foram de aproximadamente 3,5 bilhões de euros. A empresa possui mais de 13.000 profissionais em todo o mundo, com sede em Espoo, Finlândia e suas ações estão listadas na Nasdaq Helsinki. Na América do Sul, possui unidades em Araucária-PR, Sorocaba-SP, Campinas-SP, Belo Horizonte-MG, Imperatriz (MA) e Concepción, no Chile. www.valmet.com.br

Tagsvalmet

Comments are closed.