Curitiba testa app que monitora distanciamento em locais de grande fluxo

Curitiba testa app que monitora distanciamento em locais de grande fluxo

Imagens de simulações do funcionamento do aplicativo Distância2 nos terminais de Curitiba. Ilustração: IPPUC

A Inteligência Artificial (IA) é uma ferramenta de Curitiba para a prevenção e controle do novo coronavírus. Nas próximas semanas, administração municipal dará início a testes do aplicativo Distância2 para monitorar o distanciamento social em tempo real em locais de grande fluxo de pessoas. A cidade é a primeira do Brasil a utilizar o aplicativo em ações de combate à covid-19.

Desenvolvida pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e disponibilizada sem custo ao município, a plataforma utiliza a infraestrutura de câmeras de vídeo instalada na cidade e algoritmos de IA para medir a distância das pessoas nos locais monitorados.

A parceria com o BID para o uso do aplicativo tem o suporte do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e da Urbs. Os testes estão previstos para os terminais do Boqueirão, Capão Raso, Pinheirinho, Portão e Santa Cândida. As estações-tubo da Praça Carlos Gomes, nos sentidos Boqueirão e Pinheirinho, Praça Rui Barbosa sentido Pinheirinho, Eufrásio Corrêa e Estação Central também estarão incluídas. Os encaminhamentos técnicos estão em curso. Serão 10 câmeras em um primeiro momento. A fase inicial é a de coleta das informações através das imagens e, após isso, será iniciada a fase de construção de ferramentas de inteligência.

Como funciona

O sistema possui um painel de controle para fornecer dados úteis para a tomada de decisões, de acordo com os parâmetros que a cidade determina (por exemplo % de pessoas a menos de 2 metros de distância em cada unidade de tempo). Em caso de aglomerações é possível emitir alertas para que as pessoas possam guardar distância segura entre si.

Nenhuma informação privada de indivíduos é utilizada, uma vez que nenhum traço particular ou característica única é analisado. As pessoas são detectadas anonimamente e a distância entre elas é estimada.

Os testes do Distância2 serão iniciados a partir das câmeras instaladas nos terminais de transporte. O modelo pode ser replicado em outros locais de grande movimento na cidade e com infraestrutura de monitoramento, como parques e ruas comerciais.

O Distância2 já está em operação nos países vizinhos em cidades como Buenos Aires, Bogotá, Medellin, e Quito, no Equador, além de mais nove cidades em território equatoriano.

O aplicativo tem interface com circuitos fechados de TV (CCTV), em Curitiba disponíveis no Centro de Controle Operacional (CCO) que integra o sistema de monitoramento da cidade. O Distância2 permite, além de detectar pessoas e mensurar a distância, o registro das informações em base de dados ou armazenamento na nuvem, a geração de indicadores e a formatação de mapas de calor para a avaliação dos horários de picos de movimento em polos de grande fluxo.

A ferramenta recebe o vídeo, processa as informações a partir de IA e entrega um conjunto de dados que podem ser visualizados. O processamento é feito nos frames que compõem o vídeo e consiste em detectar pessoas na cena observada pela câmera e estimar a distância entre elas.

A entrega de dados gera arquivos ou estruturas para Bancos de Dados, com as informações geradas pelo algoritmo. Ao mesmo tempo, é gerado um streaming de vídeo com as marcações feitas pela ferramenta para visualizar o processamento em tempo real. Um painel padrão também é gerado para visualizar os dados de forma agregada e facilitar sua compreensão. Fonte: SMCS