Investimento do Governo vai fortalecer o turismo no Caminho de Itupava

Posicionado entre os mais exuberantes destinos turísticos do Paraná, local ganhará um centro de atendimento ao visitante. Além de mais conforto, investimento vai fomentar a geração de emprego e renda na região.

O Governo de Estado está investindo quase R$ 1 milhão na construção de um centro de atendimento ao turista no Morro de Anhangava, no acesso ao Caminho de Itupava, em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba. É um dos mais exuberantes destinos turísticos do Paraná e a nova estrutura, além de mais conforto ao visitante, contribuirá para fomentar a geração de emprego e renda na região.

O Caminho de Itupava tem uma extensão de 22 km que atravessa a faixa montanhosa da Serra do Mar e corta três Unidades de Conservação: o Parque Estadual Serra da Baitaca, a Área Especial de Interesse Turístico do Marumbi e o Parque Estadual do Pico do Marumbi.

O projeto da estrutura de atendimento ao turista foi aprovado pelo Instituto Água e Terra (IAT), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, e as obras estão previstas para iniciar ainda em 2020.

O IAT está repassando R$ 907,22 mil e a prefeitura de Quatro Barras dará uma contrapartida de R$ 18,51 mil. O receptivo contará com auditório, bicicletário, estandes para venda de produtos de consumo e souvenires, sanitários, estacionamento e espaço com o acervo histórico do sitio arqueológico que retrata o início da colonização paranaense.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, lembra que há décadas a população de Quatro Barras, turistas e estudiosos esperam pela obra, que vai favorecer a criação de novos negócios e gerar renda e empregos na região. “É um anseio antigo dos moradores que não dispunham de espaço adequado para a venda do artesanato local”, disse. “Para os visitantes, além de banheiro, lanchonete e estacionamento, o espaço também vai expor peças arqueológicas que contam a história mais remota do Paraná. Terá toda a estrutura necessária para que pesquisadores, trilheiros, praticantes de turismo de aventura e de ecoturismo, tenham mais conforto e confiança para voltar a viajar”.

RETOMADA – A arquiteta e urbanista do IAT, Tatiana Nasser, responsável pela análise e parecer técnico que embasou a aprovação do projeto, considera que o receptivo fará parte do apoio operacional do Parque e poderá ser usado como instrumento de proteção dos recursos ambientais.

Ela ainda reforçou a importância da obra para contribuir com a retomada do turismo no Estado. “Além de pensar no conforto do turista esse recurso acontece num momento importante para o atrativo e todo o entorno. Após esse período de reclusão as pessoas estão ansiosas para viajar. A infraestrutura também fará com que se sintam mais seguros após a pandemia”.

A expectativa é que o complexo aumente o fluxo de visitantes, principalmente, durante a retomada do setor. Hoje, quem chega ao local conta apenas com dois centros de recepção nos municípios de Morretes e Quatro Barras. A nova estrutura vai melhorar a qualidade do atendimento por ser construída no início da trilha.

SUSTENTÁVEL – A aprovação do projeto do Receptivo de Visitantes do Caminho de Itupava é mais uma iniciativa do Instituto Água e Terra para incentivar a conservação ambiental e o desenvolvimento sustentável. O complexo irá contribuir para a preservação da biodiversidade, melhoria do microclima, gestão de resíduos, qualidade hídrica e atmosférica.

Everton Luiz da Costa Souza, presidente do IAT, reforça que o receptivo do Caminho do Itupava é um investimento importante por se tratar de uma ampla estrutura de atendimento ao visitante, em um dos pontos turísticos mais frequentados do Paraná. “Potencializará a recepção, informando sobre as qualidades ambientais e a preservação dos recursos naturais da Unidade de Conservação”, disse.

O projeto prevê a construção de um centro com equipamentos de lazer e recreação, um auditório junto ao acervo histórico e que vai contribuir para realização de programas de educação ambiental. Também será utilizado como apoio operacional de gestão do Parque Estadual Serra da Baitaca e dos recursos hídricos da região.

Outra meta é que o local seja utilizado para ações de conscientização sobre a necessidade de conservação da qualidade ambiental e do equilíbrio ecológico, assim como para a implantação medidas preventivas frente à degradação provocada pela presença do homem nesses espaços.

 

Uma aventura marcada pela exuberância e legado histórico

Para quem gosta de aventura ou se interessa por história, o Caminho de Itupava estampa um cenário de tirar o fôlego. Em meio à Mata Atlântica preservada, quem enverada pelas trilhas que foram abertas por índios e mineradores, entre 1625 e 1654, vai encontrar uma antiga estrada com pedras assentadas por escravos, rios de águas cristalinas, cachoeiras e uma paisagem rodeada por vales e montanhas.

As belezas naturais e históricas são encontradas por todo o percurso que pode ser feito com 7 a 10 horas de caminhada. Além das cachoeiras, da exuberância botânica e da fauna silvestre, ruínas de casarões que serviram de residências e escritórios de construtores também são encontradas. A mata fechada aguça os sentidos e reporta ao aventureiro informações do tempo do Brasil Colônia, onde tudo começou.

As trilhas que tiram o fôlego, literalmente, de quem busca cenários naturais, são um legado da história do Brasil. O caminho ligava o primeiro planalto ao Litoral paranaense. Por 200 anos, tropeiros, exploradores e viajantes fomentaram a expansão territorial e estimularam o desenvolvimento econômico e social do Paraná. O trajeto foi substituído pela Estrada da Graciosa e posteriormente pela Ferrovia Paranaguá – Curitiba.

 

Projeto arquitetônico prevê espaço para eventos voltados à preservação

A região do Caminho de Itupava é predominada por rica biodiversidade e beleza e recebe milhares de visitantes todos os anos. Em 2019 o destino recebeu cerca de 30 mil pessoas. O local atrai observadores da fauna e da flora, pesquisadores, turistas e esportistas. O receptivo foi projetado levando em conta o cuidado com as três unidades de conservação – Parque Estadual Serra da Baitaca, a Área Especial de Interesse Turístico do Marumbi e o Parque Estadual do Pico do Marumbi.

A infraestrutura abrigará espaços para a realização de workshops, entre outros eventos, voltados para a preservação das unidades. O objetivo é a difusão de princípios de conservação e valorização da natureza, ordenamento de uso de parques, para que a presença do homem não entre em conflito com a natureza.

“O espaço também comportará eventos de incentivo à pesquisa científica, visando o conhecimento dos recursos naturais e culturais das Unidades de Conservação que integram o destino turístico”, acrescentou o diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto. “O Caminho de Itupava sofreu intervenções humanas mínimas no decorrer do tempo. A manutenção do grau de conservação dos Parques e do próprio traçado da trilha, foram pensadas na aprovação dessa obra”.

 

Receptivo melhora a expectativa de renda de artesãos e feirantes

Em Quatro Barras, além da importância para o setor turístico, o novo receptivo vai fomentar a economia local. Estandes e espaços para feiras livres, com produtos artesanais da cidade,  hoje vendidos somente nas praças e eventos, serão comercializados na estrutura, favorecendo a produção local, a geração de empregos e renda.

Em função dos índices de visitação no Caminho do Itupava, a expectativa dos artesãos e feirantes é grande. A obra é aguardada por este setor e por toda a comunidade local, que será beneficiada pelas benfeitorias de infraestrutura urbana.