Locação comercial sobe e reflete movimentação na economia

0
232

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a locação de imóveis comerciais teve um número significativo de desocupações. Porém, a boa notícia é que esta locação voltou a crescer nos meses de junho e julho.

Segundo dados do Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), do Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR), em julho de 2020 foram ofertados 6.092 imóveis e em junho 6.095, sendo a maior parte deles no Centro, Batel, Água Verde, Bigorrilho, Rebouças e Portão.

De acordo com Marise Hartmann, coordenadora de Locação da Rede Imóveis, associação que reúne as 12 imobiliárias mais tradicionais de Curitiba, esta movimentação é positiva não só para o mercado imobiliário, mas para todas as áreas. “Esse aumento na locação representa também o retorno da economia, que lentamente  retoma suas atividades.

A coordenadora conta ainda que esse aumento foi em todos os tipos de imóveis comerciais, sejam lojas, conjuntos, casas comerciais, terrenos ou barracões.  “Aqui na Galvão, por exemplo, 40% das locações comerciais são de lojas, 30% de conjuntos e 30% de casas, o que pode refletir um ânimo na alavancada das atividades comerciais que estavam estagnadas”, analisa.

Sobre a Rede Imóveis

Com mais de 25 anos de atuação e pioneira na formação de Redes Imobiliárias no Brasil, a Rede Imóveis é uma associação de 12 imobiliárias tradicionais de Curitiba, com o objetivo de facilitar a negociação de quem quer comprar, vender ou alugar imóveis. A Associação Rede Imóveis é formada pelas empresas: Galvão Locações, Imobiliária Razão, J8 Imóveis, Kondor Imóveis, Baggio Imóveis, Imobiliária Cilar, Cibraco Imóveis, Galvão Vendas, Imobiliária 2000, Futurama Imóveis, Habitec Imóveis e Paulo Celles Imóveis.