Sommelière e wine influencer Lindslei Antunes entrevista Luiz Groff 

0
267

Escritor, autor da célebre frase “eu não sou enólogo, pois o enólogo diante do vinho toma decisões, eu diante de decisões tomo vinho”, o proprietário da InVino Veritas, fala sobre harmonização em conversa para o Instagram  

A sommelière Lindslei Antunes entrevista Luiz Groff, escritor e proprietário da InVino Veritas – loja de vinhos pioneira em Curitiba. No papo produzido para o Instagram @lindslei, Groff fala com exclusividade sobre harmonização, assunto que aparece com recorrência na timeline da wine influencer. “A harmonização entre comida e bebida é uma arte que torna a refeição uma experiência única e interessante. Harmonizar é transformar as texturas e sabores do vinho e da comida em uma terceira coisa que será revelada apenas na sua boca”, diz Lindslei Antunes, sommèliere. 

Durante o vídeo, o célebre autor da frase “eu não sou enólogo, pois o enólogo diante do vinho toma decisões, eu diante de decisões tomo vinho” fala com muita simplicidade sobre harmonização. “A maioria das pessoas se engana ao pensar que o mais importante na harmonização do vinho com comida são os aromas. Porém, os aromas da comida sempre serão mais fortes que o os do vinho. Há uma certa supervalorização dos aromas quando fala-se de vinho e comida. Na minha opinião, a textura do vinho é muito mais importante que o aroma para uma harmonização bem sucedida”, explica Luiz Groff.   

Dicas de Luiz Groff para fazer uma boa harmonização:  

  • Vinhos ásperos, com mais taninos, pedem comidas mais fortes; 
  • Vinhos leves, pedem comidas mais leves; 
  • Livre-se de preconceitos e ideias pré-concebidas sobre vinhos que vão bem com determinadas comidas como vinho branco combina com peixe e vinho tinto combina com carne vermelha. “O vinho branco é feito com a uva sem casca e o tinto é feito com a uva com casca. Então, a harmonização não tem nada a ver com a cor do vinho. O importante é o fato dele ser com casca ou sem casca. O vinho com casca é mais estruturado, tem taninos e o sem casca não tem taninos”, sintetiza Groff. 
  • O que mais importa é harmonia entre a estrutura do vinho e da comida, “o que pesa é a sensação que o vinho traz na boca, se é lisa ou áspera”, comenta.

Para entender os conceitos que Luiz Groff discorre no vídeo na prática, o enólogo recomenda testar duas harmonizações que exemplificam bem aspereza e leveza. “Um vinho com textura mais áspera, ou seja, com uvas mais tânicas, como o Montes Reserva Cabernet Sauvignon, harmoniza muito bem com cordeiro ao molho de vinho tinto (como molho madeira) ou assado com especiarias. Vinhos mais lisos, com menos taninos, em geral, são mais frutados. O Carmen Premier Pinot Noir e o Gaba do Xil Mencia harmonizam perfeitamente com massas com molhos um pouco mais ácidos ou amanteigados”, finaliza o proprietário da InVino Veritas. 

 

Sobre Lindslei Monteiro Antunes 

Lindslei Monteiro Antunes é sommelière profissional formada pela Escola Alta Gama de Curitiba, com curso de especialização em harmonizações realizado em Roma na Itália. https://www.instagram.com/lindslei/