Retomada do turismo de negócios e eventos requer adaptação e maior controle do fluxo de pessoas

Após seis meses da chegada da pandemia, o setor de turismo segue como um dos mais afetados pela crise, pois os impactos foram sofridos em toda a cadeia, com a suspensão das atividades de hotéis, restaurantes, parques, voos internacionais e nacionais, além do cancelamento de shows e eventos. Mas o cenário começa a mudar com a retomada das atividades econômicas e do processo de reabertura dos estabelecimentos – e consequente melhoria do faturamento dos pequenos negócios, inclusive naqueles que atuam no segmento turístico. É o que revelou a 6ª edição da pesquisa de impacto da pandemia realizada pelo Sebrae, em parceria com a FGV, no final de julho.

Para preparar os empresários para esse momento de retorno às atividades relacionadas ao turismo de negócios e eventos, o Sebrae preparou um guia completo, disponível em uma página específica no Portal do Sebrae, com dicas e orientações práticas para o setor. Além de e-book, são oferecidos gratuitamente vídeos, check list, modelos de placas informativas e displays para download. Todo o material foi elaborado para facilitar o entendimento das normas de saúde e, com isso, possibilitar que os empresários se sintam mais confiantes para promover as adaptações necessárias para retornar às atividades de maneira segura e consistente.

O Sebrae recomenda, como premissa para abertura, que os empresários acompanhem os decretos e demais regulamentos em vigor em cada localidade. Caso os empreendedores identifiquem divergência de informações entre as medidas estaduais e municipais, a indicação é seguir as orientações mais rígidas, de preferência, de acordo com as autoridades de saúde, como Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde, dentre outras. É importante ainda, estar alerta às diretrizes setoriais, pois elas contemplam as especificidades de cada segmento.

Além das principais orientações relacionadas à saúde e prevenção à doença, que incluem a limpeza e higienização constante das mãos, uso adequado de máscaras e distanciamento de pelo menos 1,5 metro entre as pessoas, o protocolo elaborado pelo Sebrae traz também orientações gerais para os colaboradores e atendimento ao cliente.

No caso do setor de turismo de negócios e eventos, o documento, elaborado em parceria com a  Associação Brasileira de Empresas de Eventos – ABEOC e União Brasileira dos Promotores  de Feiras – UBRAFE, apresenta orientações específicas para que os empresários fiquem atentos às medidas de segurança e higiene nos ambientes dos eventos e traz recomendações para adaptações necessárias nas estruturas e nas áreas de circulação de pessoas. Confira abaixo orientações para a prestação de serviços específicas:

Estrutura do local e sanitização do ambiente  

  • Mantenha o local arejado e, se possível, com janelas abertas.  
  • Instale ponto de descontaminação na entrada dos locais dos eventos com álcool em gel 70%, além de álcool líquido com lenços descartáveis para limpeza de bolsas e outros acessórios, bem como cesto para descarte.
  • Monte o acesso do hall de entrada do evento com tapete contendo produto desinfetante para limpeza dos solados dos sapatos.
  • Faça o monitoramento de temperatura das pessoas ao chegarem ao local e disponibilize máscaras, se necessário.
  • Disponibilize um guarda volume, preferencialmente de autosserviço, para que os pertences como bolsas, malas e etc, sejam guardados; se possível já higienizados.
  • Qualquer material entregue para o evento, como crachás, deve passar por uma limpeza prévia.
  • Defina um local específico para descarte de máscaras e estabeleça que o recolhimento seja realizado por empresas de coleta de produtos contamináveis.
  • Faça controle da entrada e saída do evento para administração de presença simultânea de público em geral – expositores, staff e visitantes.
  • Aperfeiçoe os processos de limpeza e higienização dos espaços em geral, especialmente os banheiros e as superfícies de maior contato, como maçanetas, corrimões, mesas e cadeiras.

Áreas de circulação e medidas de distanciamento  

  • Estabeleça o distanciamento de 1,5m entre as pessoas nas filas de acesso ao evento, bem como no balcão de credenciamento e CAEX (Central de Atendimento ao Expositor).
  • Se possível, realize os procedimentos de credenciamento de visitantes de forma on-line para que as pessoas possam imprimir a credencial em casa ou no escritório.
  • Nos eventos com plateia, como congressos, simpósios, disponibilize assentos com, ao menos, 1,5 metro de distância entre si, ou use um assento e inutilize o seguinte para impedir o uso e assegurar o distanciamento entre os participantes.
  • Monte estandes abertos e ventilados (exceto depósito) e organize o espaço para que os corredores sejam mais largos e tenham, preferencialmente, apenas uma direção de circulação. A medida permitirá um melhor controle de fluxo de pessoas.
  • Preserve durante o evento o distanciamento de 1 pessoa a cada 2 metros.

Informações e sinalizações  

  • É importante que sejam mantidos os bancos de dados com os contatos de todos os participantes do evento; sejam colaboradores, palestrantes ou público participante por no mínimo um mês para controle e eventual contato, caso se identifique posteriormente pessoas contaminadas entre o público.
  • Vede a oferta de alimentos e bebidas dentro dos estandes.
  • Evite atividades promocionais que possam causar aglomerações.
  • Deixe claro que o evento segue os protocolos de segurança.
  • Implante um processo de comunicação intensivo sobre as normas para realização de eventos dentro dos protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades locais.
  • Informe sobre o uso de máscaras por todos os participantes (staff, expositores, congressistas e palestrantes), em todo o período do evento (montagem, realização, desmontagem, entrega de materiais e movimentação de cargas).
  • Coloque, em local visível, sinal indicativo de número máximo de pessoas permitido para garantir o distanciamento social nos ambientes.
  • Reforce a sinalização com recomendação de cumprimentos as condições de higiene.

Praça de Alimentação 

  • Estabeleça maior espaçamento entre as mesas na Praça de Alimentação.
  • Utilize materiais descartáveis no local e organize as filas de espera de acordo com as normas sanitárias vigentes.

Centro de Atendimento ao Expositor – CAEX 

  • Instale, se possível, uma barreira de acrílico ou de vidro no local de atendimento para evitar contato direto com o público.
  • Cubra as máquinas de pagamento com filme plástico para facilitar a higienização após o uso.
  • Demarque no chão as posições das filas, estabelecendo o mínimo de 1,5m entre as pessoas.
  • Coloque álcool em gel nos pontos de atendimento para clientes.

Estacionamento 

  • Ajuste a mensagem eletrônica nas cancelas sobre a importância do cuidado e atenção às medidas de saúde para combater à Covid-19.
  • Reforce a higienização nas cancelas e nos equipamentos de entrada dos veículos.
  • Evite a operação de manobristas nesta fase.
  • Disponibilize máscaras e demais proteções para o atendente do caixa para pagamento de estacionamento e procure manter somente um operador nesta função.
  • Disponibilize caixa automático, se possível, para pagamento do estacionamento.