Cirurgia de enxaqueca pode ser combinada com rinoplastia e procedimentos rejuvenescedores

Com o perdão do trocadilho, você pode tratar todas as suas “dores de cabeça” (fisiológica e estética), em uma mesma sala de cirurgia. É possível apostar na blefaroplastia, rinoplastia ou até em preenchimentos com gordura juntamente com a cirurgia de enxaqueca

Cirurgia de enxaqueca pode ser combinada com rinoplastia e procedimentos rejuvenescedoresHá um procedimento cirúrgico que elimina ou ao menos diminui as crises constantes de enxaqueca, respaldado inclusive por estudos publicados na Plastic and Reconstructive Surgery Journal, maior revista científica de Cirurgia Plástica do mundo. A Cirurgia de Enxaqueca é hoje realizada por diversos grupos de cirurgiões plásticos ao redor do mundo e em mais de uma dezena das principais universidades americanas, como Harvard. Feito no Brasil pelo cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University e membro da Sociedade de Cirurgia de Enxaqueca dos EUA, o procedimento pode ser feito conjuntamente a cirurgias estéticas, como a rinoplastia (cirurgia do nariz), blefaroplastia (que visa corrigir as imperfeições da região das pálpebras) e preenchimentos com gordura (para tratar rugas ou melhorar a harmonia facial). “Os resultados positivos e semelhantes das publicações dos diferentes grupos comprovam a eficácia e a reprodutibilidade do tratamento, que pode ser feito de maneira combinada a cirurgias estéticas. A associação das cirurgias é possível quando o tempo total de procedimento não fica muito longo (mais de 7 horas), para evitar complicações”, explica o Dr. Paolo Rubez, também especialista em Rinoplastia Estética e Reparadora pela Case Western University.

De acordo com o médico, a doença crônica Migrânea, conhecida popularmente como Enxaqueca, afeta cerca de 15% da população brasileira, sendo que a faixa etária dos 20 aos 45 anos é a mais acometida. “Nesse universo de pessoas, não é incomum encontrar pacientes que tenham indicação para a cirurgia da enxaqueca e ao mesmo tempo queiram tratar alguma alteração estética como rugas e flacidez, ou até mesmo melhorar a harmonia facial, com a cirurgia de rinoplastia”, afirma o médico. “Na verdade, sabemos que a cirurgia plástica está no cerne da cirurgia da enxaqueca. A primeira descrição da descompressão de nervos para melhorar a enxaqueca remete a uma observação feita após procedimentos de rejuvenescimento da testa”, afirma o Dr. Paolo.

A Cirurgia para Enxaqueca foi criada e desenvolvida, a partir de 2000, pelo cirurgião plástico Dr. Bahman Guyuron, em Cleveland nos EUA. O médico, inclusive, publicou o artigo Interface Between Cosmetic and Migraine Surgery, em 2017, em que deixa claro a possibilidade de associação com cirurgias estéticas. O autor sugere que os cirurgiões plásticos devem considerar a utilização desta interface para beneficiar os pacientes. “Pacientes que estão se submetendo a cirurgia estética seriam incentivados se eles percebessem que suas dores de cabeça podem ser eliminadas ou reduzidas, e os pacientes que estão passando por uma cirurgia de enxaqueca estariam mais ansiosos para submeter-se à cirurgia estética. Além disso, há um melhor aproveitamento do pós-operatório, já que o repouso é o mesmo”, afirma o Dr. Paolo.

Como a cirurgia age na melhora da enxaqueca – A cirurgia é pouco invasiva e tem o objetivo de descomprimir e liberar os ramos dos nervos trigêmeo e occipital envolvidos nos pontos de dor. “Os ramos periféricos destes nervos, responsáveis pela sensibilidade da face, pescoço e couro cabeludo, podem sofrer compressões das estruturas ao seu redor, como músculos, vasos, ossos e fáscias. Isto gera a liberação de substâncias (neurotoxinas) que desencadeiam uma cascata de eventos responsável pela inflamação dos nervos e membranas ao redor do cérebro, que irão causar os sintomas de dor intensa, náuseas, vômitos, sensibilidade à luz a ao som”, diz o médico. As Cirurgias para Migrânea podem ser de sete tipos principais nas seguintes regiões: Frontal, Rinogênico, Temporal e Occipital (nuca). Segundo o Dr. Paolo, para cada um dos tipos de dor existe um acesso diferente para tratar os ramos dos nervos, sendo todos nas áreas superficiais da face ou couro cabeludo, ou ainda na cavidade nasal. O médico explica que cada cirurgia foi desenvolvida para gerar a menor alteração possível na fisiologia local. “Em todos estes tipos, o princípio é o mesmo: descomprimir e liberar os ramos dos nervos trigêmeo ou occipital, que são irritados pelas estruturas adjacentes ao longo de seu trajeto”.

A cirurgia para enxaqueca pode ser feita em qualquer paciente que tenha diagnóstico de Migrânea (Enxaqueca) feito por um neurologista, e que sofra com duas ou mais crises severas de dor por mês que não consigam ser controladas por medicações; ou em pacientes que sofram com efeitos colaterais das medicações para dor ou que tenham intolerância a elas; ou ainda em pacientes que desejam realizar o procedimento devido ao grande comprometimento que as dores causam em sua vida pessoal e profissional.

Por fim, o Dr. Paolo Rubez enfatiza que as cirurgias de enxaqueca e estética são realizadas em ambiente hospitalar e sob anestesia geral.

FONTE: DR. PAOLO RUBEZ – Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da Sociedade de Cirurgia de Enxaqueca, Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/