Dia Nacional de Combate ao Câncer: vacina contra o HPV pode prevenir até 6 cânceres

0
373

Estimativa aponta que neste ano serão 990 mulheres diagnosticados com câncer uterino no Paraná e 100 casos em Curitiba

 

Em 27 de novembro é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Câncer. Dentre os tumores, o câncer uterino é o quarto que mais atinge as mulheres. Segundo dados do Ministério da Saúde, o HPV é o causador de cerca de 16 mil casos de câncer de colo de útero por ano no Brasil. Além disso, o HPV está associado corre ao câncer de vagina, vulva, ânus, orofaringe e pênis, tumor raro que acomete os homens. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 990 casos só de câncer de colo uterino no Paraná, em 2020, e 100 casos em Curitiba.

Para Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart – que integra a Dasa –, é importante reforçar que a vacina do HPV é extremamente importante nos homens também. “A imunização contra papilomavírus não é apenas indicada para o público feminino, muito pelo contrário, o vírus pode trazer tumores graves aos homens. Além da proteção deles, os jovens que se vacinarem acabam também protegendo suas parceiras e diminuindo taxas de transmissões. Vale ressaltar que estamos em novembro, mês dedicado aos cuidados da saúde dos homens e apesar de eles serem mais reticentes no autocuidado é necessário pensar no coletivo e na saúde do próximo”.

Nas mulheres, o câncer uterino é causado principalmente pelo HPV e pode levar de 10 a 20 anos para se desenvolver e afeta geralmente mulheres entre 40 e 50 anos. “O câncer uterino pode trazer diversas dificuldades na vida das mulheres, como na produtividade e na criação dos filhos e de toda a família”, diz Myrna.

Já o câncer anal, que acomete homens e mulheres, é raro e representa de 1 a 2% de todos os tumores colorretais, sendo que o HPV e HIV são apontados como responsáveis pelo aumento da incidência de tumores anais. “A imunização tem eficácia comprovada de 98%, por isso é extremamente importante que meninas e meninos de 9 a 14 anos se vacinem com as duas doses para prevenir as doenças.”, explica Myrna.

A realização de consultas com especialistas e exames em dia são essenciais para o diagnóstico e tratamento do HPV. “Os pacientes que já possuem o diagnóstico do HPV devem procurar o especialista com mais frequência, por exemplo, a cada seis meses para refazer os exames. Além disso, esses pacientes precisam de três aplicações da vacina quando se tem o diagnóstico positivo”, finaliza Myrna.

 

Sobre o FRISCHMANN AISENGART

Há 75 anos o Frischmann Aisengart oferece o que há de mais moderno em medicina diagnóstica, atuando com exames de análises clínicas, provas hormonais, exames genéticos, entre outros, além da aplicação de vacinas. Com mais de 40 unidades no Paraná, oferece diferenciais aos seus pacientes como o serviço de Coleta Domiciliar, agendamento on-line, pediatria com a turma do Scooby-Doo, entre outros. O laboratório Frischmann Aisengart integra a Dasa, líder brasileira em medicina diagnóstica e maior empresa do setor na América Latina, rede que processa 250 milhões de exames por ano, atendendo mais de 20 milhões de pessoas em todo o país, com um portfólio de mais 2.500 tipos diferentes de exames.

Outras informações:
bowler
Barbara Conti – [email protected] – (11) 98203-4946
Juliana Annunciato – [email protected] – (11) 99350-1415
www.bowler.com.br