Qualidade de dados e automação no e-commerce amplia vendas e protege o consumidor na Black Friday

– Cadastro da Associação Brasileira de Automação contém dados de produtos com a numeração do código de barras
– Padrão GS1 de identificação de itens comerciais é obrigatório nos principais marketplaces do mundo

Empresas e consumidores podem se proteger na próxima Black Friday a partir dos recursos oferecidos pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. O crescimento da demanda ao e-commerce durante o período de ofertas nesta data gera muita incerteza sobre as características dos produtos e sua procedência. Para oferecer as informações exatas ao consumidor, as empresas podem usar as ferramentas da entidade, como o Cadastro Nacional de Produtos (CNP) – uma ferramenta que permite à indústria detalhar todas as características de cada item para que parceiros comerciais e consumidores tenham as informações corretas sobre os produtos consultados na web.

De abril a outubro, cresceu o número de empresas que ingressaram no e-commerce

Uma medida fundamental para o sucesso das vendas on-line é a garantia de entrega ágil e do produto correto, o que também é possível com a adoção do código de barras. O mais utilizado na codificação dos produtos é o GTIN-13 (sigla em inglês para Número Global do Item Comercial), que atribui 13 dígitos exclusivos a cada item. É a partir desta numeração que é gerado o código de barras – correspondente à barra de listras nas embalagens. Ele permite que a empresa identifique cada item comercial individualmente no mundo inteiro, sabendo exatamente qual o tipo, suas variações de cor, peso, tamanho entre outras informações. O padrão de identificação global e único permite ao comércio eletrônico controlar desde a catalogação de itens, passando pelo estoque até chegar à venda e entrega dos itens.

O GTIN é referência básica de itens para transações em canais online como Alibaba, Google Shopping, eBay e Amazon, além do grupo CNova Marketplace, que opera no e-commerce as bandeiras Extra, Casas Bahia, Ponto Frio e Cdiscount. Esses portais tornaram obrigatória a informação do GTIN em todos os produtos anunciados.

Cadastro Nacional de Produtos (CNP) – Para que o consumidor tenha certeza de que está comprando exatamente o que procura e sua procedência, o GTIN o beneficia com informações corretas tanto nas compras virtuais quanto fisicamente. O código é um dos dados que constam no Cadastro Nacional de Produtos (CNP) da Associação Brasileira de Automação. É uma plataforma para gerenciamento de informações disponível à indústria para cadastrar as informações técnicas de seus produtos nas transações comerciais e logísticas como, por exemplo, descrição de item, marca, imagem e volume.

A partir do GTIN as lojas virtuais e físicas e os consumidores têm a certeza de que estão fornecendo e recebendo as informações detalhadas e corretas dos produtos.