Saúde mental das crianças preocupa educadores no retorno às aulas presenciais

0
105

Colégio Positivo recebe estudantes em novembro com projeto de apoio emocional

Com a liberação do retorno das atividades extracurriculares no Paraná a partir de novembro, muitas escolas estão retomando as atividades presenciais de forma gradual. O Colégio Positivo volta a receber alunos nesta terça-feira (3), em formato diferenciado, com foco no reforço das disciplinas e conteúdos de maior dificuldade de cada aluno e na saúde emocional das crianças e adolescentes. O conteúdo regular será mantido no formato on-line e a participação presencial é facultativa.

Preocupadas com os efeitos da pandemia na saúde emocional dos estudantes, as áreas de Educação Física e Psicologia Escolar do Colégio Positivo se uniram, por meio do projeto Positivo Mais Bem-Estar, para oferecer suporte psicológico, dinâmicas e atividades presenciais que propiciem o condicionamento físico, aumento da qualidade de vida, redução do estresse e da ansiedade, externalização de sentimentos e formação de valores morais e éticos. As aulas seguem as regras de distanciamento e todo o protocolo de segurança adotado pelo colégio.

Para os pais, o Colégio Positivo mantém um podcast, um blog e agora lançou a websérie “Sem Neura”, que traz, no canal do colégio no YouTube, informações, dicas e instruções sobre Educação, cuidados com a saúde física e mental, organização de rotina e dicas para  lidar bem com as emoções no dia a dia. Segundo a supervisora do Serviço de Psicologia Escolar do Colégio Positivo, Maísa Pannuti, a iniciativa tem como objetivo auxiliar pais e responsáveis a conduzirem da melhor forma possível uma rotina adequada para crianças e jovens. “Cuidar da saúde mental e emocional em tempos de pandemia se tornou uma das prioridades não apenas dos pais, mas também das escolas. Estamos todos juntos nisso e precisamos trabalhar de forma a garantir que nossos estudantes se desenvolvam de forma saudável, com ensino presencial ou remoto”, afirma Maísa.

De acordo com o diretor geral do Colégio Positivo, Celso Hartmann, a realidade dos estudantes durante os últimos sete meses contribuiu bastante para o aumento de problemas emocionais que podem interferir no comportamento, no relacionamento e até no aprendizado dessas crianças. “Trocar relações de verdade por mensagens de texto, dormir mal por conta do excesso de estímulos dos eletrônicos e, ainda, trocar atividade física e exposição ao sol pelas telas são fatores de risco conhecidos para a saúde mental. Sem contar a mudança da rotina, o medo, as incertezas, a solidão, a distância da escola, a intensificação de problemas de relacionamento em casa, entre tantas alterações que passaram a fazer parte do dia a dia de muitos estudantes. Agora, não é possível abrir as portas da escola e fingir que nada aconteceu”, ressalta.

Segundo ele, muitos alunos já se acostumaram com as aulas remotas. Inclusive, mais da metade dos pais não pretendem enviar seus filhos para a escola este ano, segundo pesquisa da instituição realizada com mais de 5 mil familiares. “Caso não se sinta seguro, seja do grupo de risco, tenha suspeitas ou sintomas ou ainda tenha alguém em casa do grupo de risco, o recomendado é permanecer em casa”, lembra o diretor. Para os que optaram por voltar, os pais tiveram que assinar um termo de compromisso com os protocolos de saúde e segurança do colégio, além de apresentar a carteira de vacinação do aluno atualizada e um atestado médico de que o estudante não pertence ao grupo de risco e que pode frequentar aulas presenciais sem risco à saúde dos demais.

O Colégio Positivo investiu mais de R$ 50 milhões em reformas e melhorias para se preparar para receber os estudantes e professores, oferecendo condições para que essa volta seja segura para todos. Além disso, uma campanha de conscientização e informação à comunidade escolar comunica sobre os novos procedimentos de entrada, saída, uso de máscaras, higienização das mãos, entre outras medidas necessárias.

 

Sobre o Colégio Positivo 

O Colégio Positivo compreende oito unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo – Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo –  Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo – Hauer, o Colégio Positivo – Internacional, o Colégio Positivo – Água Verde, o Colégio Positivo – Boa Vista e o Colégio Positivo – Batel atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à Educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina – onde hoje fica o Colégio Positivo – Joinville e o Colégio Positivo – Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Santa Maria, em Londrina (PR). Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo – Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR).