Tragédia familiar vira HQ nas mãos de casal de artistas

“O Filho Mau”, inspirado em história real, tem toques sobrenaturais e lançamento online dia 9 de dezembro

 

Tragédia familiar vira HQ nas mãos de casal de artistasDepois de colecionar prêmios pelo curta-metragem “Apneia”, vencedor do Festival de Gramado em 2019, a dupla curitibana Carol Sakura e Walkir Fernandes lança sua primeira graphic novel: “O Filho Mau”. O livro, que tem 100 páginas, será lançado em live pelo Instagram dia 9 de dezembro, às 19h, e os exemplares podem ser retirados gratuitamente em pontos estratégicos como a Gibiteca de Curitiba, localizada no Solar do Barão, e Itiban Comics Shop.

A história é inspirada em relatos verídicos que a autora ouviu da avó em cafés da tarde ao longo de toda a vida. Aqui, ela decide inventar em cima dessas memórias com muita coragem e imaginação.

Experiente no mundo das Histórias em Quadrinhos (HQ), o casal situa a trama numa conversa entre uma menina e sua avó, e as dores e traumas de ambas se misturam enquanto a neta pergunta e a idosa responde – às vezes em meias palavras, às vezes em silêncios. No centro de tudo, o assassinato de um pai pelo filho, violência que ecoa sobre os conflitos entre mãe e filha.

“Sempre quis contar essa história porque a achava muito impressionante, e toda vez que minha avó falava nela, alguma coisa estranha surgia”, relembra Carol, que é pesquisadora e escritora. A decisão foi transformar esse relato em algo também estranho, com tons sobrenaturais que remetem a muitas outras narrativas.

Além do substrato biográfico, entram pesquisas sobre o universo dos contos de fadas e mesmo leituras sobre maternidade – tudo pelos olhos dessa menina e sua avó. Doutoranda em Letras pela UFPR, a autora conta que se inspirou na relação entre pais e filhos ao longo das gerações e no problema filosófico da maldade. “De onde ela vem? É algo sobrenatural? Seria fruto da loucura, ou da sociedade?”, questiona a escritora.

Trabalho a 4 mãos

Parceiros de longa data em obras como “Anacleto o Balão”, “Se Meu Cão Falasse Tudo Seria Poesia” e no premiado curta “Apneia”, Carol e Walkir mudaram o processo de trabalho em “O Filho Mau”. “Foi um projeto muito nosso, porque não defini quadros como num roteiro normal: fomos fazendo juntos. Ele criava esboços de como imaginava a construção das cenas e eu escrevia”, explica. “Nunca fiz algo tão colaborativo.”

O ilustrador e diretor de animação Walkir Fernandes tem estrada na produção de longas-metragens, séries e curtas. Cofundador da produtora Dogzilla Studio, ele dirige séries de animação para o mercado nacional e internacional. Também edita e ilustra os álbuns em quadrinhos da dupla.

“Desde o início, me chamou a atenção a violência camuflada que nos rodeia. Todo mundo tem uma história de violência na família… São histórias tristes e que ecoam ao longo dos anos e gerações, como um vulto, um fantasma ou mesmo uma doença que teima em não sair da nossa casa ou cabeça. A gente se pergunta como esse mal marca a vida dos que ficam”, ele questiona. “Contar essa fábula de um ‘Filho Mau’ foi uma viagem a um interior do Brasil, onde as ruas são desertas, ainda vive a vovozinha, o ônibus passa longe, só de vez em quando, e o Lobo Mau está sempre atento, pronto para agir.”

Em seu trabalho, é marcante a visão cinematográfica presente em páginas com desenhos mínimos ou close-ups em detalhes das cenas, que sugerem longas pausas – entre outros recursos que vêm da paixão e dedicação pela ilustração contemporânea. Em meio aos dias e noites de criação, o pequeno Bento, filho do casal, nasceu e começou a andar. “Ele me fez ver outros sentidos na trama, relações muito mais complexas. Agradeço a ele pela paciência, nosso filho Bom”, diz Carol.

Escrita feminina

Ainda em 2020, durante a pandemia, Carol Sakura lançou seu livro de contos “A Batida dos Dias”, em que destila sua forma sensível e arguta de ver o mundo, com temas contemporâneos e universais. “O mercado mudou e começa a surgir uma demanda por escritas femininas, porém sinto que ainda sofremos da síndrome do impostor e precisamos nos apoiar mais”, reflete.

“O Filho Mau” é uma graphic novel realizada com o Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

 

Serviço

“O Filho Mau”

Graphic Novel de Carol Sakura e Walkir Fernandes. Realização: Dogzilla. Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. 100 páginas. Distribuição gratuita em pontos de retirada como a Gibiteca de Curitiba, localizada no Solar do Barão (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro), Itiban Comics Shop (Av. Silva Jardim, 845) e outros pontos sob consulta.

Live de lançamento: 9 de dezembro, às 19h

Instagram @walkirfernandes

Tiragem: 1.000 exemplares.

Sinopse

Essa é uma história que aconteceu de verdade. Foi assim, em certa medida e em intensidades diversas. Aconteceu de maneira privada e também coletiva, porque toda família tem uma história ruim, algo mau para narrar. O que contamos aqui é o que uma avó lembra, misturado, confundido e revestido pelos sentimentos de uma neta. A avó passou um café, convidou pra lanchar e lembrou de quando seu irmão matou seu pai. [email protected]