Conheça os riscos que o contador possui ao não automatizar processos

Tornar-se obsoleto no mercado, perder espaço e correr risco de erros evitáveis com a robotização são os prejuízos mais imediatos, alerta especialista da ROIT

Conheça os riscos que o contador possui ao não automatizar processos

Os profissionais de contabilidade que, pelas mais diversas razões, ainda não automatizaram processos tampouco planejam realizar essa modernização, terão dificuldades para se manter no mercado. A robotização deixou de ser mera tendência para se estabelecer como realidade.

Ignorar esse processo “pode levar à obsolescência do serviço prestado”, de acordo com as palavras do especialista César Ávila, que é gerente de Contabilidade da ROIT. Com sede em Curitiba e atuação em todo o Brasil, a fintech é referência no mercado brasileiro pelo desenvolvimento de soluções em tecnologias da informação e o uso da inteligência artificial, em processos contábeis, financeiros e de recursos humanos.

Conforme ressalta Ávila, a automatização é o caminho a ser seguido por escritórios de contabilidade de todos os portes – inclusive os pequenos. A robotização diminui substancialmente o risco para a ocorrência de erros, aumenta a produtividade e, portanto, a qualidade do serviço. Assim, o investimento é recuperado, sublinha.

Além disso, adverte Ávila, escritórios e profissionais que não inovarem cada vez mais perderão espaço para a contabilidade on-line, ou para escritórios que investem em robotização e inteligência artificial.

Mas, quais devem ser os primeiros passos para se tornar um contador profissional que presta serviços automatizados?

O especialista responde que, para os interessados em iniciar o processo de automatização, primeiro é preciso estar aberto à inovação. Em seguida, procurar ler e estudar sobre o assunto.

“Há livros sobre gestão que indicam alternativas e caminhos para a automatização. Existem muitos materiais e cursos, na internet, inclusive, que fornecem esse conhecimento. E, claro, se atualizar, participar de eventos”, orienta.

Um recente levantamento da ROIT – em estudo finalizado no segundo semestre de 2020 – aponta que no Brasil há 70,4 mil escritórios de contabilidade regularizados. Para os próximos cinco anos, a ROIT identifica um potencial de mercado para esses escritórios: o atendimento a empresas inseridas no regime tributário Lucro Real. “Mas, para acessar esse mercado, será indispensável a automatização dos processos contábeis”, afirma César Ávila.

MAIS INFORMAÇÕES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS