Copel Mercado Livre assina contrato para vender energia ao Porto de Paranaguá

Economia estimada pode chegar a R$ 13 milhões com mudança para ambiente de contratação livre 

A Copel Mercado Livre vai vender energia ao Porto de Paranaguá pelos próximos cinco anos. O suprimento prevê atendimento para as 5 unidades do Porto, iniciando em maio desse ano. A economia estimada é de R$ 10 milhões a R$ 13 milhões no período contratado, dependendo da bandeira tarifária vigente.

Além da mudança para o mercado livre, o Porto de Paranaguá escolheu a modalidade de “consumidor varejista” para simplificar todo o processo no mercado. Nesse modelo de contratação, a Copel fica responsável pela intermediação e pelas obrigações com a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica). Para o Porto de Paranaguá, isso significa a possibilidade de economizar nos gastos com energia e, ao mesmo tempo, dispensa a associação junto à CCEE, facilitando o processo.

“Esse contrato representa mais um passo importante em direção à realização de nossa estratégia, de aproximação dos consumidores finais”, ressalta o diretor-geral da Copel Mercado Livre, Franklin Miguel. “Ganha o Porto de Paranaguá, que vai economizar energia e ganha a Copel Mercado Livre, que amplia a receita com venda para os consumidores finais.Ganha também o Paraná e os paranaenses, com duas empresas mais eficientes.”

De acordo com o presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, o contrato com a Copel mostra a busca pela eficiência das Diretorias Administrativa e Financeira e de Engenharia e Manutenção com a economia e modernidade. “Esse processo de compra de energia significa o esforço da nossa equipe em busca de inovações, o contrato vai trazer economia e este dinheiro economizado a gente pode aplicar em outros projetos e melhorias”, destaca.

Maior porto graneleiro do Brasil e o terceiro maior do país, o Porto de Paranaguá é mais uma estatal paranaense que optou por comprar energia no ambiente de contratação livre. Em 2020 o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) assinou contrato com a subsidiária da Copel. No ano passado, a Copel também comercializou energia no mercado livre para a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná.

Criado em 1935, o Porto atualmente é administrado pela Portos do Paraná, empresa pública estadual subordinada à Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, com convênio de delegação junto ao Governo Federal.

 

Copel Mercado Livre 

A Copel foi pioneira no mercado livre ao criar uma comercializadora de energia e ser a primeira a vender energia para consumidores livres em 1995, mesmo ano de criação do mercado livre de energia no Brasil. A Copel Mercado Livre foi criada em 2016, para oferecer mais economia e tranquilidade para clientes de todas as regiões do país.

Hoje, a subsidiária é a quarta maior do país em volume de energia comercializada nesta modalidade. “O nosso objetivo é simplificar todo o processo do mercado livre para nossos clientes. Queremos que o nosso cliente tenha os benefícios da economia sem se preocupar com mais nada”, destaca Franklin Miguel.”

Agora, a Copel Mercado Livre se prepara para atender a consumidores de energia de todos os segmentos. Para isso, a subsidiária está promovendo um processo de digitalização dos seus processos. A expectativa é que até o final de 2021 a empresa seja 100% digital, facilitando a prestação de serviços aos consumidores finais.

“Estamos ampliando a comercialização de energia na modalidade varejista, por acreditarmos nessa tendência de simplificação do processo para os consumidores que almejam a economia do mercado livre, sem a burocracia da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica”, acrescenta o diretor.

A subsidiária também pretende diversificar sua atuação, entrando no mercado livre de gás natural, geração distribuída, certificados de energia renovável e eficiência energética. A ideia é ter uma carteira de produtos e serviços para todos os tipos de consumidores, dos pequenos aos grandes consumidores de energia elétrica e gás natural.

TagsCOPEL