Descubra como ir a um rodízio de comida japonesa, churrasco ou pizza e não exagerar na comida

A Dra. Marcella Garcez dá dicas de como sair satisfeito dos restaurantes sem “enfiar o pé na jaca”.

Descubra como ir a um rodízio de comida japonesa, churrasco ou pizza e não exagerar na comidaO rodízio de comida é sempre uma opção muito bem considerada: seja para reunir os amigos, confraternizar com os colegas de trabalho ou jantar em algum lugar diferente com a família. Porém, há pessoas que estão em dietas de emagrecimento, ou simplesmente não podem comer muito por outras demandas relacionadas à saúde. A grande questão é: dá para comparecer a esses locais sem sair inchado de tanto comer? Segundo a Dra. Marcella, médica nutróloga e docente na Academia Brasileira de Nutrologia, é totalmente possível. “O rodízio, em geral, não é um bom programa para quem quer manter um hábito alimentar adequado. Porém, se você for eventualmente, não vai impactar tão negativamente, até porque sempre é possível fazer boas escolhas e evitar o consumir grandes volumes. Essas medidas são suficientes para prevenir distúrbios digestivos e outras eventuais consequências metabólicas”, afirma a médica. “Mas para ir e não exagerar, é importante saber que você terá que tomar alguns cuidados, e isso inclui se programar previamente para delimitar o que vai comer ou não”, afirma.

No dia do rodízio, a técnica de “passar horas com fome” não é boa: é essencial que a pessoa faça todas as refeições anteriores normalmente, segundo a médica. Ela diz que comer pouco nas refeições anteriores resultará em excesso de apetite na hora do rodízio. “Por outro lado, comer muito no café da manhã, almoço e lanches também pode ser perigoso, já que, assim que o estômago esvaziar, ele estará dilatado e apto para ingerir – novamente – grande volume de comida, prejudicando a dieta e a saúde”, diz a médica.

As opções de rodízio com mais adeptos são: churrasco, pizza e comida japonesa. No caso do restaurante japonês, é mais fácil comer com responsabilidade, já que conta com diversas opções de proteínas magras. No entanto, segundo a nutróloga, é bom fugir das frituras, como os hot sushis empanados e o tempurá. Além disso, não é recomendável exagerar no molho shoyu, pois este contém grande quantidade de sódio, e as sobremesas são altamente calóricas também.

E na churrascaria? A Dra. Marcella recomenda: “Uma boa estratégia para não sair comendo qualquer tipo de carne é montar um bom prato de salada como entrada. Fuja das frituras de imersão, como a batata, mandioca, polenta e massas. O ideal é montar o seu prato uma só vez, pois assim é mais fácil de controlar a quantidade. Dê preferência às carnes magras como alcatra, filé mignon e maminha; as gordurosas, como a costela, cupim e picanha, devem ser evitadas.” Quer uma dica? Opte sempre pelas carnes nas quais não se vê gordura aparente: elas são as melhores.

A pizzaria talvez seja a opção mais arriscada, pois a massa, por si só, já pode ser extremamente calórica. Portanto, a médica recomenda optar pelas pizzas de massa fina ou integral. “As opções mais saudáveis de pizza são aquelas que contêm vegetais ou que levam menos ingredientes. É bastante difícil fugir do queijo, que está contido em grande parte dos sabores, então, nesse caso, recomendo escolher sabores que possuam no máximo um tipo do laticínio, evitando principalmente a de quatro queijos. Se você está fazendo dieta, nem deve cogitar pizzas doces”, destaca. Pizzas com carnes processadas como a calabresa e o bacon devem ser evitadas.

Para beber, sabemos que a melhor opção sempre é a água. “A água pode ser saborizada com uma pequena quantidade de suco ou uma rodela de limão. Os sucos, mesmo naturais, acabam não sendo tão boas opções, pois têm uma quantidade maior de frutas do que a quantidade consumida no dia-a-dia e não contam com as fibras dessas frutas, ou seja, é muita frutose com açúcar para adoçar ainda mais. Refrigerantes, nem pensar. No restaurante japonês, existe a cultura de beber saquê, que, assim como toda bebida alcóolica, é calórico. Portanto, se for consumir, faça-o com moderação”, explica.

Por fim, a médica lembra que o grande problema é tornar isso uma rotina. “Excessos eventuais não são tão prejudiciais quanto uma rotina de excessos. Portanto, tente espaçar o máximo possível a data entre um rodízio e outro”, finaliza.

FONTE: DRA. MARCELLA GARCEZ, Médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da ABRAN. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologiado Hospital do Servidor Público de São Paulo.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS