Curitiba Smart Hack desafia participantes a criarem soluções de Smart Cities

Maratona virtual de desenvolvimento de software, o Curitiba Smart Hack dá a largada nesta sexta-feira (26) para 42 horas de hackathon, até domingo (28), reunindo dezenas de equipes com participantes de todo o país. Eles vão criar propostas tecnológicas inovadoras capazes de apoiar a cidade em uma das seguintes frentes: Mobilidade Urbana, Turismo Inteligente e Segurança. A iniciativa é da Minsait, uma empresa Indra, organizada pelo iCities, empresa especializada em soluções para Smart Cities. A equipe vencedora receberá um prêmio de R$ 10 mil.

“O hackathon faz parte da agenda oficial de celebrações do 328º aniversário de Curitiba, cidade referência em Smart Cities no Brasil e na América Latina. Reunimos dezenas de equipes com participantes de todo o país, um grupo bastante qualificado e heterogêneo, com perfil voltado às soluções de cidades inteligentes”, afirma Caio Castro, sócio-diretor e diretor comercial do iCities.

As equipes participantes da competição vão utilizar como base para o desenvolvimento de suas propostas a Onesait Platform, plataforma aberta com capacidades IoT e big data da Minsait. Ela permite integrar e gerenciar dados de múltiplas fontes e dispositivos por meio de modelos preditivos e regras para gerar informações relevantes para cidadãos, turistas e também para os gestores das cidades, ajudando-os a tomar decisões que melhor reflitam as necessidades da comunidade.

Mentoria e jurados

Ao longo da competição as equipes receberão mentoria de 27 especialistas. Além de representantes da Minsait e do iCities, fazem parte do quadro de jurados Carlos Motti, CEO da IT2B; Alessandra Reis, da Agência Curitiba; Henrique Domakoski, superintendente de Inovação do Governo do Paraná; Guilherme Rangel, diretor de tecnologia e desenvolvimento do Detran-PR; Leandro Moura, presidente da Celepar; Tatiana Turra, secretária de Turismo de Curitiba; e Fabricio Zanini, do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI). Os critérios analisados para a escolha do projeto vencedor envolvem criatividade, aplicabilidade do sistema para solucionar o problema proposto e viabilidade de execução real da solução desenvolvida.

“Vemos uma aceleração na adoção de novas tecnologias, impulsionada pela crise sanitária que vivemos, fato que se percebe também pelo extraordinário avanço que as soluções Smart Cities experimentaram com a incorporação de tecnologias como inteligência artificial, IoT e big data. Iniciativas como o Curitiba Smart Hack têm um papel importante ao integrar o ecossistema TI em prol do desenvolvimento de novas soluções capazes de gerar benefícios reais para cidadãos e gestores públicos. A Minsait se sente muito orgulhosa por promover uma competição à altura da cidade de Curitiba”, explica Miguel Rábano, head de administração pública da Minsait no Brasil.

Referência em Smart Cities

Eleita uma das cidades mais sustentáveis do mundo, Curitiba é referência global em sustentabilidade urbana, transporte e meio ambiente nos relatórios das Nações Unidas. A cidade já recebeu o título de “World Smartest City” pela Revista Forbes. Qualidade de vida, boa infraestrutura, diversidade econômica aliada à preocupação ambiental foram alguns dos itens avaliados nessa nomeação.

“Recentemente, Curitiba foi eleita a melhor capital do país para se viver, de acordo com o Índice Desafios da Gestão Municipal (IDGM), e entrou pela primeira vez no ranking Global Startup Ecosystem Report 2020, estudo do Startup Genome que analisa mais de 140 cidades no mundo e é considerado um dos mais abrangentes sobre o ecossistema de startups (empresas com base tecnológica). Para o iCities, é um privilégio poder contribuir para o fomento do setor de inovação de Curitiba”, reforça Castro.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assine a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

spot_img