Incubadora do Tecpar recebe cinco novas empresas

São iniciativas selecionadas no mais recente edital do institituto, lançado para estimular novos empreendimentos de base tecnológica no Paraná. As propostas apresentam soluções inovadoras nas áreas de saúde bucal, saúde preventiva, automação e smart cities.
Incubadora do Tecpar recebe cinco novas empresas
O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) recebeu cinco novos projetos em seu programa de incubação. São iniciativas selecionadas no mais recente edital do instituto, lançado para estimular novos empreendimentos de base tecnológica no Paraná. As propostas apresentam soluções inovadoras nas áreas de saúde bucal, saúde preventiva, automação e smart cities.
Todas as empresas estão incubadas na modalidade não residente, ou seja, não têm instalação física no Tecpar, porém, contam com todo o suporte gerencial e técnico oferecido pela Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec). São elas: LaboratórioFrale, PerlandPharmacos, Metropolys, Link Tecnologias e BTW Engenharia.
O diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, observa que a chegada de novas incubadas comprova que o espírito empreendedor dos paranaenses se mantém firme em busca de novas soluções e oportunidades, apesar dos desafios impostos pela pandemia.
“O suporte técnico oferecido por meio da incubadoraé fundamental para apoiar empreendedores que têm ideias e projetos inovadores e não sabem como desenvolvê-los”, explica Jorge Callado. “Esta é uma das estratégias do Tecpar para impulsionar o surgimento de novos negócios e a geração de empregos de base tecnológica, contribuindo com a retomada econômica do Estado”, afirma.
Em 2021, a incubadora do Tecpar completa 32 anos de atuação no Paraná, sendo a primeira do Estado com este perfil. Neste período, mais de 100 negócios inovadores receberam o apoio da Intec, que atualmente tem dez empresas incubadas.
SAÚDE BUCAL – Em Cornélio Procópio, na Região Norte do Estado, nasceu o projeto desenvolvido pela Perland Pharmacos, voltada à promoção da saúde e bem-estar. Com o apoio da Intec, a empresa quer impulsionar a marca Trihydral, uma linha de produtos de higiene bucal com formulação diferenciada.
Os itens – creme dental e enxaguante bucal antisséptico – têm ação que destrói ou impede o desenvolvimento de organismos vivos, incluindo vírus e microbactérias. Além da ação preventiva, age como auxiliar terapêutico dos principais problemas bucais. São destinados ao consumidor final e também para uso de profissionais da odontologia, em cirurgias e tratamentos.
SAÚDE PREVENTIVA – Outra proposta selecionada é do Laboratório Frale, de Curitiba, que pretende oferecer ao mercado produtos com uma visão diferente da proposta pela alopatia, que é o sistema de medicação usado pela medicina tradicional.
O laboratório planeja produzir um medicamento homeopático com capacidade de agir como modulador do sistema imunológico, chamado de imunomodulador. O objetivo é ampliar o uso da homeopatia para fortalecer o sistema imunológico, responsável pelo combate a microorganismos (vírus, bactérias, fungos) e outras ameaças à saúde.
AUTOMAÇÃO – O Tecpar apoia ainda o projeto de tecnologia veicular desenvolvido pela startup Link Tecnologias.Trata-se de um sistema operacional que possibilita ao usuário o controle elétrico do seu veículo por meio de um aplicativo, chamado de Eleonor.
O funcionamento é simples. Uma placa de circuito instalada no sistema elétrico do carro faz conexão com o aplicativo. Desse modo, o usuário passa a ter o controle do carro via bluetooth, satélite ou GSM –tecnologia móvel fornecida por meio de chip implantado na placa. O sistema pode ser utilizado em qualquer veículo e possibilita ações remotas como ligar o motor e o farol. Em caso de roubo, permite o rastreamento e o bloqueio do veículo.
SMART CITIES – O outro projeto é o Metropolys, um sistema integrado para gestão de cidades inteligentes. A plataforma é capaz de integrar e monitorar diversos sistemas e bases de dados de um município. Pode, ainda, incorporar informações de sensores físicos das cidades, sejam eles relacionados à segurança pública, defesa civil, mobilidade urbana, entre outros. Desta forma, as demandas do município podem ser gerenciadas dentro da plataforma, auxiliando na gestão e tomada de decisões.
INOVAÇÃO – A ideia da BTW Engenharia é criar uma plataforma na qual o setor público possa oferecer bibliotecas de modelos computacionais utilizando tecnologia colaborativa (open BIM). Essa biblioteca servirá de base para o desenvolvimento de projeto e obras civis e será uma ferramenta de transparência para o processo de novos empreendimentos governamentais. A plataforma ainda deverá auxiliar as prefeituras nos processos de aprovação de novos projetos, uma vez que a digitalização permitirá uma maior eficiência e clareza no seu acompanhamento pelo usuário.
INCUBAÇÃO – As propostas que fazem parte do processo de incubação são selecionadas por meio de edital, e se enquadram nos principais critérios para seleção. Entre os quesitos obrigatórios estão inovação (introdução de novidade ou aperfeiçoamento que resulte em novos produtos, serviços ou processos), base tecnológica (aplicação de conhecimento técnico-científico e investimento em Pesquisa e Desenvolvimento) e prova de conceito ou protótipo (modelo prático que possa provar o conceito estabelecido).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS