Exposição virtual e livro buscam dar visibilidade para arte contemporânea produzida em Petrópolis (RJ)

Conhecida por sua história e belezas naturais, a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio, sempre foi um porto de inspirações para artistas. De Stefan Zweig, Manuel Bandeira e Elizabeth Bishop até Tom Jobim, Guerra-Peixe e Orson Welles, grandes obras foram criadas ali. Visando mostrar novos olhares sobre a cidade, os seus artistas e a rica produção atual – que, muitas vezes, se perde do público – entra em cartaz, a partir do dia 15/04, a exposição virtual “Um Passeio pela Arte Petropolitana”. Ainda nesta data, inicia-se o pré-lançamento do livro de mesmo nome que inspirou todo o projeto, que é de autoria do escritor e psicanalista Herculano Farias.

Confira a exposição e pré-lançamento do livro: www.passeioartepetropolitana.com.br

“Herculano escreveu este livro, que agora dá nome a esta exposição, pouco antes da sua morte, ocorrida em agosto de 2014. Naquele ano, frequentamos várias exposições de arte em Petrópolis, período pautado pela convivência com os artistas, surgindo assim a ideia do livro, que ele deixou preparado para ser editado e lançado. Foi também intenção do autor deixar impresso seu olhar especial sobre cada artista visitado, numa leitura filosófica e delicada, prestando ainda uma homenagem ao poder criativo de cada um”, conta Sonia Xavier, uma das artistas presentes no projeto e viúva de Herculano.

Homenageado pelo projeto, Herculano Farias participou de diversas revistas e antologias literárias e foi autor de vários livros de contos como “Força bruta”, “Sagrada família”, “O tambor”, “Treze narrativas” e “Na direção dos ventos – tetralogia da incerteza”. Recebeu, como contista, diversos prêmios como o Otávio de Faria e o Graciliano Ramos de Contos, ambos pela União Brasileira de Escritores (RJ) e o Prêmio Othon D’Eça, da Academia Catarinense de Letras.

Os trabalhos presentes na mostra, que caminham entre a escultura, artes visuais e plásticas de diversas vertentes, estão divididos em duas galerias virtuais nomeadas a partir das duas principais galerias de arte que compõem o Centro de Cultura de Petrópolis e de grandes artistas que passaram pela história da Cidade Imperial. A Galeria Aloísio Magalhães, com os 21 artistas presentes no livro, sob o olhar curatorial de Herculano e co-curadoria do artista plástico e professor Marcelo Lago, e a Galeria Djanira, com 22 artistas selecionados por Lago como um complemento ao livro.

O objetivo é registrar historicamente e aproximar as pessoas da obra de 43 artistas através de uma experiência imersiva para ver detalhes de cada obra com a possibilidade de um acompanhamento em áudio. Com produção da Abstrata Produtora, o projeto foi realizado com recursos captados através da Lei Aldir Blanc com a Prefeitura Municipal de Petrópolis.

“Um Passeio pela Arte Petropolitana” está disponível para visitação online até fevereiro de 2022 e perenemente em sua versão literária.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER


spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui