Sedentarismo: uma pandemia de uma década

Sedentarismo: uma pandemia de uma décadaSegundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até cinco milhões de mortes poderiam ser evitadas todos os anos, ao redor do mundo, se a população fosse mais ativa. A atividade física regular pode prevenir doenças cardíacas, diabetes e câncer, reduzir os sintomas de depressão, ansiedade e estresse.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 40% dos adultos brasileiros são sedentários. A definição passa pela quantidade de movimentos que uma pessoa faz ao longo do dia. Se for insuficiente para uma queima calórica que promova ações de saúde, então, ela pode ser considerada sedentária.

“O sedentarismo é um problema de saúde pública e privada mundial. Já se discute uma pandemia de sedentarismo na comunidade há pelo menos uma década, em que ações vêm sendo tomadas para que se minimize o número de pessoas sedentárias. Com a pandemia e o isolamento social, as pessoas ficam mais restritas em casa, o que contribui para um nível elevado do status de sedentarismo”, explica o Diretor de Prevenção do Hospital Cardiológico Costantini, Prof. Dr. Rafael Michel de Macedo.

As diretrizes da OMS recomendam, pelo menos, de 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada a vigorosa, por semana, para todos os adultos e uma médica de 60 minutos, por dia, para crianças e adolescentes. “O sedentarismo é antagônico ao momento que a gente vive. Quanto menos movimento eu faço, mais exposto estou a todos os tipos de doença, inclusive com piora do meu estado imunitário. O ideal é caminhar pequenas distâncias ao longo do dia, repetidas vezes, realizar movimentos que podemos ter acesso em plataformas on-line e desenvolver os níveis de aptidão física”, explica o Dr. Rafael.

Para se aprofundar no tema, hoje, 25 de março, o Hospital Cardiológico Costantini e a Academia do Coração realizam um seminário científico gratuito e on-line sobre Sedentarismo. O tema foi escolhido para reforçar a mensagem do Dia Mundial do Combate ao Sedentarismo, 10 de março. As palestras terão início às 19h e contarão com a presença do Diretor de Prevenção do hospital, além de professores doutores da PUCPR e UTFPR. O evento é voltado para profissionais da área da saúde, educadores físicos e comunidade, em geral.

A transmissão ocorrerá pela plataforma ICostantini. Para acompanhar, acesse: www.icostantini.com.br e realize a sua inscrição. O seminário é gratuito e será emitido certificado aos participantes.

SERVIÇO:
Seminário Científico sobre Sedentarismo – gratuito e on-line

  • Tema: Sedentarismo: uma pandemia de uma década
  • Data: 25/03/2021 (quinta-feira);
  • Horário: 19h
  • Local: Online – icostantini.com.br
  • Gratuito

PROGRAMAÇÃO: 

  • 18h55-19h – Abertura – Dr. Costantino Costantini;
  • 19h-19h20 – A pandemia do sedentarismo: o que vem sendo discutido na última década? – Prof. Dr. Adriano Akira (PUC-PR);
  • 19h20-19h40 – O impacto do sedentarismo sobre a saúde dos portadores de doenças crônicas – Prof. PhD. Rafael Michel de Macedo (Hospital Cardiológico Costantini);
  • 19h40-20h – Estratégias de combate ao sedentarismo: o que fazer? – Prof. Dr. Adriano Lima Silva (UTFPR);
  • 20h-21h  Discussão – Coordenador: Prof PhD. Rafael Michel de Macedo | Prof. Dr. Adriano Akira (PUC-PR), Dr. Fernando Willington (Médico do Esporte do Hospital Cardiológico Costantini) e Prof. Dr. Adriano Lima Silva (UTFPR).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assine a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui