“Só faz sentido uma empresa existir se trouxer benefícios à sociedade”

“O movimento sobre o ESG influencia as empresas e organizações, com a consciência de que só faz sentido elas existirem se trouxerem algum benefício para a sociedade.” A análise é do especialista em ESG (sigla em inglês para as ações e estratégias de governança social e sustentável nas empresas) Marcelo Cardoso, integrador de transformações organizacionais com 25 anos de vivência executiva praticando a sustentabilidade.

Fundador da Chie (voltada a um ecossistema de empresas parceiras dedicadas ao ESG) e presidente do Instituto Integral Brasil, Cardoso é um dos convidados pelo Grupo WTC de ESG para a live “Líderes do Futuro: Influenciando os Princípios de ESG Na Cultura Organizacional”, na próxima terça-feira (13), às 19h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas nesse link. A iniciativa faz parte do Programa WTC de Competitividade, do World Trade Center (WTC) Curitiba, Joinville e Porto Alegre.

Mediada por Rafaelle Decks, head do programa WTC de Competitividade, a live vai contar também com o especialista Paulo Cruz Filho, co-fundador da We.Flow – Together for a Better World, negócio social voltado à expansão de consciência e de impacto de pessoas, comunidades, organizações e empresas.

“Minha primeira experiência em ESG, anos antes da sigla e do tema entrarem na agenda das empresas, foi no Hopi Hari, principal parque temático da América Latina, em que fui responsável por sua implantação. Depois, atuei na Natura e nos Laboratórios Fleury, também com ações de sustentabilidade. Fico feliz com o aumento da agenda do ESG no mundo. Empresas como a Natura têm nas questões sócio ambientais parte de sua identidade e cultura, direcionando os projetos de inovação. Acho que é o principal ponto: gerar impactos positivos para a sociedade. É positivo o ESG ganhar repercussão, porque ainda estamos longe de ser um direcionador dos negócios”, afirma Cardoso.

Nesse sentido, para o especialista, é fundamental ações e grupos de empresários interessados em colocar o ESG em prática. “Acho fundamental grupos como o de ESG no WTC, que promovem o debate sobre isso. Temos boas perguntas e quanto mais atores estiverem dialogando, mas poderemos construir soluções para avançar.”

Valores para a sociedade

Cardoso pontua que o que está sendo discutido com a agenda ESG, efetivamente, é a incorporação dos valores pela sociedade. “Com isso, nós ajudamos a incorporar na cultura da sociedade um olhar que não existia, até pouco tempo atrás, para as questões sócio ambientais de forma mais relevante. A empresa que não perceber, de verdade, sua relação com sociedade e com o planeta vai acabar perdendo sentido, mercado e colaboradores. É fundamental incorporar essas dimensões nos seus valores e cultura.”

Programa WTC de Competitividade

Os grupos temáticos que integram o Programa WTC de Competitividade reúnem executivos C-level representantes das principais empresas do Sul do Brasil em encontros bimestrais. “O Brasil ocupa apenas a 71ª posição dentre 141 países no ranking mundial de competitividade, segundo estudo anual do World Economic Forum. Existem muitas discussões pertinentes que precisam ser fomentadas no meio empresarial. Os grupos crescem a cada encontro, pois as empresas trazem seus cases e podemos discutir com mais profundidade cada tema”, afirma Josias Cordeiro da Silva, CEO do WTC Curitiba, Joinville e Porto Alegre.

Serviço:

Live “Líderes do Futuro: Influenciando os Princípios de ESG Na Cultura Organizacional”
Terça-feira 13 de abril, às 19h
Inscrições pelo link

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui