Críticas a exageros dos rostos artificiais de famosos criam tendência de naturalidade em tratamentos

Nada de rosto paralisado ou artificial: a nova moda, inclusive, das cirurgias é a naturalidade

Críticas a exageros dos rostos artificiais de famosos criam tendência de naturalidade em tratamentos
Happy mature woman admiring herself in the mirror

Recentemente, celebridades nacionais e internacionais apareceram na mídia com os rostos completamente mudados. Foi o suficiente para uma enxurrada de críticas sobre a sobrecarga de procedimentos estéticos e os resultados artificiais e exagerados em um momento em que a o anseio e a tendência mundial nos procedimentos é pela busca da naturalidade. De acordo com o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), as buscas por procedimentos estéticos continuam, mas a procura, agora, mostra uma característica cada vez mais forte: a busca por resultados naturais. “As técnicas evoluíram para conferir maior naturalidade aos pacientes, sempre respeitando seus traços. A ideia de uma aparência artificial após um procedimento já não é mais a tendência”, afirma o Dr. Mário, um dos pioneiros no Brasil e referência nacional da técnica de rinoplastia preservadora – procedimento menos invasivo para a cirurgia do nariz. Longe de aparentar um “rosto cirúrgico”, o melhor resultado para esse paciente é quando os amigos percebem que ele está na sua melhor versão, mas não associam isso necessariamente a uma cirurgia.

E resultado natural não quer dizer necessariamente procedimento não invasivo. Afinal, um dos grandes responsáveis pelo rosto paralisado e artificial é a toxina botulínica aplicada de maneira incorreta. De acordo com o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP, o fato de procedimentos não invasivos, principalmente injetáveis, terem o efeito passageiro modificou a procura por procedimentos, de modo que muitos pacientes desistiram do excesso de procedimentos não invasivos e apostaram em cirurgias plásticas que realmente têm um resultado definitivo. “Além da ausência de manutenções pré-determinadas, outro motivo que tem feito os pacientes optarem pelos invasivos é o conhecimento a respeito das técnicas e resultados cirúrgicos, que atualmente buscam mais naturalidade e evitam mudanças grandes que podem ser desarmônicas. Nesse caso, o principal a fazer é encontrar um cirurgião plástico experiente e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para que as expectativas correspondam ao resultado final”, diz o médico. “O médico deve levar em conta vários fatores para chegar a um resultado satisfatório e natural. Hoje já existe a possibilidade de simular o resultado digitalmente, o que deixa o paciente mais tranquilo. É sempre fundamental buscar ajuda de um médico para a indicação precisa do tratamento que deve ser feito”, lembra o Dr. Paolo.

O resultado distante do artificial é, na verdade, uma premissa muito séria em cirurgias plásticas. Para o médico, cada pessoa é totalmente diferente. Ainda é muito comum que os pacientes procurem o cirurgião plástico querendo ficar parecidos com alguma celebridade ou adquirir um nariz igual a um certo artista. Mas qualquer procedimento estético, inclusive os mais invasivos, deve ser feito com responsabilidade, levando em conta as características individuais e as necessidades de cada paciente. “A intenção de uma cirurgia plástica não é deixá-lo parecido com alguém, mas buscar a sua melhor versão de acordo com seus traços. Esses procedimentos serão realizados de acordo com a harmonia do rosto e é função do cirurgião orientar o paciente sobre os procedimentos mais adequados para cada caso”, diz o Dr. Mário.

Saber onde mexer é, também, um ponto chave. Você poderia imaginar, por exemplo, que uma rinoplastia pode ter efeito anti-idade? Quando a ponta nasal cai por conta da idade, uma rinoplastia pode ajudar. “A cirurgia do nariz também pode ter um efeito anti-idade, segundo um estudo publicado no começo do ano no periódico Aesthetic Surgery Journal. Esse é um procedimento que a maioria das pessoas não considera como ferramenta para o rejuvenescimento, mas esse estudo mostrou que a rinoplastia, ou cirurgia plástica do nariz, pode fazer uma mulher parecer até três anos mais jovem”, afirma o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez. O estudo, liderado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, usou um tipo de inteligência artificial conhecida como aprendizado de máquina. “Até agora, havia pouca ou nenhuma evidência científica objetiva para o efeito rejuvenescedor da rinoplastia. Mas essa tecnologia permitiu estimar com precisão a idade de maneira objetiva e provou reconhecer padrões e características do envelhecimento além do que o olho humano pode perceber”, diz o Dr. Paolo. A rinoplastia envolve fazer alterações estruturais no osso e cartilagem através de pequenas incisões no nariz e, quando necessário, ao redor da narina, enquanto o paciente está sob anestesia geral.

Além dos resultados mais naturais, outra tendência vista nos consultórios, segundo o dermatologista Dr. Abdo Salomão Jr, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, é a busca por: tecnologias ultrapotentes, procedimentos com sessões mais rápidas ao mesmo tempo em que oferecem menor nível de dor e inchaço, e tratamentos preventivos. “A ajuda da tecnologia é muito importante nessa busca por naturalidade”, afirma o médico.

Segundo o dermatologista Dr. Abdo Salomão, o paciente está de olho em novas tecnologias que possibilitem o tratamento Pró-aging de rugas e flacidez, com resultados menos artificiais, mas que ao mesmo tempo valorizem o bem-estar e autocuidado. A principal – e mais diferente – tecnologia dos últimos anos para esse fim é o plasma de baixa temperatura Surgical Derm. Indicado para rugas profundas, principalmente ao redor da boca e no pescoço, além de fazer o tratamento das sobrancelhas (blefaroplasma), Surgical Derm é um plasma endodérmico que penetra na pele através de pequenos orifícios chegando até a derme e promovendo contração. “Uma sessão do plasma traz mais resultado que 4 sessões de laser CO2, que é um procedimento extremamente dolorido. Ele é um plasma que faz a sublimação (passagem direta de uma substância do estado sólido para o estado gasoso) da pele, que não carboniza: isso é o grande diferencial. Existem outros plasmas, usados por esteticistas, que podem carbonizar, furar e queimar a pele. O Surgical Derm é um plasma frio que entra na pele com um orifício muito fino e se espalha na derme”, afirma o médico. Com isso, há uma grande contração da pele, que reduz de forma eficaz a flacidez e rugas com resultado percebido já na primeira sessão. Mas há outros equipamentos que despontam como forte tendência, como o laser de picossegundos Pico Ultra 300. “Ele emite pulsos de energia que produzem microvesículas de ar no interior da pele para promover o estímulo da neocolagênese e o alinhamento harmônico das fibras de colágeno e elastina, promovendo o rejuvenescimento da pele com redução da aparência das rugas e linhas de expressão e aumento da firmeza e da elasticidade. E, por produzir comprimentos de onda de 1064nm e 512nm, o equipamento age tanto na epiderme quanto na derme profunda, promovendo assim um tratamento global da pele”, finaliza o dermatologista.

FONTES:

*DR. ABDO SALOMÃO JR: Doutor em Dermatologia pela USP (Universidade de São Paulo). É sócio Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Membro da American Academy of Dermatology (AAD), Sociedade Brasileira de laser em Medicina e Cirurgia e do Colégio Ibero Latino Americano de Dermatologia. Professor universitário, Dr. Abdo Salomão Jr. ministra aulas nos principais congressos nacionais da especialidade. Além disso, já deu aulas na Austrália, Itália e Coréia do Sul. É uma referência em conhecimento de lasers e tecnologias para fins dermatológicos e estéticos. Diretor da Clínica Dermatológica Abdo Salomão Junior.

*DR. MÁRIO FARINAZZO: Cirurgião plástico, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o médico é especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Professor de Trauma da Face e Rinoplastia da UNIFESP e Cirurgião Instrutor do Dallas Rinoplasthy™ e Dallas Cosmetic Surgery and Medicine™ Annual Meetings. Opera nos Hospitais Sírio, Einstein, São Luiz, Oswaldo Cruz, entre outros. www.mariofarinazzo.com.br

*DR. PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui