Startups e cooperativas criam soluções inovadoras para o ramo imobiliário durante a pandemia de Covid-19

Carlos Massini – Presidente CICOM Cooperativa Habitacional

Inovações atrativas, somadas aos ajustes necessários para oferecer um serviço de qualidade ao consumidor, dão cara nova ao mercado neste momento atípico

A pandemia do novo coronavírus impactou negativamente a economia global e não foi diferente no Brasil. Empresas de todo território nacional foram forçadas a buscar novas soluções e tecnologias para conseguir se manter no mercado e enfrentar os desafios econômicos atuais. Segundo estatísticas do Ministério da Economia, um milhão de empresas fecharam as portas em 2020.

O ramo imobiliário, que ocupa uma posição de destaque na economia brasileira também sofre com o declínio econômico. Várias empresas neste ramo se viram obrigadas a encerrar as atividades. Quem conseguiu se manter precisou se reinventar e investir em ferramentas tecnológicas que foram essenciais para superar a crise e garantir o desenvolvimento robusto do setor.

Mas apesar da baixa decorrente da pandemia, muitos nichos relacionados ao mercado imobiliário conseguiram se manter aquecidos. Em 2020 o mercado de startups neste setor cresceu 23%, foi o que apontou um estudo realizado pela Terracotta Ventures, empresa de investimentos em negócios de tecnologia no setor de construção e mercado imobiliário. Contrariando as expectativas o mercado residencial fechou o ano com elevação de quase 10% nas vendas, 9,8% especificamente, segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Mesmo com os eventos que vem ocorrendo nos últimos dois anos, um grande número de proptechs (como são conhecidas as startups do setor imobiliário), emergiram, trazendo as adaptações necessárias para alcançar aqueles clientes que buscam por negociações, mas que precisam manter as medidas de segurança durante a pandemia.

O isolamento social e a mudança de comportamento do consumidor, bem como as novas regras de convivência que foram necessariamente impostas à sociedade, propiciaram a criação deste modelo de serviço.

Na mesma linha, as cooperativas habitacionais, que viram no consumo compartilhado uma opção de inovação para a aquisição da Casa Própria, oferecem inovações atrativas buscando soluções práticas e fazendo os ajustes necessários para oferecer um serviço de qualidade ao consumidor neste momento atípico.

Em São Paulo, a CICOM Cooperativa Habitacional, tem trabalhado fortemente nos últimos anos para construir moradias dignas, seguras e acessíveis à população. Com a pandemia da Covid-19 e o afastamento social, medidas foram tomadas para facilitar o acesso dos cooperados.

Com a pressão causada pela pandemia os consumidores de todos os tipos de serviços estão cada vez mais exigentes, o que nos leva a ousar na criatividade para oferecer para estes consumidores serviços e ferramentas ágeis e personalizadas que possam se adequar com a nova realidade que estamos vivendo”, observa Carlos Massini, Presidente da CICOM Cooperativa Habitacional.

Segundo Massini, o digital ganhou força na manutenção da conexão entre cooperativa e cooperados. A medida impulsionou a adesão de novos interessados ao longo dos últimos meses. “Ferramentas digitais, já usadas no dia a dia, foram renovadas para atendimento aos cooperados. Passamos a utilizar assinatura eletrônica para novas adesões, fizemos integralização de cotas-partes por meio digital, instalamos uma nova central de atendimento telefônico e WhatsApp para os sócios-cooperados”, explica Massini.

Outra inovação do setor imobiliário neste período é a possibilidade de visitas online, onde é possível apresentar o imóvel por meio de realidade virtual proporcionando passeios interativos pelo imóvel, informações detalhadas e ricas em especificações, assinaturas eletrônicas e negociação direto com o proprietário são alguns dos diferenciais oferecidos. As plataformas são apresentadas de forma clara, simples e atrativas e conversam bem com o público.

Diante desse momento complexo, o mercado imobiliário conseguiu se moldar às tecnologias e essas demandas por esse tipo de serviço tornaram-se um marco no setor, pois as propostas facilitadas e as ferramentas oferecidas pelas proptechs, trouxeram um novo olhar e ressignificaram o serviço prestado por construtoras e imobiliárias.

Sobre a CICOM

A CICOM é umas das cooperativas que atuam no estado de São Paulo promovendo o acesso social às habitações. O processo começa com a identificação de um terreno adequado a um projeto habitacional. Na sequência, inicia-se a abertura de cadastramento para que pessoas interessadas se unam com o objetivo de fazer as aquisições dos imóveis em uma compra com valor estabelecido em conjunto. Os cooperados acompanham todas as etapas envolvidas desde o início, conscientes de que a moradia sairá por preço de custo. Após este processo é desenvolvido o projeto de engenharia e, então, a cooperativa se encarrega de realizar arrecadações entre seus cooperados ou ainda, de buscar crédito e então contratar uma empresa construtora para executar as obras. A cooperativa dispõe hoje de diversos dispositivos de segurança que garantem a confiabilidade no processo, extinguindo mitos e conceitos que antes colocavam em dúvida os investimentos.

Saiba mais em www.cooperativacicom.com.br.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui