Duplicação da Rodovia das Cataratas deve começar ainda este ano

O início depende da licitação, com lançamento previsto para junho. Nesta quarta (2) houve a entrega da versão atualizada do projeto executivo da obra.

Duplicação da Rodovia das Cataratas deve começar ainda este ano

Até o final de junho deve ser lançada a licitação da duplicação do trecho de 8,7 quilômetros da BR-469, a Rodovia das Cataratas, em Foz do Iguaçu, na fronteira do Brasil com o Paraguai e a Argentina. Se esse prazo for cumprido, as obras começam ainda este ano e a previsão de entrega é para 2024. A informação foi confirmada pelo diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, nesta quarta-feira (2), durante a entrega simbólica do projeto executivo da duplicação, já aprovado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

A obra tem custo previsto de R$ 139,4 milhões, dos quais R$ 136,3 milhões serão financiados pela Itaipu Binacional. O governo do Estado fará a licitação e a gestão da obra, com prazo estimado para conclusão de 36 meses após o início. Para o general Ferreira, a duplicação vai garantir um novo status para o turismo da região. “Além de um corredor turístico mais bonito e seguro, Foz do Iguaçu estará ainda mais bem preparada para atender nossos visitantes”, afirmou. Segundo ele, quando entrar na fase das obras, “a duplicação ainda vai contribuir para a retomada da economia, com a geração de empregos”.

A versão finalizada do projeto executivo foi entregue pelo presidente do Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turística do Iguaçu (Fundo Iguaçu), Enio Eidt, ao general Ferreira durante solenidade no Centro Executivo da Itaipu, em Foz do Iguaçu.

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, participou da cerimônia e aproveitou para agradecer a Itaipu. “Temos mais de R$ 5 bilhões em obras em andamento no Paraná, e em grande parte delas temos o apoio da Itaipu. Essa será mais uma que vamos cumprir com seriedade e celeridade”, garantiu.

“Não é fácil fazer o projeto de uma rodovia federal localizada no perímetro urbano. Foi preciso fazer adaptações para atender a todas as necessidades”, disse o diretor-geral do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER), Fernando Furiatti Sabóia. “Mas o resultado é um projeto de excelência. O edital já está pronto para ser lançado e, em breve, teremos também uma obra de excelência”, completou.

Para o prefeito Chico Brasileiro, a duplicação vai “aumentar a autoestima” do povo iguaçuense. Ele também se comprometeu a dar início, com apoio do governo do Estado, às obras de revitalização do trecho urbano de 4 quilômetros, entre o Boicy e o trevo da Argentina. Também prometeu o início dos trabalhos em uma nova via que dê acesso ao aeroporto, a ser utilizada durante as obras na BR-469. “A Prefeitura tem o dever de também investir nesse conjunto de obras que estão deixando Foz do Iguaçu ainda mais preparada”, finalizou.

Projeto

O projeto executivo da duplicação da Rodovia das Cataratas foi elaborado em 2015, pela projetista Engemin, contratada pelo Fundo Iguaçu, com recursos de um convênio assinado na época com a Itaipu. No ano passado, após a assinatura do convênio entre Itaipu e o Governo do Estado para a execução das obras, o projeto foi retomado e revisado, levando em consideração dados atuais de ocupação dos bairros, fornecidos pela prefeitura de Foz do Iguaçu, para que a rodovia e suas intersecções atendam adequadamente a expansão da urbanização e o tráfego local.

A atualização do projeto foi financiada pelo Fundo Iguaçu, com um custo de R$ 561.141,80. O projeto prevê a construção de um viaduto, três trincheiras, uma ponte elevada (sobre o Rio Tamanduá), duas passarelas de pedestres, dois pontos de passa-fauna e uma rotatória em nível. Serão construídas pistas marginais em toda a extensão, assim como uma ciclovia bidirecional compartilhada.

Reivindicação antiga

A Rodovia das Cataratas tem 8,7 quilômetros de extensão e é o principal corredor turístico da região de fronteira. A via conecta Foz do Iguaçu ao trevo da Argentina e, depois, ao Aeroporto Internacional ao Parque Nacional do Iguaçu. A duplicação é uma reivindicação antiga e considerada uma obra de infraestrutura essencial para fortalecer o turismo regional. A duplicação já foi anunciada várias vezes, nos últimos 20 anos, mas nunca saiu do papel.

O presidente Jair Bolsonaro esteve em Foz do Iguaçu em agosto de 2020 para participar da solenidade do lançamento da pedra fundamental de duplicação da rodovia. A cerimônia de lançamento ocorreu no trecho rodoviário que liga a BR-469 ao Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. No mês seguinte, em setembro de 2020, foi assinado o convênio de parceria entre a Itaipu e o governo do Paraná.

Esse aporte faz parte de um conjunto de projetos estruturantes que somam mais de R$ 2,5 bilhões em investimentos da empresa na região, demonstrando o alinhamento com a estratégia do governo federal de priorizar obras de infraestrutura para contribuir com a recuperação econômica do País.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui