Festa Junina sem culpa e sem peso na balança

Nutricionista fala da importância da alimentação para a saúde e ensina receitas menos calóricas para celebrar o mês de São João
Junho é mês de celebrações de São João e do início do inverno, ocasiões que levam, tradicionalmente, a pensar em delícias gastronômicas e ao consumo de mais calorias. Ainda que nos dias frios o corpo “peça” alimentos calóricos para manter a temperatura corporal estável e as guloseimas juninas sejam uma tentação para os apaixonados por doces, é possível manter o equilíbrio à mesa.

De acordo com a mestre em alimentação e nutrição e coordenadora dos cursos de Saúde do UniCuritiba, professora Maria Fernanda Koch Temporal, seguir uma dieta equilibrada é essencial, seja qual for a ocasião ou a época do ano. “Mesmo no inverno, não há necessidade de alterar os hábitos alimentares, muito pelo contrário, é necessário que a alimentação seja saudável para que o sistema imune tenha um desempenho adequado, prevenindo doenças características da estação, como a gripe, por exemplo.”

Frutas, verduras e legumes devem ser mantidos no cardápio durante o inverno. A sugestão é apostar em diferentes modos de preparo, como a utilização de verduras e legumes em pratos quentes, caldos e sopas, que além de nutritivos são reconfortantes nos dias frios.

Festa junina em versão “mais leve”

Festas típicas famosas pelo cardápio super calórico – como o caso das guloseimas tradicionais de São João – não precisam ser excluídas da programação de quem prioriza a alimentação saudável.

A nutricionista Maria Fernanda lembra que os festejos juninos podem ser muito bem aproveitados com a adaptação de receitas e a substituição de ingredientes. Para ajudar nessa missão, ela ensina duas receitas.



Arroz doce integral:
Ingredientes:

2 xícaras de chá de arroz integral
1 litro de leite desnatado
1 unidade de leite de coco light
2 colheres de sopa de coco ralado
4 colheres de sopa de adoçante culinário em pó
2 pedaços de canela em pau
2 unidades de cravo da índia
Modo de preparo:

Deixe o arroz de molho em água quente por uma hora, escorra e adicione água novamente até cobrir e passar três dedos do arroz. Deixe cozinhar. Acrescente o restante dos ingredientes e deixe cozinhar em fogo baixo, mexendo de vez em quando, até obter a consistência desejada.


Doce de abóbora sem açúcar
Ingredientes

100 gramas de abóbora seca ralada
200 ml de suco de maçã
1 colher de café de canela em pó
Modo de preparo:

Em uma panela coloque a abóbora, o suco de maçã e a canela e deixe cozinhar até obter a consistência desejada.

Açúcar além do recomendado

Os cuidados e a preocupação com a Covid-19 levaram brasileiros a descuidar do que vai à mesa. Um estudo da Clínica Integrada de Atenção à Saúde do Centro Universitário Una, de Belo Horizonte, revelou que 40% dos pacientes analisados consumiram mais açúcar na pandemia do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Una e UniCuritiba integram o Ecossistema Ânima, uma das principais organizações de ensino superior do país.

A dica é dar preferência aos alimentos in natura. Isso porque a maioria dos produtos industrializados, explica a mestre em alimentação e nutrição Maria Fernanda Koch Temporal, tem em sua composição grande quantidade de açúcares, sódio e gorduras. Esses compostos contribuem para o ganho de peso e favorecem doenças crônicas não transmissíveis, como a obesidade, hipertensão arterial, hipercolesterolemia (colesterol alto), diabetes, entre outras.

Benefícios da água

Além da alimentação equilibrada, a ingestão adequada de água traz benefícios à saúde. A indicação, segundo a coordenadora dos cursos de Saúde do UniCuritiba, é consumir de 30ml a 40ml por quilo corporal ao dia. “Nosso organismo precisa de água para desempenhar todas as funções de maneira adequada, principalmente quando falamos em imunidade e prevenção de doenças”, ensina.

Outra recomendação é manter a rotina alimentar adequada, dividindo a ingestão diária em no mínimo seis refeições: desjejum, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia, todas compostas por alimentos in natura como frutas, verdura, legumes, além de ovos, carnes magras e sementes.



Sobre a Ânima Educação

Com o propósito de ‘Transformar o Brasil pela Educação’, a Ânima Educação é a 4ª maior organização educacional privada do País em número de estudantes e a 3ª em receita líquida, com um portfólio de marcas valiosas e um dos principais players de educação continuada na área médica. A companhia é formada por uma comunidade de aprendizagem com cerca de 350 mil pessoas, composta por mais de 330 mil estudantes e 18 mil educadores, distribuídos em 16 instituições de ensino superior.

Está presente em 12 estados, nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste, e em quase 550 polos de ensino digital por todo o Brasil. Integradas também ao Ecossistema Ânima estão oito marcas especialistas em suas áreas de atuação, como HSM, HSM University, EBRADI (Escola Brasileira de Direito), Le Cordon Bleu (SP), SingularityU Brazil, Inspirali e Learning Village, primeiro hub de inovação e educação da América Latina, além do Instituto Ânima.

Em 2021, a Ânima foi destaque no Guia ESG da revista Exame como uma das vencedoras na categoria Educação. Em 2020, foi reconhecida como uma das cinco empresas mais Inovadoras do País, na categoria Serviço, de acordo com o Anuário de Inovação do Valor Econômico; e conquistou, em 2019, o prêmio Mulheres na Liderança, na categoria Educação, iniciativa da ONG Women in Leadership in Latin America (WILL). Desde 2013, a companhia está na Bolsa de Valores, no segmento de Novo Mercado, considerado o de mais elevado grau de governança corporativa.

Últimas notícias

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui