Marcelo Perdido celebra diversidade no amor no clipe “Que Bom”

Aceitar o amor que você sente, independente de qual seja, é o tema da nova canção de Marcelo Perdido. “Que bom” antecipa seu próximo álbum e chega com um clipe de animação feito pelo próprio artista que dá vida a versos como: “tantas histórias de amor escritas sem considerar que as pessoas são diferentes e o coração não tem padrão.”

Assista a “Que Bom”: https://youtu.be/ygF7zIxw8_s 

Ouça “Que Bom”: https://smarturl.it/MarceloPerdidoQueBom 

“Essa música, e o disco todo, nasceram de um vontade de rever filmes românticos que fizeram sucesso e marcaram as pessoas da minha geração, mas ao revê-los me incomodou o fato das histórias parecerem sempre falar sobre o mesmo casal hétero, branco de cabelos e sorrisos perfeitos. Imaginei quantas pessoas diferentes desse padrão tiveram que fazer um exercício de abstração muito grande para poder se enxergar naquelas histórias de amor, e talvez nem tenham conseguido e cresceram sem isso. É bem triste, né? Então essa canção, e também o disco que vem por ai tenta pluralizar um pouquinho as histórias de amor, é um passo bem pequeno, mas na direção que acho que é a certa quando penso nesse sentimento”, reflete Perdido.

No álbum anterior, “Não tô aqui pra te influenciar” (2020), Marcelo Perdido refletia lutos e perdas de uma perspectiva ao mesmo tempo pessoal e memorialista, urbana e coletiva. O disco – considerado um dos melhores do ano passado pela APCA – mostrava um compositor maduro, mas agora ele quer dar um novo passo.

“Acho que eu percebi que não tenho mais medo de soar pop. Já tive muito, como se fazer uma música mais acessível fosse algo constrangedor, um lado meu que eu tinha que fugir, não mostrar”, revela ele.

Marcelo faz de sua música uma apropriação da brasilidade e da MPB como uma ponte entre o pop e o alternativo. Suas canções, como o próprio artista define, “são feitas para aqueles que se sentem perdidos”. Ele tem em sua discografia solo cinco álbuns: “Lenhador” (2013), “Inverno” (2015), “Bicho” (2016) e “Brasa” (2019) e “Não tô aqui pra te influenciar” (2020). Videomaker, ele também lançou recentemente um longa-metragem com o mesmo nome de seu trabalho de 2019, onde entrevista artistas sobre a criação de discos.

Assista ao filme “Brasa”, de Perdido e Bruno Graziano: https://youtu.be/spQxbiueV4E

Com produção de Habacuque Lima (Ludov, Pullovers), que também tocou guitarra e sintetizadores, a faixa conta com baixo de André Whoong, bateria por Matheus Souza (Tiê) e teclas, cordas e trompete por Danilo Andrade (Jorge Ben Jor, Gilberto Gil). “Que Bom” está disponível em todas as plataformas de streaming.

Assista a “Que Bom”: https://youtu.be/ygF7zIxw8_s 

Ouça “Que Bom”: https://smarturl.it/MarceloPerdidoQueBom 

Ficha técnica:

Produção, guitarra e sintetizadores: Habacuque Lima 

Composição, letra, violão e voz: Marcelo Perdido

Bateria: Matheus Souza

Teclas, cordas e trompete: Danilo Andrade 

Baixo: André Whoong

Gravada no Estúdio Trampolim, São Paulo em Junho de 2021

Mix :  Alejandra Luciani

Master: Artur Joly

Selo: CENA© – Grupo POPLOAD

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER


spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui