Chegada do frio alerta para a importância da vacina da gripe

Menos de 30% dos idosos e professores compareceram a unidades de saúde para tomar vacina da gripe na segunda fase da imunização

As baixas temperaturas registradas em Curitiba acendem o alerta para a vacinação da gripe. A segunda fase da imunização comtemplou 15,3 milhões de pessoas – menos da metade das 33 milhões esperadas pelo Ministério da Saúde. A cobertura vacinal dos grupos prioritários, no Paraná, ficou em 83,91%. A terceira fase teve início dia 3 de junho para toda a população.

Nas clínicas de vacinação, a opção disponível é a tetravalente, composta por quatro tipos de cepas do vírus influenza, sendo duas do tipo A (H1N1 e H3N2) e duas do tipo B, dependendo do vírus circulante no ano anterior. A imunização é indicada a partir dos seis meses de idade. Segundo a enfermeira especialista em vacinação da Clínica Vacinne, Renata Quadros, quem nunca tomou a vacina até 8 anos de idade deve receber duas doses, com intervalo de 30 dias. Maiores de 8 anos ou pessoas que já realizaram a vacinação em anos anteriores, a dose é única. “A vacina só é contraindicada para pessoas com alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou a dose anterior, ou quem apresente febre no dia da vacinação”, alerta.

A chegada do inverno contribui para a disseminação das doenças respiratórias e virais. “Como os ambientes ficam mais fechados, com menos circulação de ar, aumenta a circulação de vírus e bactérias, como o vírus da gripe”, lembra. “A pandemia do COVID-19 trouxe à tona a importância da vacinação. Tomar a vacina da gripe deixa o corpo mais forte e preparado e contribui também para não sobrecarregar o Sistema Único de Saúde, já que os sintomas iniciais são muito parecidos com os do coronavírus”, lembra.

Para quem já tomou a vacina da COVID-19, é recomendado um intervalo de 14 dias entre qualquer outra vacina. Renata alerta também para a importância das vacinas pneumocócicas, que podem ser realizadas no mesmo momento da vacina contra a gripe, e podem prevenir casos de pneumonia, meningite e sepse. “Além de proteger o organismo, a vacinação contribui para que o vírus não circule entre a população e atinja um maior número de pessoas”, completa.

A Clínica Vacinne funciona de segunda a sexta, das 7h às 18h, e aos sábados das 7h às 13. Para mais informações e agendamento das vacinas, é possível entrar em contato pelo whatsapp 41 99610-0337 ou pelo telefone 41 3077-3290.

Sobre a Clínica Vacinne:

Com foco no diagnóstico, prevenção e controle de doenças, a Clínica Vacinne conta com uma gama completa de vacinas exigidas pelo Calendário Nacional de Vacinação, em um amplo e moderno espaço, possibilitando que todo o processo, desde a chegada, documentação e aplicação da vacina, aconteça da forma mais rápida possível, diminuindo o tempo de permanência na clínica e possíveis tensões. Anexo, um posto de coleta LANAC – Laboratório de Análises Clínicas, realiza mais de dois mil tipos de exames e traz a segurança e excelência dos serviços prestados há 30 anos. A Clínica Vacinne fica no Ahú, na Av. Anita Garibaldi, 2075.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui