Opções não invasivas de contorno corporal tornam-se primeira opção em vez da lipoaspiração

A lipoaspiração sofre com a concorrência dos procedimentos não invasivos que, na mesma sessão, diminuem gordura e estimulam até os músculos. Grande trauma gerado e longo tempo de recuperação exigido pela cirurgia priorizaram busca por tratamentos não invasivos que tratam pele, gordura e musculatura.

lipoaspiraçãoPor muitos anos, a lipoaspiração e suas modalidades figuraram entre os tratamentos mais populares para combater a gordura localizada e devolver uma silhueta mais definida ao contorno corporal. No entanto, fatores como a rotina cada vez mais corrida, a ‘agressividade’ do procedimento e o longo tempo de recuperação da lipoaspiração estão fazendo com que esse cenário mude, com a procura pelo procedimento sendo substituída pela busca por tratamentos menos invasivos – que a cada ano oferecem uma concorrência ainda mais difícil, já que os aparelhos estão conseguindo até mesmo aumentar os músculos. “Atualmente, a procura por procedimentos não-invasivos de redução de gordura e recuperação do contorno corporal está aumentando, já que os pacientes têm dado prioridade a tratamentos que não necessitem de repouso para poderem retomar suas atividades rotineiras mais rapidamente. Além disso, a não necessidade de internação hospitalar e anestesia também são fatores que estão fazendo com que os métodos menos invasivos sejam priorizados”, explica o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Felizmente, graças ao avanço tecnológico, já é possível, em muitos casos, obter um resultado próximo ao cirúrgico com abordagens não-invasivas por meio do tratamento, combinado ou não, de estruturas como a gordura, a musculatura e a pele. “Por exemplo, a segunda geração da tecnologia HIFEM (High-Intensity Focused Electromagnetic), disponível no aparelho T Sculptor, permite ao paciente fazer um treino muito mais forte e pesado, já que são contrações supramáximas, do que ele conseguiria na academia. Ou seja, quem contrai para ele é o equipamento, que recruta todas as fibras musculares e estimula a hipertrofia além de diminuir gordura localizada”, diz o dermatologista Dr. Abdo Salomão JR., Doutor em Dermatologia pela USP e referência nacional e internacional em lasers e tecnologias não invasivas.

No caso da eliminação da gordura, uma das melhores alternativas à lipoaspiração atualmente disponíveis no mercado continua sendo a criolipólise, que é considerada o tratamento padrão ouro na redução de gordura de forma não invasiva. “A tecnologia é baseada no congelamento das células gordurosas, que são muito mais sensíveis às baixas temperaturas do que os tecidos ao redor e as camadas da pele subjacentes. Dessa forma, após a sessão, que dura em média uma hora, as células que sofreram apoptose, ou seja, autodestruição por terem sido submetidas ao congelamento focado e controlado pela tecnologia utilizada no aparelho, são naturalmente eliminadas pelo organismo de forma progressiva”, destaca o Dr Paolo. Há um resultado esperado de até 25% de diminuição da gordura localizada.

Para potencializar a eliminação da gordura e a readequação do contorno corporal, é possível investir também no tratamento da musculatura através de uma nova classe de equipamentos que constroem, fortalecem e tonifiquem o musculo por meio da simulação dos exercícios intensos realizados durante os treinos, como é o caso do T Sculptor. “O T Sculptor é uma tecnologia não invasiva que ao entrar em contato com a pele gera campo eletromagnético focado de alta intensidade capaz de estimular o músculo por meio de contrações contínuas e intensas. São cerca de 36 mil contrações em cada sessão de 30 minutos, proporcionando assim hipertrofia muscular com consequente aumento do volume da musculatura, redução de gordura devido a ampliação do gasto calórico e, dependendo do protocolo realizado, até mesmo aumento da força muscular”, explica o dermatologista Dr. Abdo. Sendo realizado em oito sessões com intervalo mínimo de 48 horas entre elas, o T Sculpor ainda é capaz de produzir dois diferentes formatos de onda para que não haja risco de lesão muscular. “Enquanto no formato trapezoide, indicado para o público masculino, o pico de energia é realizado de maneira única e mais intensa para fazer com que o músculo contraia, no formato platô, recomendado para mulheres, não há pico de energia, que é liberada de forma mais branda e nivelada”, completa.

Uma vez tratada a gordura e musculatura, alterações que antes não causavam tanto desconforto estético podem tornar-se mais evidentes, como a flacidez, que também prejudica o contorno corporal. Por isso, é interessante também a realização de procedimentos que atuem especificamente na melhora da qualidade da pele, estimulando a produção de colágeno para aumentar a firmeza do tecido cutâneo e melhorar a silhueta do corpo. Um grande aliado nesse sentido é o ultrassom microfocado. “Indicado para o tratamento de flacidez, o ultrassom microfocado é um procedimento que gera ondas de ultrassom que conseguem atingir as camadas mais profundas da pele, aquecendo-as e, consequentemente, estimulando a produção de novas fibras de colágeno, o que torna a pele mais firme e jovem”, diz a Dra. Roberta Padovan, médica pós-graduada em Dermatologia e Medicina Estética. “Rápido e sem downtime, os resultados do procedimento surgem cerca de três meses após a sessão, pois é o tempo que o organismo leva para produzir totalmente o colágeno estimulado”, afirma.

Os três tratamentos não invasivos não contam com o chamado downtime, ou tempo de recuperação, que no caso da cirurgia costuma ser mais longo. “O paciente realiza o procedimento e volta às atividades normais no mesmo dia”, explica o Dr. Abdo.

Mas vale ressaltar que os procedimentos não-invasivos, assim como quaisquer outros, possuem limitações. Logo, é sempre importante consultar um médico especializado para discutir todas as suas opções para adquirir uma silhueta corporal mais harmônica, já que devem ser levados em consideração fatores como quantidade de gordura a ser retirada, presença de flacidez e disponibilidade para repouso pós-operatório. “Em casos em que o paciente deseja retirar gordura localizada e apresenta nenhum ou pouco excesso de pele, a criolipólise segue como a melhor opção. Mas se a quantidade de gordura a ser retirada for maior ou se houver grande quantidade de flacidez de pele associada, ou ainda se o paciente quiser e precisar de um tratamento rejuvenescedor como a lipoenxertia (que injeta a própria gordura do paciente para rejuvenescer), o mais indicado é optar mesmo pela lipoaspiração. Ou seja, o mais importante é que o tratamento seja individualizado e indicado por um médico especializado de forma a garantir os melhores resultados com maior segurança e conforto para o paciente”, finaliza o Dr Paolo Rubez.

FONTES:

*DR. ABDO SALOMÃO JR: Doutor em Dermatologia pela USP (Universidade de São Paulo). É sócio Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Membro da American Academy of Dermatology (AAD), Sociedade Brasileira de laser em Medicina e Cirurgia e do Colégio Ibero Latino Americano de Dermatologia. Professor universitário, Dr. Abdo Salomão Jr. ministra aulas nos principais congressos nacionais da especialidade. Além disso, já deu aulas na Austrália, Itália e Coréia do Sul. É uma referência em conhecimento de lasers e tecnologias para fins dermatológicos e estéticos. Diretor da Clínica Dermatológica Abdo Salomão Junior.

*DRA. ROBERTA PADOVAN: Médica Pós-graduada em Dermatologia. Graduada em Medicina pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e especialista em Medicina Estética e Dermatologia pela INCISA. Com participação regular em congressos, jornadas e cursos nacionais e internacionais, a médica é proprietária de duas clínicas, no no Maranhão e em São Paulo, com diversos tratamentos para saúde e beleza da pele. Além disso, atuou como médica residente no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. www.robertapadovan.com.br

*DR. PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade, e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui