EntretenimentoCulturaOverdrive Saravá se transforma e evolui no segundo álbum, “CIGARRA”

Overdrive Saravá se transforma e evolui no segundo álbum, “CIGARRA”

A banda Overdrive Saravá faz de sua música um processo de luta desde o início de sua jornada. Se antes o peso do som era o destaque, agora o foco é no peso da mensagem. Com cinco faixas, o EP “CIGARRA” traz essa simbologia da transformação e mudanças que o inseto carrega, junto com a poesia de ter uma pausa para a arte. Com uma versão de Gonzaguinha e participações especiais de André Prando, Jan Santoro, Julia Sorrentino e Gilber T, o trabalho está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “Cigarra”: https://smarturl.it/CigarraOS

Unindo mensagens da MPB do passado com palavras atuais, a banda deixa claro que os desafios sociopolíticos são enormes e profundos. A terra e o direito de viver de modo justo surgem em diversos pontos do projeto, mas a Overdrive Saravá não esquece de destacar a necessidade de manter a saúde mental e o equilíbrio pessoal como parte da mudança.

Atualmente formada por Gregory Combat (voz), Matheus Freire (baixo), Thiago Henud (guitarra) e Caio Dalmacio (bateria), a Overdrive Saravá foi de um projeto que nasceu entre amigos de faculdade para se tornar um dos expoentes da música feita no RJ. Baseada em Niterói, a banda está na ativa desde 2012 e lançou em 2016 seu primeiro álbum, homônimo, chamando atenção da mídia especializada e marcando presença nas listas de melhores lançamentos daquele ano. Já mirando no sucessor desse trabalho, Overdrive venceu o primeiro concurso Toca Que Eu Te Escuto, onde ganhou horas de estúdio para trabalhar em “CIGARRA” e enfrentou mais de 100 outros inscritos.

A ideia de cruzar ritmos, gêneros e intenções artísticas segue forte no DNA do projeto, agora abarcando mais referências, influências, tempo de estrada. A partir de parcerias e trocas com artistas de diversas áreas – artes cênicas e plásticas, dança e audiovisual -, surgiu um trabalho que busca no folclore, na música e nas tradições brasileiras a sua expressão.

Esse olhar se traduz até na capa de cada single e também do álbum, culminando em uma ilustração da cigarra do título – que, na analogia das canções, canta para anunciar dias melhores. Unindo antigos e novos parceiros, o grupo gravou no Estúdio Quintal, de Renan Carriço, também responsável pela mixagem; e tem a produção de “CIGARRA” assinada por Jan, ambos membros da banda Facção Caipira. O EP ainda conta com a participação de Julia Sorrentino (em “Entrevero”). João Brasil assina os vídeos e teasers, enquanto Mulambö cuidou de todas as artes de capa e fotos de divulgação.

“Cigarra” está disponível nas plataformas de música, em um lançamento do selo Camarada.

 

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui