Um terço dos atendimentos de lesões traumáticas nos hospitais é de idosos

Maioria das fraturas acontece dentro de casa. Saiba como prevenir

No dia 26 de julho é comemorado o Dia dos Avós. Mais do que parabenizar essas pessoas, é fundamental cuidar da sua segurança mesmo dentro de casa. Segundo informações da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, um terço dos atendimentos por lesões traumáticas nos hospitais é de pessoas com mais de 60 anos, sendo que 75% das lesões ocorrem justamente dentro de suas residências.

Durante a pandemia, essas lesões ficaram ainda mais comuns. O médico ortopedista e traumatologista Dr. Mário Armani, coordenador do Pronto Atendimento Ortopédico do Hospital São Vicente Curitiba, revela que foi observado um aumento nos atendimentos de fraturas e lesões em idosos por permaneceram mais em isolamento. No Paraná, dados do SAMU confirmam que em 2020 houve um aumento de 26,5% no número de atendimentos a idosos devido a quedas que sofreram em seus domicílios.

“A casa é um ambiente onde há muitos obstáculos, muitos objetos pelo caminho e isso acaba causando acidentes. Somado a isso, os idosos têm perda de reflexos”, aponta o médico. Com o envelhecimento, ocorre um aumento da fraqueza muscular, levando a dificuldades de controle de equilíbrio, além de ocorrer um aumento do déficit visual e auditivo. “Há um comprometimento de todas as funções, diminui toda a atividade reparativa do organismo, além da osteoporose. Isso faz com que pequenos esbarroes, tropeços causem uma queda com potencial fratura”, alerta.

A osteoporose é comum na terceira idade. Em todo o mundo, de acordo com informações do Ministério da Saúde, as fraturas pela doença afetam uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens com mais de 50 anos.

A doença leva a um enfraquecimento dos ossos, que ficam mais porosos, dificultando ou até impossibilitando a cicatrização. “O tratamento somente com mobilização é menos frequente em pessoas com mais idade, já que os ossos têm menos resistência”, alerta o Dr. Mário Armani. Com isso, a maioria dos casos de fraturas em idosos acaba necessitando de cirurgia e, consequentemente, internações e maior tempo para a reabilitação.

Como prevenir as quedas?

O médico salienta que atitudes simples podem ajudar a evitar os acidentes domésticos, mas nem sempre são adotadas pelas pessoas. Confira o que deve ser feito para prevenir as quedas:

  • Evite tapetes em casa, principalmente aqueles que não são antiderrapantes. “Alguns idosos reclamam de pisar no chão frio quando acordam. Nesse caso, procure um tapete bem fino, que não tenha aquelas pontas soltas e sempre antiderrapante”, observa o médico. Mas, o ideal é não ter tapetes;
  • No banheiro, é fundamental colocar tapetes emborrachados ou outros tipos de proteção antiderrapante. Para aqueles que tem maiores dificuldades de mobilidade também é recomendado colocar barras de apoio perto do vaso sanitário e no box;
  • Evite também andar em pisos molhados ou encerar a casa;
  • É recomendado o uso de sapatos fechados e que não tenham solas escorregadias. Usar somente meias ou sapatos de lã e pano para ficar em casa deve ser evitado também, exceto aqueles que têm proteção antiderrapante;
  • Caso tenha escadas em casa, sempre coloque corrimão;
  • Se possível, deixe o interruptor de luz próximo da cama, de forma que possa ser alcançado sem levantar ou fazer esforço. Ainda nunca levante da cama rapidamente, sempre procure sentar antes;
  • Nunca ande pela casa no escuro, acenda as luzes para ver onde está indo;
  • Procure deixar espaços maiores para circulação e evite deixar fios e outros objetos pelo caminho;
  • Medicamentos e outros itens de uso diário devem ser colocados em locais de fácil acesso. Evite guardar objetos em lugares complicados de alcançar.

Sobre o Hospital São Vicente-FUNEF
Fundado em 1939, o Grupo Hospitalar São Vicente-FUNEF é composto pelo Hospital São Vicente Curitiba e pelo Hospital São Vicente CIC, que atendem a diversas especialidades, sempre pautados pela qualidade e pelo tratamento humanizado. Referência em transplantes de fígado e rim e nas áreas de Oncologia e Cirurgia, desde 2002, o Grupo é mantido pela Fundação de Estudos das Doenças do Fígado Kotoulas Ribeiro (FUNEF).

O Hospital São Vicente Curitiba é um hospital geral que atende alta complexidade. Em uma estrutura moderna, conta com pronto-atendimento, centros médico, cirúrgico e de exames, UTI, unidades de internação e centro de especialidades. Possui o selo de certificação intermediária de transplantes hepático e renal da Central Estadual de Transplantes do Paraná e seu programa de Residência Médica é credenciado pelo Ministério da Educação (MEC) nas especialidades de Cirurgia Geral, Cirurgia Digestiva, Cancerologia Cirúrgica e Radiologia.

A instituição integra ainda a lista de estabelecimentos de saúde que atendem ao padrão de qualidade exigido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, órgão regulador vinculado ao Ministério da Saúde. Mais informações no site www.hospitalsaovicente.com.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui