Work Package, a terceirização nas empresas evoluiu 

Todo cliente que precise de serviços em tratamento de pedidos pode contar com a terceirização para liberação e confronto de vendas. O conhecido backoffice, faz a conferência total dos dados, liberando o negócio para seguir com sua expertise.

Renato Pádua, Gerente Comercial da CWBem, explica que o sistema é adaptável para diferentes necessidades internas: “Uma grande construtora que comercializa imóveis, que tenha lojas espalhadas em todo o Brasil, por exemplo, pode através da terceirização, executar tarefas como o check list de todos os clientes, receber documentação, dar entrada de sistema e fazer verificações burocráticas. A construtura só se preocupa em criar e entregar seus imóveis, não há desvio de foco” explica Pádua.

A empresa renuncia a um departamento que não é seu core business, deixando de investir em um setor improdutivo e assim evitando falhas na entrega.

Modelo é pensado no atual momento
Com a massiva migração de empresas para o online e com a demanda reprimida e pouco experiente de entrega e distribuição o mercado demandava expertise, e rápido:

“Na capital do Paraná, por exemplo, criamos o backoffice logístico para uma grande montadora seguindo o conceito de work package, um plano de trabalho que é a evolução do backoffice específico para determinadas categorias de atividades. Podemos trabalhar com a cross docking, uma área na logística responsável por movimentar, em tempo real, entrada e saídas 24 horas”

Neste sistema, o produto entra por um lado e sai por outro, com parte da equipe de backoffice fisicamente no cliente e outra parte cuidando do fluxo remotamente:

“Podemos englobar os dois lados da ponta logística simultaneamente, um avanço, tendência mundo afora. A empresa só precisa se preocupar em fazer o seu produto, liberando a logística para quem realmente entende do assunto e não criará gargalos” completa Renato.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui