Com investimentos públicos e privados, Porto de Paranaguá se expande a oeste do cais

Investimentos públicos e de empresas privadas fazem com que o Porto de Paranaguá se expanda no setor a oeste do cais. São obras iniciadas nos últimos meses, que somam R$ 412,7 milhões e são realizadas pela empresa pública Portos do Paraná, Pasa, CAP e Klabin. O resultado será o aumento da produtividade dos embarques e desembarques de cargas naquela parte do cais.

“Os investimentos privados foram intensificados com a ampliação do berço 201 e a aquisição de dois novos carregadores de navio, entregues em 2020. No ano passado, somente os investimentos públicos somaram R$ 201,7 milhões”, destaca o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

“A modernização feita pela empresa pública, com novos shiploaders e extensão do cais, possibilitou a entrada de mais terminais exportadores. Eles se conectam ao eixo comum público, nos moldes do Corredor de Exportação Leste”, explica Garcia.

Segundo ele, os esforços do poder público têm sido fundamentais na atração de investimentos privados. “As empresas e operadoras portuárias somam forças para ampliar ainda mais a competitividade e o potencial de negócios, o que reflete diretamente no desenvolvimento da economia de toda a região”, completa.

PÚBLICO – Em julho, a empresa pública Portos do Paraná deu início à demolição do antigo silo, que ocupa uma área importante, de mais de 2 mil metros quadrados, na ponta oeste do cais. O armazém está obsoleto, em desuso desde 2009. Sem ele, novos espaços operacionais serão criados.

INICIATIVA PRIVADA – As empresas arrendatárias percebem novas oportunidades de crescimento e dois novos terminais se erguem na ponta oeste do Porto de Paranaguá. Dentro da faixa primária, a Klabin já iniciou a construção de um armazém para celulose e bobinas de papel. Na retroárea, o Toex se prepara para atender graneis de exportação. Além disso, a empresa Pasa, que também opera graneis sólidos, recebeu esta semana, da Agência Nacional de Transporte Aquaviários (Antaq), autorização para dar início à primeira fase do projeto de expansão.

“As obras no lado oeste trazem novas perspectivas para atividade portuária. Assim, ao mesmo tempo que atende plenamente as demandas atuais, a Portos do Paraná investe no futuro, dando oportunidade aos nossos usuários para operarem com eficiência”, afirma o diretor de Operações da empresa pública, Luiz Teixeira da Silva Junior.

ATUALIZAÇÃO PASA – Em setembro do ano passado, com a renovação do contrato de arrendamento aditado no final de agosto, a empresa Pasa Paraná Operações Portuárias S/A recebeu autorização para realizar investimentos de R$ 117,7 milhões no lado oeste do cais.

Na primeira fase, que deve ser concluída até março de 2022, a empresa construirá uma nova linha de embarque e instalará um novo shiploader, para movimentar até 2,5 mil toneladas/hora. Com a autorização da Antaq, a empresa agora aguarda a autorização da Portos do Paraná para seguir com as obras previstas para a etapa inicial da expansão. A segunda fase, prevista para março de 2023, será a construção de um novo armazém.

TOEX – O Terminal Oeste (Toex) já está, desde o início do mês de agosto, com alvarás e licenciamentos prontos para iniciar a construção de um armazém com capacidade estática para até 88 mil toneladas de graneis sólidos de exportação (soja, farelo, milho). Com a construção do silo, a empresa vai se interligar, em 843 metros de esteiras já construídas, à estrutura pública de operação no berço 201

CAP TERMINAIS – A Cavalca Administração Portuária investiu cerca de R$ 100 milhões na construção de novas esteiras que ligam o armazém – com capacidade estática para 55 mil toneladas – ao berço 201. O terminal começou a embarcar no cais oeste em março deste ano.

CONTATO COM O COLUNISTA    pietrobellinantonio0@gmail.com

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui