Covid-19: há razão para temer ou escolher a vacina?

Biomédico fala sobre a importância e a urgência da imunização no Brasil. Paraná vacinou cerca de 69% da população com pelo menos uma dose
Biomédico fala sobre a importância e a urgência da imunização no Brasil. Paraná vacinou cerca de 69% da população com pelo menos uma dose
O Paraná ultrapassou a marca de 8 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 aplicadas no Estado. A expectativa da Secretaria Estadual de Saúde é vacinar 100% do público-alvo até setembro com a primeira dose ou dose única. Até o início de agosto, 69,5% da população paranaense adulta já tinha iniciado a imunização e 26,5% tinham completado o esquema vacinal.

No Brasil, o total de doses distribuídas superou 130 milhões. Em números absolutos, o país ocupa a quarta posição. Proporcionalmente, era o 66º colocado no ranking global no final de julho, segundo o Our World in Data, uma plataforma alimentada por pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

De acordo com especialistas, para que a circulação do vírus seja considerada sob controle no país, é necessário que cerca de 70% dos brasileiros tenham completado o ciclo vacinal.

Além das questões políticas envolvendo a compra das vacinas e do atraso no início da imunização, as fakenews contribuíram para tornar o ritmo da vacinação ainda mais lento. Com dúvidas sobre a eficácia, a segurança e as reações adversas dos imunizantes, muita gente reluta em procurar o serviço de saúde ou desistiu de tomar a segunda dose. Mas, afinal, há razão para temer as vacinas?

Professor do curso de Biomedicina do UniCuritiba – instituição que faz parte da Ânima Educação, uma das maiores organizações educacionais de ensino superior do país –, o especialista em imunologia Thiago Massuda diz que as vacinas são totalmente confiáveis, seguras e validadas por estudos sérios de instituições de prestígio reconhecidas internacionalmente. “Além disso, para serem autorizadas no Brasil, passaram pela aprovação de órgãos competentes como a Anvisa.”

Comprometimento da população

Agora que as vacinas estão chegando mais rapidamente aos estados, é hora do engajamento da população. Na avaliação do biomédico, as questões políticas devem ser deixadas de lado. “Para vencer a pandemia, precisamos do comprometimento de todos. É importante que as pessoas confiem no trabalho dos pesquisadores e estejam tranquilas para tomar a vacina.”.

Thiago Massuda explica que, com mais de 4 bilhões de doses de imunizantes contra a Covid-19 aplicadas em todo o mundo, não há motivo para que os brasileiros tenham medo das reações adversas. “Não temos registros de efeitos adversos graves e todas as vacinas que tomamos ao longo da vida podem causar algum efeito colateral ou incômodo leve, mas ainda assim seu benefício é imenso.”

Segurança comprovada

O professor explica que as vacinas “ensinam” o sistema imunológico a produzir anticorpos, ampliando a defesa do organismo contra as doenças. No caso dos imunizantes contra a Covid-19, a maioria utiliza tecnologias conhecidas, com vírus inativados (mortos) ou adenovírus (vírus inofensivo). Mesmo as mais inovadoras, que utilizam a molécula RNA, foram amplamente testadas e tiveram sua segurança e eficácia comprovadas.

“Nenhum imunizante foi feito às pressas sem os devidos testes e acompanhamentos. Muita gente desconfiou da agilidade com que essas doses chegaram ao mercado, mas a ciência evolui. Quando sequenciamos o genoma humano pela primeira vez, levamos dez anos. Hoje, fazemos isso em poucas horas”, compara.

Com a produção das vacinas contra a Covid-19, continua o especialista, a lógica foi a mesma: pesquisadores utilizaram o conhecimento que já tinham e o mundo inteiro somou esforços para acelerar os resultados diante de uma pandemia.

“Foi assim que conseguimos vacinas prontas tão rapidamente, com todos os estudos e cuidados necessários. Não há motivos para ter medo ou para escolher entre um ou outro fabricante. O fundamental é se vacinar e completar o protocolo, tomando a segunda dose quando indicado”, finaliza Thiago.



Sobre a Ânima Educação

Com o propósito de ‘Transformar o Brasil pela Educação’, a Ânima Educação é o maior ecossistema de educação de qualidade do país, com um portfólio de marcas valiosas e um dos principais players de educação continuada na área médica. A companhia é formada por uma comunidade de aprendizagem com cerca de 350 mil pessoas, composta por mais de 330 mil estudantes e 18 mil educadores, distribuídos em 18 instituições de ensino superior.

Está presente em 12 estados, nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste, e em quase 550 polos de ensino digital por todo o Brasil. Integradas também ao Ecossistema Ânima estão oito marcas especialistas em suas áreas de atuação, como HSM, HSM University, EBRADI (Escola Brasileira de Direito), Le Cordon Bleu (SP), SingularityU Brazil, Inspirali e Learning Village, primeiro hub de inovação e educação da América Latina, além do Instituto Ânima.

Em 2021, a Ânima foi destaque no Guia ESG da revista Exame como uma das vencedoras na categoria Educação. Em 2020, foi reconhecida como uma das cinco Empresas mais Inovadoras do País, na categoria Serviço, de acordo com o Anuário de Inovação do Valor Econômico; e conquistou, em 2019, o prêmio Mulheres na Liderança, na categoria Educação, iniciativa da ONG Women in Leadership in Latin America (WILL). Desde 2013, a companhia está na Bolsa de Valores, no segmento de Novo Mercado, considerado o de mais elevado grau de governança corporativa.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui