Espaços abertos são tendência também para o pós pandemia

Com o avanço da vacinação e a reabertura de diversas atividades pela cidade, começa-se a pensar no que continua e o que muda na rotina das pessoas. O funcionamento de estabelecimentos é um desses pontos de interesse. Os bares, geralmente mais descontraídos do que restaurantes, acabaram por funcionar de maneira mais restrita. Uma tendência que vinha se desenvolvendo e acabou se estabelecendo de vez foi o conceito de espaços abertos.

Bares híbridos (com uma área interna e outra externa) e os street markets que agregam diversas operações em ambientes amplos tiveram maior atenção. Pela facilidade de seguir protocolos de distanciamento, ganharam destaque como opção viável nos momentos mais brandos da pandemia. “Ambientes pequenos e fechados, antes vistos como acolhedores, passaram a ser encarados como lugares de risco”, opina José Araújo Netto, sócio-fundador de bares como o Quermesse e Bar do Açougueiro, e as redes Porks – Porco & Chope e Mr. Hoppy.

 

No Quermesse, por exemplo, além da parte interna da casa existe uma área externa. Mesas afastadas entre si e cobertas com ombrelones proporcionam mais conforto enquanto seguem os protocolos. Mesmo em dias mais frios, os lugares da parte aberta do bar recebem bastante luz solar e são um grande atrativo. A tendência é que, no verão, com maior número de vacinados e menores riscos, a área seja ainda mais disputada.

 

Os street markets são outra opção que se destacou no período. O Tropicool, localizado próximo à Praça do Japão, é voltado de frente para a Av. Sete de Setembro, em ambiente bem ventilado, e ao mesmo tempo protegido pela marquise que faz cobertura da calçada. Um corredor com mesas também é boa pedida do local – com dispenser de álcool em gel logo na entrada. Mesas altas na área externa, sem bancos, servem de apoio para bebidas e lanches.

O foco das seis operações do Tropicool são as comidas de rua mais práticas e variadas, como sanduíches, cafés, sucos naturais e pastéis, entre outros. O público aproveita, de maneira descontraída, o GoGo Sushi, Pacs Burger, Go Coffee, Papaya, Pastel de Feira e Gus Sanduíches & Banoffees. “O sucesso do formato levou à inauguração do Tropicool em São Paulo, nesta semana”, comenta Fabio Cardoso, CEO do Tropicool.

 

O serviço híbrido já vinha sendo visto como grande pedida para o futuro dos bares, como a pesquisa da consultoria francesa Food Service Vision apontou em 2016. Intensificada com a pandemia, esta tendência se estrutura e se firma de vez no mercado brasileiro. “As pessoas estão optando por bares que ofereçam atendimento em área externa, seja um garden ou na própria calçada em frente ao estabelecimento. Essa é uma tendência que veio para ficar e os empreendimentos precisam estar preparados”, completa Netto.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui