Pesquisa mostra o impacto da pandemia de covid-19 nos eventos dos Campos Gerais

Pesquisa foi promovida pelo Convention Bureau, AdeTur, Sebrae e demais entidades do setor

Há mais de 1 ano os espaços para eventos estão sem receber atividades | Foto: divulgação

Em junho, o Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau, AdeTur Campos Gerais, o Sebrae/PR e diversas outras entidades do turismo regional se uniram para fazer uma pesquisa sobre o impacto da pandemia de Covid-19 nos eventos.

Parado há mais de 1 ano, o setor que movimenta milhões de reais nos Campos Gerais anualmente vem registrando grandes prejuízos, conforme apresenta a pesquisa com chancela de uma especialista em economia da UEPG.

Com mais de 90 empresas e prestadores de serviços participantes, os dados relatam que 34% tiveram prejuízos acima de R$100 mil, chegando até em R$750 mil. Quando pegamos a média, é como se cada empresa tivesse perdido R$120 mil entre março de 2020 e 2021.

Sem dinheiro há demissões, e a pandemia fez mais de mil postos de trabalho direto no setor de eventos deixarem de existir.

Com isso, a pesquisa também quis saber por quanto tempo é possível manter-se com a empresa ativa e os dados são preocupantes, pois 11% das empresas já não conseguem mais manter as operações e os demais só conseguem permanecer ativos de 3 a 5 meses, isso se as medidas restritivas ao setor de eventos continuar, sendo o buffet com maior fôlego.

Espaços para eventos, seguido de apresentação artística são os maiores participantes da pesquisa (24% e 17%). Outro destaque é em relação a participação dos micro empreendedores individuais (MEI) e as microempresas de Arapoti, Carambeí, Castro, Imbaú, Jaguariaíva, Ortigueira, Palmeira, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Porto Amazonas, Telêmaco Borba e Tibagi, cidades participantes dos dados.

Para Thaís Pius, presidente do Convention, a participação mostra agora a real situação do setor e como iniciar a retomada. “Saber como está a saúde do eventos era uma demanda e agora, com esses dados, nós podemos iniciar um grande trabalho e fazer dos Campos Gerais referência em atividades seguras no Paraná”.

Wagnilda Minasi, presidente da AdeTur, divide a mesma opinião. “Com a retomada dos eventos e a união dos empresários, vamos reestabelecer o setor e fortalecer a região dos Campos Gerais como destino turístico para a realização de eventos, movimentando a economia ao gerar emprego e renda”, enfatiza.

Já Nádia Joboji, consultora do Sebrae/PR, comenta que: “a pesquisa foi importante para analisar os impactos ocasionados pela pandemia e, principalmente, entender os principais problemas e dores enfrentados pelos empresários do setor. Desta forma, é possível analisar os dados e construir um plano de ações voltado para a recuperação e a retomada do setor.”

A partir da pesquisa, já iniciaram algumas ações, como a rodada de crédito às empresas de turismo, workshops e oficinas para elaborar estratégias e fortalecer as empresas nessa retomada.

 

Confira mais dados:

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui