Secretário Nacional da Aquicultura e Pesca conhece iniciativas do Biopark para apoio à piscicultura

Em visita à Região Oeste, Jorge Seif Junior, conheceu potencialidades, ouviu demandas e destacou importância da tecnologia para o setor 

A Região Oeste é líder na produção de tilápia no Paraná, e isso tem contribuído para que o estado seja o principal produtor da espécie no país de acordo com dados do Anuário Peixe Brasil 2021. Para conhecer de perto as potencialidades e a dimensão da piscicultura regional, no último dia 11 de agosto, Toledo recebeu a visita do secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Jorge Seif Junior. Na oportunidade, o secretário participou de um encontro no Biopark com o objetivo de acompanhar como o parque tem contribuído com o uso de novas tecnologias e inovações para o setor.

“Quando decidimos vir ao Oeste do Paraná, falaram que eu precisava conhecer o Biopark, até porque alguns dos nossos desafios no início do governo passaram pela tecnologia, e o Biopark está ligado a isso, tecnologia, inovação e futuro. O Oeste do Paraná é um case de sucesso em piscicultura, sendo responsável por cerca de 20% da produção brasileira de peixes de cultivo. Isso se deve a fatores como o cooperativismo e o modelo de integração. Nosso objetivo aqui também é ouvir demandas do setor e conhecer soluções que estão dando certo, principalmente no que se refere à tecnologia”, comenta Jorge Seif Junior.

No encontro, Jorge Seif Junior, bem como o secretário-adjunto da Secretaria, Jairo Gund e demais autoridades regionais, foram recepcionadas pelo diretor de Negócios, Paulo Victor Almeida, que apresentou a história e atuação do Biopark, os projetos desenvolvidos para incentivo ao agronegócio regional, com destaque para a criação de uma Smart Farm e também para as soluções de empresas do Agro que atuam no local.

O prefeito de Toledo, Beto Lunitti, também esteve no evento e destacou a importância da tecnologia no município. “Aqui é uma terra fértil, importante e aberta à tecnologia. Apesar de sermos grandes produtores, também temos grandes necessidades e essa visita é muito importante e naturalmente isso poderá ampliar os negócios aqui. É importante levar à Brasília a mensagem de que além do maior município do estado em Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) aqui também é terra de inovação e tecnologia graças à instituições como o Biopark”, comenta.

“Nosso DNA é pesquisa e resultado, cabe a nós promovermos a conexão entre as inovações e quem precisa delas. Já temos empresas residentes com soluções que contribuem para a almejada aquicultura 4.0. O Biopark é uma terra de oportunidades e que gera soluções de impacto real”, explica o diretor de Negócios, Paulo Victor Almeida.

Hoje, o parque tem sete empresas residentes que desenvolvem ferramentas para piscicultura, incluindo internacionais. No encontro,duas dessas empresas puderam apresentar suas soluções, entre elas a Aqua In, um marketplace para aproximar piscicultores e fornecedores. São 39 fornecedores já cadastrados de itens como nutrição, equipamentos, laboratório de análises, entre outros.

Outra a se apresentar foi a Pigma, que trabalha com soluções com foco no bem-estar animal e agora está desenvolvendo uma solução para a piscicultura. “Comecei a enxergar a importância de melhorar o mercado da piscicultura e estou em contato com produtores da região para desenvolver um produto que pretendemos lançar no início do ano. O Biopark tem um papel muito importante no desenvolvimento desses produtos, com as mentorias, networking, e com isso, tenho conseguido validar as minhas ideias”, comentou Marcelo Augusto Hickmann, sócio-proprietário da empresa.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui