Tecnologia como pilar da sustentabilidade leva o Paraná a integrar programa da União Europeia

Programa de Cooperação Internacional Urbana e Regional incentiva troca de experiências entre diferentes regiões do mundo.

A expectativa do Paraná é poder avançar em temas como turismo rural e sustentável, cidades inteligentes, governo eletrônico e transformação digital.

 

O Paraná foi selecionado para integrar o Programa de Cooperação Internacional Urbana e Regional (IURC, em inglês), desenvolvido pela União Europeia (UE) e que tem como proposta a aproximação e a troca de experiências de governança em áreas estratégicas das regiões da Europa e da América Latina, América do Norte, Ásia e Oceania. Isso significa levar todos os envolvidos a um desenvolvimento mais acelerado de objetivos que as regiões tenham em comum.

Fruto de uma articulação importante do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social (Cedes), órgão responsável pela implementação da Agenda 2030 no Paraná, em parceria com a Superintendência Geral de Inovação, a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano/Paranacidade e a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro-PR), a seleção coloca o estado em destaque no mundo.

Lucas Ribeiro, presidente da Assespro-PR

“O projeto traz uma perspectiva implícita do ambiente europeu, tanto da tecnologia e inovação como eixos integradores do desenvolvimento, como da digitalização e transformação digital que são um dos pilares da política de governo da Comissão Europeia. Há a oportunidade de aprendizado, de trazer melhores práticas para o Paraná, assim como o projeto permite apresentarmos as nossas. A partir disso existe uma perspectiva de novas interfaces de negócio no ambiente internacional, como também acreditamos na possibilidade de apoiar o desenvolvimento de novas iniciativas de digitalização no estado”, comemora o presidente da Assespro-PR, Lucas Ribeiro, que também é CEO do ROIT BANK, que desenvolve tecnologia para as áreas financeira, fiscal e contábil. A expectativa do estado é poder avançar em temas como turismo rural e sustentável, cidades inteligentes, governo eletrônico e transformação digital, neste caso, expertise da entidade capitaneada por Ribeiro. A iniciativa terá duração de até 24 meses e há expectativa de iniciar no próximo mês, setembro.

Esta fase do programa foca na criação de uma rede internacional de referência para a inovação urbana e regional e desenvolvimento urbano sustentável. Para este momento, houve uma pré-seleção de regiões no mundo feita pela Comissão Europeia. “As regiões pré-selecionadas foram convidadas a enviar uma postulação de candidatura. O Paraná não só apareceu na curadoria de interesse dos europeus como submeteu sua proposta e foi selecionado entre dez regiões da América Latina”, ressalta Izoulet Cortes Filho, diretor de Projetos e Negócios Internacionais da Assespro-PR.

Segundo o superintendente geral de inovação, Marcelo Rangel, diversas inovações já existentes no Paraná poderão servir de vitrine para outros países. “Temos diversos exemplos de tecnologias na área sustentável. Uma delas é uma usina, na região dos Campos Gerais, que transforma o lixo orgânico em eletricidade. Essa usina tem um custo muito baixo de implantação, e poderia ser aplicada em outras regiões”, exemplifica.

“Estamos muito felizes com essa nova parceria que envolve regiões da União Europeia porque ela é baseada em exemplos concretos de sucesso e aposta na criação de um ambiente fértil entre os times para que as trocas técnicas ocorram de modo efetivo”, diz Keli Guimarães, vice-presidente do Cedes.

AVANÇANDO

O Paraná vem reunindo outras marcas internacionais, o que garante sua caminhada no programa. Segundo relatório de julho feito pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o estado se destaca nas áreas de energia renovável, proteção ambiental e redução de desigualdades. Além disso, ele é pioneiro no mundo a confirmar participação nesse momento do programa, de aceleração do desenvolvimento sustentável promovido pela OCDE. O programa IURC foi iniciado há dois anos com uma análise de diferentes indicadores e resultou em um relatório que abrange os principais resultados, destacando pontos altos e desafios a serem cumpridos. O documento foi apresentado em julho aos membros do Governo do Estado. Daí, o novo cenário e perspectivas para o Paraná.

Ao longo desse período de dois anos, desde quando foi apresentado, o programa promoveu o fortalecimento da estrutura de indicadores socioeconômicos; a estruturação de diálogo com todos os setores dos governos municipal, estadual e federal; o fortalecimento de parcerias também com o setor privado, a sociedade civil e a academia; e uma política de trocas entre regiões internacionais que trazem desafios semelhantes. Entre as recomendações da OCDE para a segunda fase (esta em que o Estado avança) estão o aperfeiçoamento das estatísticas que medem o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – uma agenda de desenvolvimento proposta pela ONU em 2015 para guiar boas práticas dos países por 15 anos – e o fortalecimento da articulação com prefeituras para ações mais focadas segundo o contexto de cada município.

IURC

O projeto é a evolução de outra iniciativa da UE, implementada ainda em 2017, o Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC), que promoveu parcerias estratégicas entre mais de 200 cidades e regiões da própria União Europeia e, também, de países da América do Norte, Ásia, América Latina e Caribe.

O IURC é financiado pelo Instrumento de Parceria da União Europeia e tem apoio estratégico da Direção-Geral da Política Regional e Urbana da Comissão Europeia (DG REGIO).

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui