Combustível criado com óleo de soja usado polui muito menos

O Protocolo de Kyoto, criado em 1997, é até hoje um dos mais importantes documentos sobre metas de redução da emissão de gases causadores do efeito estufa do mundo, desde então se debate sobre transformar matrizes energéticas poluentes em algo menos nocivo. Uma das ideias é a substituição do uso de combustíveis fósseis por biocombustíveis.

“A soja continua na liderança como principal base para a produção de óleo vegetal no Brasil, então temos no óleo de soja um grande aliado. O próprio agronegócio pode se beneficiar do biodiesel, com redução de custos imediata, tão logo aconteça a substituição do diesel por óleo vegetal refinado combustível” explica Vitor Dalcin, Diretor Executivo da Ambiental Santos.

O que muda e por que é melhor o biodiesel?
Basicamente, o que difere diesel do biodiesel é a origem. O primeiro é um hidrocarboneto derivado de petróleo, um combustível fóssil poluente e está diretamente ligado ao humor do dólar – além de não ser renovável.

Os motores jogam na atmosfera 100% do carbono de que é composto, na forma de monóxido de carbono (CO) e dióxido de carbono (CO2): “E tem muitos outros poluentes mais pesados, como o carbono negro que é a fumaça preta que sai dos escapamentos de caminhões e ônibus, além dos óxidos de nitrogênio e aerossóis primários. Uma vez liberados na baixa atmosfera, estes últimos transformam-se em aerossóis orgânicos secundários (AOS), sendo extremamente prejudiciais à saúde

O biodiesel também é um combustível preparado usando como base hidrocarbonetos. A grande diferença é a origem vegetal ou animal, o que já transforma o combustível em uma opção renovável e biodegradável.

Vitor explica que as emissões de carbono entre a produção de biodiesel e a queima do biodiesel é praticamente zero:

“O carbono emitido com a queima do biodiesel acaba reabsorvido pelas mesmas plantas que geram os óleos vegetais usados em sua composição e também no pasto que serve como alimento bovino, fonte do sebo que também é usado no biodiesel. Estamos falando de  80%  menos CO em comparação com o diesel tradicional”

Reciclagem de óleo usado faz a diferença?
Mais de 75% da produção do biodiesel vem do óleo de soja, o mais consumido. Outros 5% vem de leos de diversas origens e 20%  do sebo de boi. Tudo feito aqui no Brasil, ou seja, não depende de origens externas:

“Muito deste óleo vem diretamente da agropecuária, ou seja, óleo criado para esta ser combustível, mas o óleo reciclado está crescendo cada vez mais. Depende muito da conscientização dos consumidores e de um trabalho sério de reciclagem. A reciclagem evita que o óleo seja um agente poluente do meio ambiente, ajudando florestas e áreas de vegetação nativa. E tem ainda o bom desempenho dos motores, que melhoram a lubricidade” completa Vitor.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui