Consumo consciente e esporte: por que os dois juntos podem melhorar o mundo?

Startup curitibana VOIT oferece um marketplace de artigos esportivos usados e incentiva o mercado second hand; a venda de artigos de segunda mão irá movimentar U$64 bilhões nos próximos cinco anos

Novos hábitos de consumo e de estilo de vida. A pandemia da COVID-19 proporcionou uma mudança grande de busca por saúde e, também, por reduzir os impactos de nossas ações no meio-ambiente. De acordo com um estudo da McKinsey & Company, cerca de 60% da população brasileira está fazendo mudanças no estilo de vida para reduzir o impacto no meio ambiente, como a prática diária relacionada à realização de compras mais responsáveis, com a devida compreensão dos impactos ambientais e sociais.

A Voit foi criada com esse objetivo principal: além de fomentar o esporte, promover o consumo consciente. Em 2020, no meio de todo o caos causado pelo novo coronavírus, os sócios Gustavo Bakai, Marco Cazarim e Thiago Paz, criaram um marketplace de artigos esportivos usados e, neste último ano, o crescimento foi de 2500%. “A Voit quer democratizar o acesso ao esporte, permitir que qualquer pessoa possa criar a sua própria loja, fazer uma renda extra e começar a faturar com produtos esportivos que não usa mais e também ser mais uma engajada na causa do consumo consciente.  A economia circular é isso, propor uma mudança em toda nossa cadeia de consumo para reduzir resíduos – que é um dos princípios da nossa empresa”, explica Bakai, CEO da VOIT.

Ser consciente é uma tarefa não somente da parte de quem consome, mas de quem descarta. Segundo uma pesquisa do Ibope, encomendada pelo site e aplicativo de venda de produtos usados OLX, 38% dos brasileiros entrevistados possuem itens encostados em casa que poderiam ser comercializados. Ainda de acordo com outra pesquisa divulgada no fim de 2019 pelo Ibope Conecta, se vendêssemos na internet todas as coisas que temos em casa e não usamos, receberíamos em média R$ 4.267,00.

Um outro estudo ainda feito pela maior varejista do mundo de roupas usadas, a norte-americana ThredUp, o mercado de second hand, ou segunda mão, irá movimentar U$64 bilhões, nos próximos cinco anos.

O que o second hand e o esporte têm a ver? Ambos podem melhorar a qualidade de vida do mundo. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Harvard demonstrou que, das 58,7 milhões de mortes ocorridas no mundo em 2018, 9% (ou 5,3 milhões de mortes) podiam ser atribuídas à insuficiência de atividade física. As estimativas dos pesquisadores demonstraram ainda que a falta de atividade foi responsável por 6% dos óbitos por doenças cardíacas, 7% por diabetes do tipo 2, 10% por câncer de mama e 10% por câncer de cólon. No total, 1,3 milhão de vidas por ano poderiam ser poupadas se a inatividade fosse reduzida em 25%.

Novo momento da VOIT – O crescimento chamou atenção de investidores e nas últimas semanas a startup fechou sua primeira rodada de captação. O aporte veio do fundo Canaliza e foi acompanhado pelos investidores Allan Schimitt (MadeiraMadeira, Logcomex) Eric Dhaese (Rappi, MadeiraMadeira, Kraft Heinz) e André Leal (PSQA, O Boticário, BRF). Estes investidores também farão parte do conselho da startup, que conta também com Sandra Hayashida (Kyvo, Amaro, Torcedores) e Fernando Kanarski (FK Training).

Ainda que o crescimento seja expressivo, os sócios resolveram turbinar o modelo de negócio e alçar novos voos. Após a rodada de investimentos, a Voit passa a se tornar um marketplace de artigos esportivos tanto novos, quanto usados. “A digitalização impulsionada pela pandemia chegou para todos os segmentos e no esportivo não foi diferente. Temos demandas diárias deste tipo de negócio e estamos desenvolvendo uma tecnologia de ponta para começar a colocar estes parceiros na plataforma. No final, é um pedaço do S do ESG, que traz desenvolvimento econômico e social, além do fomento ao esporte, o que gera um ciclo virtuoso e uma visão de ecossistema em torno do nosso modelo”, diz o CEO.

Além disso, eles inovam com uma curadoria e consultoria de vendas gratuita aos clientes. “A maior dificuldade da compra online é a falta de atendimento ao cliente. Então resolvemos sanar essa dor. Digamos que você precise comprar um tênis de corrida no tamanho 36, de uma determinada pisada. Nossa equipe estará pronta para buscar, dentre as opções disponíveis dentro do marketplace, a melhor opção, tanto segunda mão, quanto novo. Tudo isso de forma gratuita e feita por profissionais do esporte, o que também, tem o intuito de capacitar profissionais deste meio e mostrar que o esporte também é tech”, explica.

Com esse novo serviço, a Voit começou a recrutar talentos para prestar consultoria de venda, com experiência no mercado esportivo, e estima aumentar seu quadro de colaboradores em 300% até o final do ano. “Nossa expectativa com essa virada de chave é, até o início de 2022, crescer cinco vezes mais”, finaliza Bakai.

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui