Do cérebro à beleza, veja 4 benefícios em adicionar a caminhada e a corrida na rotina

Coração, pele, pernas e cérebro podem ficar muito melhores se você incluir atividades físicas no seu dia a dia

'Ar viciado' na máscara pode causar mal-estar e tontura durante prática de atividade físicaExercitar o corpo traz benefícios à saúde, ajuda a emagrecer, controla os níveis de açúcar no sangue e também traz uma série de benefícios, alguns até mesmo estéticos. “É comum que praticantes de atividade física, depois de alguns meses de exercício diário e regular, notem a pele mais saudável e com mais viço e isso ocorre pelo aumento do fluxo sanguíneo das células e melhora da oxigenação dos tecidos. Os exercícios físicos, quando praticados de forma regular, na dose certa e bem orientados, trazem uma série de benefícios para a saúde, inclusive para a pele! A atividade física, incluindo exercícios aeróbicos, musculação e alongamentos são importantes em diversos aspectos”, explica a dermatologista Dra. Patrícia Mafra, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “A atividade física regular diminui o risco de vários distúrbios comuns, como doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, câncer e condições neurológicas, junto com o risco geral de mortalidade. Os efeitos benéficos do treinamento físico na saúde humana são parcialmente impulsionados por adaptações no músculo esquelético”, explica o geneticista Dr. Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral Multigene. Mas os benefícios vão muito além: o coração, o cérebro e as pernas também ficam mais saudáveis. Abaixo, consultamos médicos de diversas especialidades que explicam como incluir a corrida na rotina diária pode fazer um bem enorme para a saúde:

CORAÇÃO: Segundo o cardiologista Dr. Juliano Burckhardt, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da American Heart Association, de maneira geral, a prática continuada de exercícios físicos como a corrida melhora a disposição e auxilia na perda de peso, mas também pode ajudar a reduzir o colesterol ruim e aumentar o colesterol bom. “E também melhora a capacidade do músculo cardíaco e confere maior controle da pressão arterial. Por outro lado, o sedentarismo tem impacto direto na saúde, pois favorece o aumento de peso, da pressão arterial, da glicose e de lipídeos no sangue, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares e metabólicas. Dicas simples como subir escadas, se movimentar mais, fazer caminhadas e corridas diariamente são atitudes que ajudam a diminuir o colesterol”, explica o Dr. Juliano. “A redução do colesterol é uma das coisas mais importantes a se fazer para promover a saúde geral do coração. Você precisa ser ativo por 30 minutos na maioria dos dias”, diz o cardiologista. Como um estilo de vida saudável requer motivação e encorajamento, arranjar um amigo de treino pode ajudar. “A corrida e os treinos aeróbicos melhoram a circulação coronariana e nos membros inferiores. Segundo estudos, o exercício aeróbico protege o coração doente, pois facilita a remoção de mitocôndrias (organelas responsáveis por produzir energia para as células) disfuncionais nas células cardíacas”, completa o Dr. Juliano Burckhardt.

CÉREBRO: Exercitar o corpo regularmente também ajuda o cérebro, segundo o Dr. Gabriel Novaes de Rezende Batistella, médico neurologista e neuro-oncologista, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA). “O exercício melhora o fluxo sanguíneo e protege a memória; estimula mudanças químicas no cérebro que apuram o aprendizado, o humor e o pensamento. O exercício mantém suas habilidades de raciocínio afiadas. Além de aperfeiçoar a saúde do coração, exercícios regulares de resistência, como correr, nadar ou andar de bicicleta, também podem promover o crescimento de novas células cerebrais e preservar as células cerebrais existentes. A liberação de endorfina gera reações de euforia e bem-estar, que também ajudam a manter o humor”, diz o Dr. Gabriel. “Correr pode criar novos neurônios, ajudando o organismo a envelhecer com saúde”, completa o médico neuro-oncologista.

CIRCULAÇÃO DAS PERNAS: Tanto a caminhada quanto a corrida são boas para a saúde e alguns benefícios são comuns em ambas as modalidades, como por exemplo, o controle da hipertensão, da diabetes e do colesterol e a liberação de endorfinas, hormônios que relaxam o corpo, geram sensação de bem-estar e auxiliam a boa qualidade do sono. “Mas ambos são excelentes para o sistema circulatório, pois a prática de exercícios físicos aumenta o fluxo da circulação do sangue e melhora o retorno venoso com a finalidade de levar oxigênio às células dos músculos e tecidos próximos. Assim como o sangue chega nos membros inferiores, ele precisa retornar ao coração para ser bombeado novamente. Na corrida, a capacidade de perda energética e, consequentemente, de perda de peso é maior. Além de contribuir para a queima de gordura, o exercício ajuda a desenvolver os músculos e fortalecer o sistema imunológico”, explica a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. “Para diminuir as dores pós-corrida, uma boa estratégia é apostar nas meias elásticas esportivas de compressão. Elas têm compressão graduada que pode variar de 15-23 mmHg até 20-30 mmHg dependendo do fabricante e são capazes de: melhorar o retorno venoso, manter a musculatura aquecida, reduzir a fadiga muscular, acelerar a recuperação, diminuir a incidência de câimbras e dores na panturrilha, além oferecer efeito benéfico durante o exercício – o que pode melhorar a performance”, diz a Dra. Aline. O uso da meia diminui os produtos de degradação, os ácidos lático e pirúvico, que estão ligados àquela dor muscular do dia seguinte (ou 48 horas depois) de uma corrida, por exemplo. “No caso da meia, acelerando a circulação, ela diminui a concentração desses ácidos. Apesar dos multibenefícios, é importante sempre ficar atento às especificações da meia, tirar medidas adequadas para que a meia tenha um ajuste perfeito nas pernas e consultar um cirurgião vascular”, conta a Dra. Aline Lamaita.

BELEZA: Uma das causas do envelhecimento é o acúmulo de radicais livres nos tecidos e eles são provenientes da exposição solar e também de maus hábitos. “A atividade física consome energia e consegue, com isso, neutralizar esses radicais, melhorando o que chamamos de estresse oxidativo. A circulação na pele fica melhor. O exercício acelera o metabolismo de todo o organismo, as células são estimuladas a absorverem mais nutrientes, e secretar toxinas de maneira mais eficiente. Durante a corrida, toda a nossa circulação fica mais solicitada. O sistema arterial (sangue que “alimenta” os músculos em movimento, por exemplo) aumenta seu fluxo, e consequentemente, o aporte de nutrientes e oxigênio para todos os tecidos. Com a melhora no fluxo sanguíneo, o sistema linfático passa a trabalhar em maior velocidade, desintoxicando o organismo e diminuindo a retenção de líquidos. Isso se reverte na pele deixando-a mais hidratada, corada e mais viçosa”, enfatiza a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Outro benefício, segundo a dermatologista Dra. Patrícia Mafra, está no fato do nosso corpo ter uma melhor resposta antioxidante com a prática regular dos exercícios. “Isso ocorre pelo aumento da produção de enzimas bloqueadoras dos radicais livres. Os radicais livres são agentes que provocam envelhecimento ou doenças. Eles são produzidos em maior quantidade quando praticamos atividade física, mas quando essa prática é realizada na dose certa, bem orientada e de forma regular, apesar de haver um aumento na produção dos radicais livres, o nosso corpo fica mais capacitado a lidar com eles”, explica a Dra. Patrícia Mafra. “Com a prática frequente de exercícios como a corrida, é possível reduzir os níveis de cortisol, o chamado hormônio do estresse. Um menor nível de estresse melhora o funcionamento cerebral e isso faz com que as pessoas tenham um melhor autocontrole para seguir uma rotina de cuidados da pele. A diminuição do nível de cortisol melhora também a qualidade do sono. Além disso, altos níveis de cortisol podem contribuir para o aparecimento da acne. Por isso e por outros tantos motivos, a prática regular do exercício é interessante”, finaliza a Dra. Patrícia.

FONTES:

*DRA. BEATRIZ LASSANCE: Cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery. Além disso, é membro do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

*DR. GABRIEL NOVAES DE REZENDE BATISTELLA: Médico neurologista e neuro-oncologista, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA). Formado em Neurologia e Neuro-oncologia pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP, hoje é assistente de Neuro-Oncologia Clínica na mesma instituição. O médico é o representante brasileiro do International Outreach Committee da Society for Neuro-Oncology (IOC-SNO).

*DR. JULIANO BURCKHARDT: Médico Cardiologista, Geriatra e Nutrólogo, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) e da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Especialista também em Clínica Médica, Medicina de Urgência e Ergometria. É membro da American Heart Association e da International Colleges for Advancement of Nutrology. Mestrando pela Universidade Católica Portuguesa, em Portugal. Atua como docente e palestrante nas suas especialidades na graduação e pós-graduação. É diretor médico do V’naia Institute. Diretor Científico Brasil da European Academy of Personalized Medicine. Membro do Corpo Clínico do Hospital Sírio Libanês.

*DR. MARCELO SADY: Pós-doutor em genética com foco em genética toxicológica e humana pela UNESP- Botucatu, o Dr. Marcelo Sady possui mais de 20 anos de experiência na área. Speaker, diretor Geral e Consultor Científico da Multigene, empresa especializada em análise genética e exames de genotipagem, o especialista é professor, orientador e palestrante. Autor de diversos artigos e trabalhos científicos publicados em periódicos especializados, o Dr. Marcelo Sady fez parte do Grupo de Pesquisa Toxigenômica e Nutrigenômica da FMB – Botucatu, além de coordenar e ministrar 19 cursos da Multigene nas áreas de genética toxicológica, genômica, biologia molecular, farmacogenômica e nutrigenômica.

*DRA. ALINE LAMAITA: Cirurgiã vascular, Dra. Aline Lamaita é membro da diretoria (comissão de marketing) da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, do American College of Phlebology, e do American College of Lifestyle Medicine, a médica é formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (2000) e hoje dedica a maior parte do seu tempo à Flebologia (estudo das veias). Curso de Lifestyle Medicine pela Universidade de Harvard (2018). A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina. RQE 26557 http://www.alinelamaita.com.br/

*DRA. PATRÍCIA MAFRA: Dermatologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG), com estágio em Dermatologia pelo Grupo Santa Casa e acompanhamento do Serviço de Ginecologia e Sexologia do Hospital Mater Dei, Dra. Patrícia Mafra é expert em injetáveis e speaker em eventos nacionais e internacionais, palestrando sobre temas ligados à área de atuação. A dermatologista também foi preceptora de Medicina Estética do Instituto Superior de Medicina (ISMD). https://patriciamafra.com.br/

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui