Emagrecer de forma rápida para realizar cirurgia pode trazer complicações e dificultar cicatrização

Identificar a desnutrição antes da cirurgia em pacientes que passaram por grande perda de peso diminui significativamente as chances de complicações cirúrgicas, acelera a cicatrização de feridas, melhora a qualidade da cicatriz e aumenta os níveis de energia do paciente

Emagrecer de forma rápida para realizar cirurgia pode trazer complicações e dificultar cicatrizaçãoMuitas pessoas que buscam cirurgias plásticas devem, antes de tudo, reduzir o peso, para evitar complicações cirúrgicas. No entanto, algumas pessoas emagrecem sem orientação e de forma muito rápida, geralmente com muita restrição e carência nutricional na dieta. “Isso é maléfico, pois a desnutrição antes de uma cirurgia pode acarretar em complicações pós-cirúrgicas, dificultar a cicatrização de feridas, piorar a qualidade da cicatriz e deixar o paciente fadigado”, explica o Dr. Mário Farinazzo, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). “Nesse caso, o melhor a fazer é indicar a um médico nutrólogo ou um profissional nutricionista, para otimizar a nutrição com a adição de suplementos e comprimidos multivitamínicos, além de adequar a dieta”, completa o médico. “A cicatrização de feridas requer nutrição ideal. Estudos clínicos demonstram que o aporte nutricional adequado pode levar a uma melhor cicatrização de feridas em pacientes cirúrgicos. A imunonutrição pós-operatória precoce pode aumentar os níveis de hidroxiprolina, melhorar a cicatrização de feridas cirúrgicas e evitar complicações, como infecções”, explica a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Principalmente no caso de cirurgias de contorno corporal em pacientes que experimentaram um emagrecimento com grande perda de peso, os médicos precisam estar alertas, pois são feitas grandes incisões em muitas áreas que exigem muito do corpo durante o processo de cicatrização. “Existem estudos que mostram que monitorar cuidadosamente as deficiências nutricionais no pré-operatório e suplementar o paciente com os nutrientes, minerais e vitaminas necessários, pode reduzir de maneira significativa complicações e melhorar a cicatrização pós-operatória”, destaca o médico.

A ingestão reduzida de calorias em pacientes que emagreceram torna essas pessoas altamente suscetíveis à desnutrição. Até mesmo pacientes que realizaram cirurgia bariátrica devem ser motivo de atenção dos médicos. Um ano após a cirurgia bariátrica, a ingestão de alimentos da maioria dos pacientes permanece em cerca de 1.000 calorias por dia, nem perto de atender às recomendações padrão em relação à ingestão de calorias e proteínas. “Sabemos do papel que vários nutrientes desempenham na cicatrização de feridas, dentre eles as proteínas, as vitaminas A, do complexo B, C, além da arginina, glutamina, ferro, zinco e selênio, que promovem a cicatrização de feridas, produção de colágeno e resposta imunológica; o complexo de vitamina B também foi associado à redução do risco de trombose venosa profunda, o que é muito importante no pós-operatório”, explica o médico.

O que comer – Segundo a Dra. Marcella, em primeiro lugar um aporte de energia suficiente é necessário para o anabolismo, formação de colágeno e cicatrização. “A glicose é a principal fonte de energia para a síntese de colágeno, em comparação com as gorduras ou proteínas e as necessidades individuais de energia dependem de vários fatores. Os carboidratos dietéticos são as principais fontes de energia, além de também fornecerem fibras dietéticas e amidos resistentes, que são substratos para a manutenção da microbiota e respostas imunológicas. As proteínas são condicionais para a síntese das enzimas envolvidas na cicatrização de feridas, proliferação de células e colágeno, e formação de tecido conjuntivo. Todos os estágios de cicatrização de feridas requerem proteínas. A arginina e a glutamina são os dois aminoácidos que foram mais estudados por seu papel na cicatrização de feridas. Além da metionina e cisteína que também podem influenciar a cicatrização de feridas”, destaca a médica.

A médica nutróloga enfatiza também que o papel das gorduras na cicatrização de feridas não é totalmente conhecido, porém, na presença de lesões há um aumento da necessidade de ácidos graxos essenciais, ômega 3 e ômega 6, pois deles depende a síntese de prostaglandinas, que desempenham papéis importantes no metabolismo celular e inflamação. “Garantir a ingestão adequada de água é necessário para a perfusão e oxigenação de tecidos saudáveis e em cicatrização. Além disso, prevenção e tratamento de lesões cutâneas requerem ingestão ideal de líquidos”, diz.

Os micronutrientes também são importantes. Vitaminas do complexo B, vitamina E e Vitamina D estão envolvidas em alguma fase do processo de cicatrização, segundo a médica. “Porém as vitaminas, A e C, são particularmente importantes na cicatrização de feridas. A vitamina A desempenha um papel importante na cicatrização de feridas durante a fase inflamatória, enquanto a vitamina C é fundamental para a síntese dos tecidos conjuntivos de colágeno, atua na proliferação de fibroblastos e formação de vasos”, diz a médica. “Os minerais são essenciais para o metabolismo celular, especialmente durante a cicatrização de feridas. Atuam como cofatores ou participam das enzimas necessárias para o reparo de feridas, entre os principais estão o magnésio, zinco e cobre”, destaca a Dra. Marcella.

Por conta disso, o médico ressalta a importância de procurar um cirurgião plástico qualificado, experiente e confiável para explicar o caso e fazer uma avaliação sobre qual o melhor caminho para o tratamento.

FONTES:

*DR. MÁRIO FARINAZZO: Cirurgião plástico, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o médico é especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Professor de Trauma da Face e Rinoplastia da UNIFESP e Cirurgião Instrutor do Dallas Rinoplasthy™ e Dallas Cosmetic Surgery and Medicine™ Annual Meetings. Opera nos Hospitais Sírio, Einstein, São Luiz, Oswaldo Cruz, entre outros. www.mariofarinazzo.com.br

*DRA. MARCELLA GARCEZ: Médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da ABRAN. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Últimas notícias

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui