Expectativas do novo consumidor também passam pelo ESG

As empresas estão adotando as estratégias de ESG não apenas como tendência ou “moda”, mas principalmente como necessidade. Por uma razão: as pessoas são cada vez mais únicas, plurais, exigentes no respeito a suas opiniões e direitos, o que se reflete no amplo uso das redes sociais. E o interesse do consumidor, como consequência, vem se tornando uma preocupação crescente das empresas na hora de traçar e alimentar suas boas práticas de governança. A temática “Novo consumidor e como atender suas expectativas” foi abordada pelo Programa WTC de Competitividade durante o quarto encontro mensal do Grupo WTC de ESG, com o executivo Paulo Mancio, vice-presidente sênior de technical e construction da rede Accor na América Latina.

A iniciativa do grupo temático – que debate as dimensões e estratégias sociais, de sustentabilidade e governança corporativa (ESG) buscadas pelas organizações – é dos World Trade Centers Curitiba, Joinville e Porto Alegre. Segundo Mancio, as políticas de humanização das pessoas e colaboradores, segundo o executivo, são a melhor forma de se conectar com o mundo. 

“A sociedade é mais plural hoje e precisa ser encarada como tal, com acolhimento, respeitando as regionalidades de cada povo, com as características de cada cidade em que atuamos. Estamos presentes em 110 países, com 110 culturas diferentes. Todos os dias, recebemos uma média de 1 milhão de pessoas em nossa rede, que conta com 753 mil quartos, 5,1 mil hotéis e gera 260 mil empregos diretos, fora os indiretos de toda essa cadeia da Rede Accor. Nosso primeiro eixo estratégico é justamente o foco na vida, de forma global. Viver, estar presente, trabalhar, se entreter, celebrar, tudo com muita segurança e tendo o ser humano no centro das atenções”, define.

“All Safe”

Um dos setores mais prejudicados pela pandemia, o turismo e a hotelaria precisaram se reinventar ainda no desenrolar dos primeiros meses de 2020, para oferecer medidas de segurança e isolamento para seus hóspedes. “Criamos em todo o mundo os protocolos All Safe Accor, com altos padrões de higienização e limpeza. Temos medidas de prevenção com padrões da indústria hospitalar aplicados à hotelaria, tudo com auditoria externa. Hoje, 92% da rede Accor adotou o All Safe. Um exemplo é a limpeza diária dos quartos com troca de roupa de cama e toalhas: demos a opção para cada hóspede, se deseja que os camareiros entrem em seu quarto diariamente ou não”, detalhou Mancio.

Espaços de coworking

O executivo enfatizou ainda que os espaços de coworking estão presentes em todo hotel da rede Accor. “Não é apenas uma meta ou ideia futura, já temos os espaços em nossa rede. Em São Paulo, são duas marcas de coworking que atuam conosco. Qualquer hóspede ou visitante que desejar pode utilizar nossa estrutura para o trabalho remoto. Nada melhor do que oferecer às pessoas o que elas desejam.”

“É sempre uma satisfação testemunhar o trabalho da Accor, especialmente com as medidas durante a pandemia, e com as políticas de ESG tão bem aplicadas em toda a rede global da empresa. A Europa está bastante conectada com essa temática, tomaram a dianteira do movimento anos atrás, de forma gradativa. Agora o Brasil avança de forma mais rápida, nos passando cada vez mais a impressão de que o ESG veio para ficar e não será um ‘modismo’ corporativo”, avalia Daniella Abreu, presidente dos WTCs Curitiba, Joinville e Porto Alegre.

Programa WTC de Competitividade

O WTC idealizou grupos temáticos dentro do seu Programa de Competitividade, que reúnem desde 2019 executivos C-level representantes das principais empresas do Sul do Brasil em encontros mensais.  Um ambiente colaborativo e propositivo de troca de experiências e boas práticas, em busca de maior competitividade nos negócios, é o objetivo que os WTCs Curitiba, Joinville e Porto Alegre perseguem com o Programa WTC de Competitividade.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui