Indústria da hipertensão e diagnóstico por imagem movimentará R$ 22,3 bilhões

Uma projeção feita pela Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos Para Saúde (Abimed) para 2021 sobre Consumo Aparente, realizada em conjunto com a IN3 Inteligência, mostra que o mercado deve movimentar cerca de R$ 22,3 bilhões, com destaque nos segmentos de Diagnóstico por Imagem, Cardiovascular, Oftalmologia, Audiologia e Ortopedia. A estimativa de Consumo Aparente do setor considera a movimentação dos valores de importação, exportação e produção nacional ao longo do período de quatro anos, sendo 2018 a 2021.

De acordo com o Relatório Setorial divulgado recentemente às empresas associadas à entidade, o setor de Diagnóstico por Imagem é o que mais de destaca, com estimativa de realizar este ano 28,7 milhões de procedimentos, seguido pelo setor Cardiovascular, com 20,2 milhões. Na Oftalmologia, são previstos 3 milhões de procedimentos, enquanto em Audiologia a estimativa chega a 2 milhões de procedimentos. Na Ortopedia, as projeções apontam um número de 281 mil.

Segundo o presidente executivo da Abimed, Fernando Silveira Filho, “é de grande relevância analisar os números desses cinco segmentos destacados no levantamento pela representatividade dento do setor, mas outros serão considerados nas próximas edições do estudo”, diz.

Em relação à movimentação financeira, a estimativa também será maior para o segmento de Diagnóstico por Imagem comparado aos demais, com estimativa de movimentar R$ 2,2 bilhões em 2021. No item Cardiovascular, essa estimativa está em R$ 440 milhões, em Audiologia R$ 54,9 milhões, Oftalmologia R$ 39,9 milhões e, por fim, a Ortopedia com R$ 10,7 milhões.

Ao considerar os impactos da pandemia, o setor de equipamentos médicos como um todo os sentiu, mas não foi nem o mais, nem o menos afetado. Houve um consumo aparente no mercado brasileiro com decréscimo de 2,7% em dólar e 2,2% em reais.

Com relação a procedimentos ambulatoriais e hospitalares em todos os anos de estudo (2018 a 2020), o estado de São Paulo é o que mais os realizou dentro dos segmentos estudados. No acumulado, foram realizados cerca de 55,6 milhões de procedimentos, representando 31% do total pelos estados em geral.

Financeiramente, os procedimentos ambulatoriais e hospitalares devem movimentar R$ 2 bilhões e 754 milhões neste ano, respectivamente.

O relatório setorial de 2021 foi construído baseado nas informações públicas coletadas nas pesquisas PIA (Pesquisa Industrial Anual) e PIM (Pesquisa Industrial Mensal), reportadas pelo IBGE, dados do MDIC de Importações e Exportações, reportados pelo Governo Federal, DataSUS e SISCORI, disponibilizados pela Receita Federal.

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui